Cinco razões para virtualizar seu Exchange

Por Colaborador externo | 29.07.2014 às 13:05

Por Ricardo Apud*

A virtualização é uma das principais tendências atuais e, embora comprovada, ainda permanece o debate sobre virtualizar ou não todos os aplicativos no datacenter. Serviços de e-mail e comunicação são o sistema nervoso central de muitas organizações e amplamente aceitos como a aplicação mais crítica para as empresas atualmente.

Há uma série de benefícios para a virtualização do Exchange Server, no entanto, a chave para a execução com sucesso de um ambiente virtualizado é entender que a execução de máquinas virtuais exige esforço adicional de ajustes e aprimoramentos regularmente. Hoje, as empresas já são capazes de identificar claramente os benefícios da virtualização:

Uso efetivo de hardware - A execução do Exchange em servidores físicos consome, em média, menos de 10% da sua capacidade memória ou CPU e o hardware seria capaz de levar muito mais carga do que está nos servidores. A questão é que um Exchange Server projetado para hospedar 2.000 caixas de e-mails com design ruim garante o funcionamento de apenas 200. Muitas vezes estes projetos são entregues por falta de pesquisa para determinar o que deveria ser fornecido, seja espaço em rack, resfriamento, energia ou manutenção.

A virtualização do Exchange permite colocá-lo junto com outros aplicativos virtualizados em um servidor e economizar energia, refrigeração e espaço em datacenter. Isso reduz os custos de hardware, já que é utilizado de forma mais eficaz pela combinação de muitas máquinas virtuais em um único servidor físico. Muitos partidários de virtualização caracterizam estes benefícios combinados como "TI verde".

Ajuste dinâmico de recursos- A virtualização permite alocar dinamicamente os recursos para máquinas virtuais e aumentar ou diminuir tais recursos sob demanda. Para alocar recursos em servidores físicos normalmente é necessário aumentar a memória ou comprar outro servidor. Além de passar por um longo processo de aquisição e instalação, tem que criar cópias de banco de dados e mover caixas de e-mail. Também é preciso ter certeza de que os servidores são dimensionados de forma a considerar os períodos de pico e o futuro crescimento da empresa. Usando virtualização, é possível basear a alocação de recursos em suas necessidades atuais e, em seguida, alocar dinamicamente os recursos de acordo com a demanda.

Maior disponibilidade - Muitas PMEs executam todas as funções do Exchange em uma única máquina física, já que seria mais caro utilizar hardware e licenças extras. A virtualização permite que mesmo as pequenas empresas possam replicar suas bases de dados em vários discos, aumentar a disponibilidade e, em caso de interrupções, corrigir o sistema sem afetar os usuários. A virtualização também deve ser considerada se a empresa quer usar servidores físicos para o seu datacenter principal e tem planos de ter um segundo datacenter para a recuperação de desastres.

Proteção robusta – Na área de backup e restauração, a virtualização permite recuperar rapidamente mensagens, bancos de dados e até mesmo servidores completos. De fato, algumas opções de recuperação estão disponíveis somente quando o Exchange é virtualizado. A restauração de uma MV é muito mais rápida do que de uma máquina física, pois é possível restaurar o backup diretamente no mesmo ou em outro host. É preciso mais tempo para restaurar uma máquina física, porque você não só precisa configurar a partir do zero, mas também recuperar os dados, e isto leva muitas horas.

Ambiente de testes flexível - Um ambiente de teste virtualizado fornece flexibilidade para adicionar ou remover servidores rapidamente e também mudar o ambiente completo. Com a virtualização é possível facilmente copiar o ambiente de produção para o ambiente de teste e obter os controladores reais de domínio, tornando qualquer teste mais realista. Esta é uma ótima maneira de verificar a capacidade de recuperação de máquinas virtuais, bem como preparar-se para mudanças críticas com confiança.

A realidade é que as empresas não precisam mais ser convencidas de que a virtualização de cargas de trabalho do data center é uma boa ideia. O desafio enfrentado é que as aplicações mais críticas, como o Exchange, podem não ter sido virtualizados ainda devido ao medo, custo ou até mesmo necessidade de investimento prévio em uma implantação física.

Hoje, as empresas estão trabalhando com o conceito de data center moderno (Modern Data Center) e seus benefícios já são bem claros e empresas de todo o mundo. Virtualizados, estes data centers oferecem 100% de disponibilidade (atendendo às demandas do “always on business”) e mitigam os riscos contando com altos níveis de proteção de dados. Para isso, oferecem recuperação em alta velocidade no caso da necessidade de reaver os dados e total controle aos gestores de TI, que podem verificar os níveis de proteção de forma constante.

Diante deste cenário, não há mais o que temer. Os recursos estão lá. As melhores práticas foram feitas. Agora é a hora de perceber os benefícios da virtualização.

* Ricardo Apud é gerente regional de vendas da Veeam, fornecedora de soluções de proteção para o Data Center Moderno