Microsoft investe em reconhecimento de movimentos nos próximos Windows Phones

Por Redação | 09 de Junho de 2014 às 15h17
Tudo sobre

Microsoft

Os futuros aparelhos Windows Phone devem trazer sensores e leitores de movimentos semelhantes aos do Kinect. De acordo com fontes do site The Verge, há um protótipo da Nokia, batizado de "McLaren", que já usa o mapeamento da localização do dedo como referência de interação entre os usuários e funcionalidades de games e aplicativos do celular.

Com o nome ainda provisório de 3D Touch ou Real Motion, a tecnologia vem sendo desenvolvida pela Nokia há anos e agora estaria mais próxima de um aparelho. O impulso que faltava seria a Microsoft e sua experiência com o Kinect, especialmente para desenvolver aplicativos e games.

O Nokia McLaren seria o sucessor do Lumia 1020 e viria com um sistema de sensores para captação em 3D, algo já anunciado pela Amazon, para seu primeiro smartphone. Além disso, viria também para competir com a Samsung, que já possui tecnologia de reconhecimento de movimentos.

Assista Agora: Gestor, descubra os 5 problemas que suas concorrentes certamente terão em 2019. Comece 2019 em uma nova realidade.

Entre as possíveis funções iniciais com a tecnologia 3D Touch estão maneiras diferentes de enviar comandos básicos ao dispositivo, como atender a chamadas com o telefone próximo ao ouvido, ligar o alto-falante ao colocá-lo sobre uma mesa ou desativar uma chamada ao guardá-lo no bolso.

Outras funções, como bloquear mudança de orientação da tela quando o usuário está deitado ou permitir zoom movendo os dedos ao lado do aparelho, também estão previstas. A ideia da Microsoft, segundo informantes, é, aos poucos, eliminar os botões.

A Microsoft, inicialmente, tinha planos para a tecnologia 3D Touch no sistema operacional Windows Phone 8.1 para os aparelhos denominados de Nokia "Goldfinger" e "Moneypenny". Colocar a novidade nesses próximos telefones ainda é uma meta para a empresa, contudo, ao que parece, somente no final do ano, com o McLaren, é que as novas funcionalidades devem ser exploradas com mais intensidade.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.