Congresso dos EUA questiona Google sobre questões de privacidade no Glass

Por Fernanda Morales | 17.05.2013 às 12:48
photo_camera Mashable

O Google Glass tem gerado uma série de especulações sobre o seu uso e, principalmente, sobre privacidade, já que seus usuários poderão tirar fotos ou gravar vídeos discretamente e sem autorização. Além dos questionamentos dos consumidores, representantes do Congresso norte-americano também exigem algumas respostas sobre o projeto dos óculos inteligentes. As informações são do Mashable.

Oito membros do Congresso enviaram ao atual CEO da companha, Larry Page, uma carta pública questionando a empresa sobre questões de privacidade que envolvem o lançamento comercial do Google Glass. Entre as principais perguntas estão se o Glass coleta informações dos usuários sem o seu consentimento; que medidas a empresa está tomando para proteger a privacidade dos não-usuários do acessório; se o Glass utilizará reconhecimento facial de pessoas que não usam o equipamento para disponibilizar informações sobre elas sem sua autorização; se o Google Glass causará mudanças na política de privacidade do próprio Google e quais restrições a companhia está aplicando no Glass e em seus aplicativos. Os congressistas estabeleceram o dia 14 de junho como o prazo final para o envio das respostas.

"Estamos tendo muito cuidado com o desenvolvimento do Glass porque novas tecnologias sempre levantam novas questões", afirmou um porta-voz do Google em resposta ao envio da carta dos congressistas. "Nosso programa Glass Explorer, que atinge pessoas de diversas esferas da sociedade, garantirá que nossos usuários se tornem participantes ativos na construção do futuro desta tecnologia".

Alguns estabelecimentos nos Estados Unidos já se adiantaram ao lançamento do Google Glass e afirmaram que deverão proibir seu uso. Entre os locais proibidos estão salas de cinema, bares, casas noturnas, parques e trânsito (no caso dos motoristas).