Empresa do vestido azul e preto já foi acusada de trabalho infantil escravo

Por Redação | 04 de Março de 2015 às 11h33

O famoso vestido preto e azul, que outros enxergavam branco e dourado, que fez sucesso na internet na semana passada está envolvido em outra polêmica, segundo informações do Business Insider.

Em 2007, a Roman Originals, que comercializa a peça de roupa, foi investigada pelo jornal inglês The Observer sob acusações de trabalho escravo. A loja é uma das varejistas com sede no Reino Unido que contratavam os serviços de uma fornecedora na Índia.

O jornal inglês afirmou que, durante uma viagem investigativa, encontrou dezenas de crianças juntas em um local apertado produzindo as roupas. Ele também cita que, em um certo momento, elas estavam fabricando um vestido de verão que na época esteve à venda por cerca de US$ 26. O jornal ainda comenta sobre um garoto que desabafou dizendo que o trabalho é duro e as suas costas doem de ficar agachado sobre o material.

Em um comunicado, a Roman Originals afirmou que cancelou o seu contrato com o fornecedor logo depois de ter conhecimento das acusações.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.