Médico volta atrás e diz não haver evidências de que Glass causa dores nos olhos

Por Redação | 29.05.2014 às 12:13

Há apenas dez dias o consultor oftalmológico oficial do Google, Eli Peli, afirmou que o uso do Glass pode causar desconforto, dores de cabeça e nos olhos em boa parte dos usuários. Os problemas, segundo ele, ocorreriam devido aos movimentos oculares diferenciados que o gadget exige. Agora, porém, ele voltou atrás em suas declarações e, em post no Google+, afirma não ter encontrado evidências de problemas na utilização da tecnologia.

Peli diz estar estudando não apenas o Glass, mas também outros gadgets do tipo há alguns anos e, por enquanto, não encontrou nenhuma evidência concreta de que o uso desse tipo de aparelho pode causar problemas de saúde. Ele não descarta as reclamações de alguns usuários, que já afirmaram terem sofrido algum tipo de desconforto durante a utilização, mas diz que se tratam de poucos casos em um universo muito maior de usuários.

Em seu texto, o oftalmologista ainda diz que qualquer dor de cabeça, nos olhos ou outros sintomas que possam estar associados ao Google Glass devem desaparecer em um ou dois dias. Sendo assim, estão longe de representarem danos permanentes à saúde dos usuários, um fator que a empresa leva completamente a sério e é considerado como prioridade no desenvolvimento não apenas dos óculos, mas de qualquer outro tipo de tecnologia.

Estas não foram exatamente as palavras de Peli em entrevista ao site Betabeat há dez dias. Falando ao veículo, ele demonstrou preocupação com os usuários do Glass devido aos movimentos pouco naturais dos olhos durante a utilização, o que poderia acabar causando fortes dores de cabeça e desconforto ocular após apenas algumas horas de utilização.

Segundo o médico, as pessoas não estão acostumadas a movimentar os globos oculares para cima – com exceção de pintores e eletricistas, por exemplo. Assim como acontece com todo músculo, a realização de exercícios fora do comum acaba causando dores e, em caso de períodos prolongados, pode gerar até mesmo danos mais sérios.

Por esse motivo o oftalmologista havia recomendado que o Google Glass não fosse utilizado por períodos prolongados e, muito menos, durante todo o tempo. Mas ele admite que os usuários cada vez mais aficionados por tecnologia terão bastante dificuldade em se manter longe do gadget, principalmente nos primeiros dias após a compra, e seria justamente esse o grupo responsável pela maioria dos relatos de dores e desconforto ocular.

Recentemente, o Google Glass foi disponibilizado a todos os habitantes dos Estados Unidos pela bagatela de US$ 1,5 mil. O produto ainda está oficialmente em fase Beta. O programa "Explorer" vem sendo utilizado pela empresa para testar seu equipamento na prática e verificar a viabilidade do lançamento dele em todo o mundo. O teste ainda abre espaço para que os desenvolvedores criarem soluções e funções para o gadget.