Top Tech 8 / 29 vídeos

10 modinhas que dominaram a internet em 2017 [Top Tech]

11:55 | Por Patrícia Gnipper | 27 de Dezembro de 2017

Final de ano chegando, e com isso vêm as confraternizações familiares. Sim, aquela fatídica ceia natalina, quando você só queria comer até explodir, mas acaba tendo que lidar com "e as namoradinhas?" aqui, e comentários acolá a respeito de um primo que, na sua idade, já é mais bem sucedido do que você.

Mas como pode pegar mal se manter anti social no meio da parentaiada que você provavelmente só encontra uma vez por ano, a gente veio aqui te ajudar a puxar assunto com a galera, desviando daquelas opiniões não solicitadas sobre sua vida pessoal. Se liga na lista com as 10 coisas que viraram verdadeiras modinhas na internet em 2017, e dê uma de quem é mesmo muito antenado a tudo o que acontece no mundo virtual.

1) Fidget Spinner

Acho que é seguro dizer que o gadget que fez o maior sucesso em 2017 foi o fidget spinner, aquele aparelhinho giratório de aparência estranha que serve para aliviar o estresse. Como ele funciona? O brinquedo tem em sua parte central um rolamento ligado a pelo menos três extremidades que giram em torno desse centro. E é basicamente isso mesmo: enquanto você fica girando essas extremidades com o objeto entre seus dedos, a ideia é que o nervosismo do dia a dia vá embora.

Mas o que nem todo mundo sabe é que o fidget spinner foi criado em 1993 por uma engenheira norte-americana que só queria dar um jeito de acalmar suas crianças encapetadas. Um protótipo saiu do papel, e a moça até procurou fabricantes de brinquedos para produzir em massa sua invenção, só que ninguém deu bola na época. Mal sabiam eles que, 24 anos depois, a coisa se tornaria uma verdadeira febre mundial.

O fidget spinner chegou a ter modelos diferentes ocupando quase a lista inteira dos 20 brinquedos mais vendidos na Amazon, e até mesmo as versões virtuais da brincadeira estouraram na Play Store, sendo que um dos apps chegou a constar no primeiro lugar de aplicativos gratuitos mais baixados. Além disso, o termo "fidget spinner" consta na retrospectiva de palavras mais buscadas no Google em 2017, e, ao pesquisar pelo termo no buscador da gigante, um simulador do spinner ainda aparece no topo dos resultados.

2) Pabllo Vittar

2017 foi o ano de Phabullo Rodrigues da Silva, mais conhecido como Pabllo Vittar. O cantor e compositor chegou à fama como uma drag queen babadeira que já começou a ficar conhecida até mesmo na gringa, depois de ter participado de uma música e videoclipe com Anitta, em parceria com Major Lazer. Mas se você ainda tem dúvidas de que Pabllo está em alta sim, "eu vou jogar bem na sua cara" que a modinha ao redor dela está tão consolidada que a artista está estampando as embalagens comemorativas de Natal da Coca-Cola (e vamos combinar que isso não é para qualquer um).

O YouTube da Pabllo já tem mais de 3,5 milhões de inscritos, e a cantora atinge o sucesso superando toda uma vida de bullying sofrido por conta de seus gestos delicados e uma voz fina que pode até ser capaz de estourar alguns vidros por aí. No iTunes, seu primeiro álbum de estúdio chamado "Vai Passar Mal" ficou na terceira posição do ranking brasileiro em sua semana de estreia, e o disco também bateu recordes em serviços de streaming, fazendo de Pabllo Vittar a primeira artista drag da história a ter pelo menos um milhão de execuções em cada faixa do álbum.

3) Superzoom do Insta

Mark Zuckerberg não brinca em serviço, e deixou isso bem claro quando decidiu lançar os Stories no Instagram com o objetivo de derrubar o rival Snapchat, depois que a empresa recusou uma proposta de aquisição do Facebook. A coisa já estava dando muito certo para o tio Zuck, mas em outubro um novo recurso dos Stories surgiu e se tornou uma modinha instantânea, e, pelo menos até então, nada indica que será passageira.

Estamos falando do Superzoom, que cria efeitos dramáticos à sua história com trilha sonora e tudo. A moda pegou porque qualquer cena fica hilária com o efeito aplicado, desde um gatinho olhando para o nada, até aquela pessoa na praça de alimentação que está com uma alface presa no dente.

