Comparativo 231 / 233 vídeos

Melhores smartphones acima de R$ 1.500 reais em 2019

24:48 | Por Sérgio Oliveira | 01 de Novembro de 2019

O fim do ano e a Black Friday estão se aproximando e para muita gente essa época do ano é ideal para comprar um smartphone novo. E isso acontece não apenas pelos descontos e promoções que tomam conta do varejo nacional e e-commerce, mas também porque tudo o que tinha de ser lançado no ano, já foi lançado, e há boas opções para todos, independentemente de o perfil ser básico, intermediário ou topo de linha.

Falando nisso, hoje o Canaltech preparou esta lista com os 6 melhores smartphones topo de linha de 2019 para ajudar você que está disposto a investir uma grana alta em um aparelho de ponta, recheado de recursos exclusivos, e que deve dar conta das suas exigências por um bom tempo.

1. Galaxy Note 10+

Para muita gente, o Galaxy Note 10+ é o melhor smartphone que a Samsung já fabricou em seus 50 anos de história. Tudo o que você imaginar de mais recente em tecnologia mobile, este aparelho tem.

A tela Dynamic AMOLED de 6,8 polegadas se estende não só por toda a parte frontal do aparelho, mas também pelas suas laterais e tem a maior resolução do mercado: 3040 x 1440 pixels. Na parte de cima, há um pequeno punchole para acomodar a câmera para selfies com sensor de 10 megapixels e abertura f/2,2.

Virando o aparelho de costas, dá para ver que ele foi construído todo em vidro Gorilla Glass 6 e tem bordas de aço, conferindo aquele aspecto premium esperado de um produto assim. Estão nessa parte de trás nada menos que quatro câmeras: uma principal de 12 megapixels e com estabilização óptica embutida; uma teleobjetiva também com sensor de 12 megapixels, estabilização óptica e zoom óptico de 2x; uma objetiva grande angular com 16 megapixels e uma câmera TOF de 0,3 MP para desfocar o fundo das fotos e dos vídeos (de até 2160p a 60 FPS com HDR). É especificação suficiente para fazer ensaios fotográficos profissionais de alta qualidade.

Por dentro, o Galaxy Note 10+ comercializado no Brasil vem equipado com processador Exynos 9825 de oito núcleos que rodam a até 2,73 GHz, na menos que 12 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento interno (podendo ganhar mais 1 TB via cartão microSD). A bateria, por sua vez, tem nada menos que 4.300 mAh de capacidade e suporte a carregamento rápido de 45 W. É como se você andasse com um computador portátil dentro do bolso tamanha a potência.

Para muitos, este é o smartphone dos sonhos e ele cobra o seu preço: R$ 5.399.

(Foto: Reprodução/CNET)

2. Galaxy S10+

O Galaxy S10+ pode ser considerado um aperitivo do que a Samsung estava aprontando para o Galaxy Note 10+, compartilhando com seu irmão mais parrudo alguns recursos interessantíssimos, mas custando bem menos que ele — ainda mais agora no fim de 2019.

Por fora, o Galaxy S10+ apresenta tela Dynamic AMOLED de 6,4 polegadas com a mesma resolução do Note 10+: 3040 x 1440 pixels. Ela também se estende por praticamente toda a parte frontal do gadget, com exceção do canto superior direito, onde há um buraco considerável para acomodar as duas câmeras para selfie: uma principal com sensor de 10 megapixels e outra que faz as vezes de sensor de profundidade com 8 megapixels.

O Galaxy S10+ também traz corpo todo construído em vidro com proteção Gorilla Glass 6 e bordas de alumínio. Na parte de trás, o aparelho conta com três câmeras dispostas horizontalmente: a principal tem sensor de 12 megapixels e estabilização óptica embutida, o que também acontece com a teleojetiva de 52mm, que é capaz de zoom de 2x; já a terceira, grande agular, vem com sensor de 16 megapixels. O conjunto é capaz de fazer filmagens em 4K e a 60 FPS, além de contar com recursos de IA que dão dicas de como melhorar a composição para fazer fotos melhores.

Para fechar, por dentro o Galaxy S10+ vem equipado com processador Exynos 9820 de oito núcleos que podem operar a até 2,7 GHz, opções de 8 GB e 12 GB de memória RAM e 128 GB, 512 GB ou 1 TB de armazenamento interno. A bateria para sustentar isso tudo tem 4.100 mAh de capacidade e é compatível com carregamento rápido de 25W.

São especificações de sobra e que devem agradar quem quer ter um topo de linha, mas não tem como desembolsar os R$ 5.400 por um Note 10+, mas não veem problema em pagar R$ 3.510.