4) Sarahah

Anos atrás, o Secret foi o app anônimo que mais "causou" na época. Já em 2017, a ideia de se enviar recados anônimos por meio de um aplicativo para seus amigos voltou à moda com o Sarahah, que reacendeu a polêmica. O app de origem árabe rapidamente se tornou um dos mais populares na Play Store e App Store nos Estados Unidos, caindo nas graças dos brasileiros logo depois.

Enquanto o Secret exibia uma timeline com venenos aleatórios publicados ali, o Sarahah se diferenciou por permitir o envio de mensagens diretas para seus alvos, sem direito de resposta. A discórdia rolou solta, já que muita gente aproveitou o anonimato para praticar cyberbullying sem medo das consequências. O app chegou a ser chamado de "um campo fértil para o ódio" por aí, mas, para o alívio geral, a modinha esfriou rapidinho.

5) Gemidão do ZAP

Quem nunca pregou uma peça em um amigo ou colega de trabalho, que atire a primeira pedra. Ou, no caso, o primeiro "gemidão do ZAP", como ficou conhecida a brincadeira de gosto duvidoso que, na verdade, surgiu no ano passado, mas se tornou uma verdadeira modinha somente em 2017. A mensagem de voz chegou para uma imensidão de pessoas disfarçada de qualquer outra coisa e, ao abrir o áudio, a pessoa passava um vexame daqueles caso não estivesse usando fones de ouvido. Isso porque a mensagem era nada menos do que um trecho de um filme pornográfico recheado de gemidos escandalosos.

A coisa ficou fora de controle quando funcionários começaram a ser penalizados, e teve até gente perdendo o emprego por ter caído na pegadinha. Teve também político abrindo a mensagem de voz no WhatsApp durante eventos públicos transmitidos pela TV, gemidão invadindo telejornais ao vivo, e até quem tatuou uma versão escrita do gemidão, eternizando a modinha em suas peles.

6) Litrão

A cerveja de litro não é exatamente uma novidade, mas, em 2017, o litrão viralizou nas redes sociais, rendendo memes, xavecos e uma modinha e tanto. "Me chama pra tomar um litrão" acabou virando praticamente sinônimo de chamar alguém pra sair, com ou sem segundas intenções. Tudo isso para a angústia dos cervejeiros mais exigentes, que torcem o nariz para as cervejas à base de milho, falando que isso não é "cerveja de verdade".

Mas o litrão está tão na moda que surgiram até mesmo aplicativos para celular que ajudam o consumidor a descobrir onde comprar o litrão mais barato nos bares próximos à sua localização atual. E aí, bora tomar um litrão com a gente?

7) LDRV e suas gírias

Para quem não vive no país chamado internet, mais especificamente na cidade chamada Facebook, existe um grupo chamado LDRV, que significa "Lana Del Rey Vevo". O grupo, inicialmente criado para reunir fãs da artista, acabou de tornando a maior incubadora brasileira de memes e relatos para lá de bizarros dos últimos anos.

Foi lá que surgiu o meme da Inbonha no ano passado, que mostrava nomes completamente absurdos e sem sentido para os personagens da Turma da Mônica, por exemplo. Em seu auge, o grupo contabilizou mais de 1 milhão de membros, com dezenas de posts sendo liberados por segundo. Além de memes e bizarrices, por lá rolaram mil tretas entre fãs de divas pop, fazendo do grupo uma verdadeira modinha do ano.

E essa modinha aconteceu porque, apesar de o conteúdo do grupo ser exibido somente para membros, boa parte da infinidade de posts hilários publicados por lá acabou sendo replicada em páginas e perfis públicos, fazendo a coisa toda viralizar rapidinho. E essa viralização toda se estendeu para além do Facebook, com hashtags relacionadas ao grupo aparecendo nos Trending Topics do Twitter.

A febre foi tanta que, apesar de os membros do LDVR serem em sua maioria parte da sigla LGBT, muita gente hetero aderiu à modinha, causando uma treta cabulosa porque, para quem tinha o grupo como sua segunda casa na internet, a essência daquele espaço acabou se perdendo. Então, em outubro, criaram um grupo VIP chamado LDRV: Eden, deixando o antigo ativo como um depósito de lembranças.

De qualquer maneira, uma herança do LDRV que consta como uma das maiores modinhas de 2017 foram algumas gírias que, hoje, são usadas por pessoas que não fazem a menor ideia de que esse grupo existe. "Embuste" serve para descrever aquela pessoa lixo que só faz cagada, e você pode chamar qualquer pessoa mentirosa como sendo "de Taubaté", inspirado naquela história da grávida fake. "CSI" são as pessoas que manjam tanto da arte do stalk que se tornam detetives de respeito, enquanto você pode usar somente uma "@" quando quiser falar de alguém sem dizer seu nome. Quando gostar muito de alguma coisa, pode dizer que aquilo é um "hino", e, quando quiser perguntar algo muito aleatório ou constrangedor, pode alegar que "é pro meu TCC".

8) Enzo e Valentina

Qual o nome do seu Enzo? Daqui a pouco já vai dar para fazer essa pergunta quando quiser saber o nome do filho de alguém, de tanto que o nome Enzo se destacou em 2017. E a modinha pegou de vez na internet, rendendo piadas como essa que a gente acabou de fazer, muito graças à lista de chamada de uma turma do 1º ano do Ensino Médio de uma escola do Pará, que exibia nada menos do que sete Enzos, além de uma Valentina, nome apontado como a alternativa feminina para o nome Enzo, mais ou menos como um João e Maria 2.0. Hilariamente, a tal Valentina era irmã de um dos Enzos da lista, e a piada pronta tomou conta das redes sociais.

9) Tattoos feias

O que até então era chamado de "tatuagem de cadeia", em 2017 virou moda e até mesmo símbolo de status. Muita gente começou a ostentar suas tattoos feias nas redes sociais como sendo um novo estilo, permitindo que tatuadores sem muito talento conseguissem ganhar um dinheiro neste ano. Foi o caso de Helen Fernandes, que, nas redes sociais, ficou conhecida com o nome de "Malfeitona".

A tatuadora brasileira declarou, sem medo de represálias, que não sabe mesmo desenhar, mas, ainda assim, viu sua agenda ficar cheia de clientes que queriam uma tattoo malfeitona em seu corpo. Personagens da cultura pop "tosca", como o Dollyinho, por exemplo, são alguns dos preferidos dessa galera, e, segundo a tatuadora, seus rabiscos têm influência na cultura nerd e também em, obviamente, memes. E você acha que as tattoos feias são tendência somente no Brasil? Pois fique sabendo que lá fora também existem tatuadores especializados na técnica "malfeitona" adotada pela brasileira.

10) Terraplanismo

Na antiguidade, acreditava-se que a Terra era plana, e teve cientista sendo preso e morto por ousar afirmar que o nosso planeta, na verdade, era redondo. Mas nomes históricos como Pitágoras, Aristóteles e Eratóstenes bateram o pé no chão quanto ao formato esférico da Terra, no período entre alguns séculos antes e depois de Cristo. Acontece que, mesmo em 2017, ainda existem pessoas adeptas do Terraplanismo.

A coisa já vinha retomando fôlego desde o século XIX, e a internet com as redes sociais serviu para impulsionar esse conceito antiquíssimo a uma nova geração. E o Terraplanismo explodiu em 2017, com uma quantidade preocupante de pessoas compartilhando estudos pseudocientíficos por aí para justificar seus argumentos. O assunto virou pauta de discussão em eventos realizados em todo o globo (risos), e a mídia se viu, em pleno ano de 2017, precisando publicar matérias para explicar por que o Terraplanismo simplesmente não faz sentido.

Só que ainda assim o conceito está bombando em redes sociais e também no YouTube, onde podemos encontrar uma imensidão de vídeos a respeito. O assunto dominou geral a ponto de o grupo hacker Anonymous ter, em junho, defendido a Terra Plana em um vídeo na plataforma, contestando tudo o que a ciência moderna afirma ser verdadeiro. E mesmo com o eclipse solar que aconteceu em agosto, os defensores do Terraplanismo seguem ativos, com a ideia reforçada até mesmo por celebridades, como foi o caso do rapper norteamericano B.o.B, que criou uma campanha no GoFundMe para levantar uma grana e provar cientificamente que a Terra é mesmo plana. Isso vai acontecer (se ele conseguir pelo menos US$ 200 mil) com o envio de satélites ao espaço, sem nenhuma ligação com governos ou agências espaciais, que estariam todo esse tempo mentindo para a população.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.