(Foto: Canaltech)

3. Huawei P30 Pro

Se já estava ficando impressionado com as câmeras dos smartphones listados até aqui, tenha calma que o melhor vem agora. A Huawei causou um verdadeiro reboliço quando lançou o P30 Pro, muito disso por conta do conjunto de quatro câmeras LEICA presentes na parte de trás do aparelho, consideradas por muitos como as melhores do mundo.

A principal vem equipada com um sensor de nada menos que 40 megapixels, periscópio e estabilização óptica, enquanto a teleobjetiva de 8 megapixels tem abertura f/3,4 e capacidade de zoom óptico de até 5x; a grande angular, por sua vez, tem sensor de 20 MP; enquanto o sensor TOF 3D fica responsável por aquele fundo desfocado em fotos e vídeos. Para quem curte selfies, a câmera frontal também não decepciona: são 32 megapixels para fazer fotos com HDR e gravar vídeos Full HD a até 30 FPS.

Falando em parte frontal, a tela OLED do P30 Pro tem 6,47 polegadas mas "apenas" 2340 x 1080 pixels — ficando abaixo dos concorrentes da Samsung. Por dentro, ele não decepciona e vem equipado com processador Kirin 980 de oito núcleos, que operam a até 2,6 GHz, 8 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento interno. A bateria tem 4.200 mAh de capacidade e suporte a carregamento rápido de 40W, indo de 0 a 70% em cerca de 40 minutos.

Com tudo isso, você poderá fazer excelentes fotografias, consumir muitos arquivos multimídia e ainda jogar games como Call of Duty Mobile, PUGB Mobile, Fortnite e Free Fire no talo, sem qualquer engasgo. O Huawei P30 Pro pode ser encontrado por a partir de R$ 4.350 no varejo online.

(Foto: Reprodução/CNET)

4. Xiaomi Mi 9

Ainda falando em smartphones chineses, bora falar de Xiaomi, que todo mundo gosta. Na lista de 7 melhores smartphones intermediários de 2019, indicamos o Mi 9 Lite, uma versão mais modesta, digamos assim, deste daqui: o Mi 9.

Embora traga todos os recursos que um smartphone topo de linha tem direito atualmente, o Mi 9 se destaca mesmo por seu conjunto de câmeras e pelo processador. Estamos falando aqui de três câmeras muito competentes, que fazem excelentes registros em boas condições de luz, com cores intensas, e um modo noturno que dá uma boa clareada nas coisas. O conjunto vem com câmera principal de 48 MP, uma teleobjetiva de 12 MP com zoom óptico de 2X e uma grande angular de 16 MP com ângulo de 117º. Na parte da frente, o sensor de 20 MP captura bons detalhes com coloração calibrada e foco rápido automático.

Falando do processador, o Mi 9 vem equipado com um Snapdragon 855 de oito núcleos de até 2,84 GHz, capaz de entregar desempenho de sobra em tarefas extremas. De quebra, a GPU Adreno 640 é capaz de entregar imagens 4K HDR à tela do dispositivo, embora este smartphone venha com um display Super AMOLED de 6,39 polegadas de 2340 x 1080 pixels de resolução. Apesar disso, ela se sai muito bem em tarefas bem distintas, como ler notícias, assistir filmes e jogar, entregando cores vibrantes e bons níveis de contraste.

Para fechar, este smartphone vem com 6 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno. Se você achou isso pouco, então vai ter de se acostumar, já que o smartphone não tem suporte a cartões microSD, sendo este seu principal defeito. Se isso não for um problema para você, o Xiaomi Mi 9 pode ser comprado por R$ 2.000.

(Foto: Divulgação/Xiaomi)

5. iPhone 11 Pro

Digamos que você não é chegado a smartphones Android e quer sempre ter a mão o modelo mais novo do iPhone. Se for esse o caso, dos três modelos de iPhone 11 que a Apple lançou em 2019, o que mais vale a pena comprar é o iPhone 11 Pro.

O que chama atenção aqui é a tela OLED deste aparelho: com apenas 5,8 polegadas, ela é a menor desta lista e a mais recomendada para você que não gosta de andar por aí com um smartphone tijolão. Apesar do tamanho reduzido, ela entrega 2436 x 1125 pixels de resolução, totalizando 463 pixels por polegada — ou seja, as imagens são muito bem definidas. O que pode incomodar alguns usuários é a presença do notch gigantesco na parte superior do display para acomodar a câmera frontal de 12 MP (capaz de gravar em [email protected]) e outros sensores.

Falando em câmera, outra característica do iPhone 11 Pro que o diferencia do iPhone 11 são as três câmeras na traseira. Estamos falando de uma objetiva principal com estabilização óptica e sensor de 12 megapixels, outra teleobjetiva com mais 12 MP e capacidade de dar zoom óptico de 2X e uma câmera ultrawide com mais um sensor de 12 megapixels. Um detalhe interessante é que as três câmeras podem operar ao mesmo tempo para capturar o que muitos dizem ser os melhores vídeos 4K a 60 FPS da atualidade — tanto é que Selena Gomez filmou todo um videoclipe usando apenas o iPhone 11 Pro.

Grande parte dessa mágica é merito também do processador A13 Bionic da Apple, que vem equipado com seis núcleos que podem alcançar clock de até 2,65 GHz. Ao lado dele estão 4 GB de memória RAM, opções de 64 GB, 256 GB e 512 GB de armazenamento interno (sem possibilidade de expansão) e bateria de 3.046 mAh. Parece pouco? Sim, principalmente diante das demais opções desta lista, mas são mais que suficientes para manter o aparelho longe da tomada um dia inteiro graças à excelente integração que existe entre o hardware e o software da Apple.

E quanto custa essa brincadeira toda? No mínimo R$ 7.200, de longe o maior defeito de qualquer iPhone.

(Foto: Reprodução/Expert Reviews)

6. OnePlus 7 Pro

De volta ao Android, o OnePlus 7 Pro é uma opção interessante para você que está em busca de algo, digamos, diferente. De todos os smartphones da lista, ele é o único cujo display — feito de AMOLED Fluido, com 6,67 polegadas e 3120 x 1440 pixels de resolução — ocupa toda a parte frontal, sem intereferências. Que mágica é essa?

É que a câmera frontal do OnePlus 7 Pro é retrátil e fica escondida dentro do aparelho, na parte superior. Quando você quer fazer uma foto com ela, um motorzinho "expulsa" ela e tcharam! O sensor é de 16 megapixels, com capacidade para gravar vídeos Full HD a 30 FPS. Na parte de trás, há três câmeras: a principal de 48 MP, com estabilização óptica e bom aproveitamento da iluminação; uma teleobjetiva com zoom de 3X e sensor de 8 megapixels; e uma grande angular de 16 megapixels.

Outro destaque é que esse aparelho é todo construído em vidro e tem suas bordas fabricadas em alumínio, para compensar o peso do motorzinho da câmera pop-up, que é bem complexo e "custoso", vamos dizer assim. Custoso porque mesmo com essa preocupação, o OnePlus 7 Pro pesa 206g, o que pode causar estranheza em quem está acostumado com aparelhos levinhos.

Para finalizar, dentro desse corpo temos o mesmo processador usado no Mi 9, o Snapdragon 855, e versões com 8 GB ou 12 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento interno, ou 6 GB de RAM com 128 GB de armazenamento interno. É poder de fogo suficiente para rodar aplicações e jogos pesados sem engasgos, mas que custa caro: R$ 4.500.

(Foto: Reprodução/Pocket-Lint)

Menção honrosa: Google Pixel 4

Quer surfar na crista da onda do Android? Então não tem para onde correr: seu smartphone precisa ser o Google Pixel 4. Fabricado pelo próprio Google, o aparelho já vem de fábrica com o novíssimo Android 10 e um punhado de recursos exclusivos pensados pelas mentes de Mountain View.

Um dos mais legais é o Motion Sense, um sistema de navegação por gestos que em vez de usar imagens da câmera usa um sistema de localização dos gestos por radar. Também há o Recorder, um app nativo do smartphone que promove transcrição de áudio em tempo real localmente, sem precisar de acesso à internet — algo excelente para profissionais de comunicação e acadêmicos.

Além disso, o Pixel 4 se destaca por ser o primeiro smartphone do Google a vir com câmera dupla: uma de 12,2 MP e outra teleobjetiva com estabilização óptica, zoom óptico de 2X e sensor de 16 megapixels. A gente sabe que isso parece pouco diante de todas as outras opções da lista, mas o que impressiona são os recursos embutidos nesse sistema. O Pixel 4 é compatível com Live HDR+, que permite ver o resultado de uma foto HDR antes mesmo de tirá-la; isso sem contar na atualização do modo Night Sight, que agora tem exposição de longo prazo, e controle individual de contraste e brilho.

Para além disso, o Pixel 4 se parece bastante com seus concorrentes: a tela P-OLED tem 5,7 polegadas e 2220 x 1080 pixels de resolução, o processador é um Snapdragon 855, são 6 GB de memória RAM e opções de 64 GB e 128 GB de armazenamento interno.

No fim das contas o que pega de verdade é que o aparelho não é vendido oficialmente no Brasil, sendo encontrado apenas nos EUA por US$ 799 na versão com 64 GB de armazenamento.

(Foto: Reprodução/CNET)

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.