Análise de Produto 313 / 352 vídeos

UMi Plus E [Análise / Review]

10:25 | 08 de Agosto de 2017

Aperfeiçoar um modelo específico de smartphone talvez não seja uma das tarefas mais fáceis, mas o UMi Plus E nos dá uma boa visão de como isso funciona. Nós recebemos este belo dispositivo da Banggood e contamos agora tudo o que você precisa saber antes de comprá-lo.

O APARELHO

O UMi Plus E segue o visual do modelo anterior, porém é comercializado numa cor preto fosco. O material utilizado em sua construção é o alumínio “Series 6000”, com exceção do topo e da parte inferior que são de plástico.

Sem nenhum exagero estético, o aparelho é bem confortável de ser segurado. A estrutura metálica de cantos arredondados combina com a tela 2.5D, enquanto que os botões estão da seguinte maneira:

  • Os de volume e liga/desliga estão na lateral direita;
    Na esquerda temos um botão para determinar um atalho rápido para ações ou iniciar algum app.
  • Ainda existe um botão físico pressionável, onde fica o nem sempre tão preciso leitor biométrico dele. Você também pode tocar uma vez nesse botão para o gesto “voltar”.

Mas existem outros dois “invisíveis”: ao lado do botão início existe um botão de “voltar”, enquanto que no oposto temos um que abre os menus do sistema. E, sim, eles são invisíveis, tornando o visual do aparelho ainda mais minimalista.

Mas se você não gosta dessa aposta em botões invisíveis, nos ajustes é possível exibir os botões virtuais do sistema.

Pesando 185 g com ~8.8 mm de espessura, o que temos no UMi Plus E é uma construção sólida e bonita. Os botões são firmes, e o único ponto de possível alerta de fragilidade está na câmera, que fica um pouco saltada.

Ainda temos aquele LED para notificações que pode ser personalizável em até três cores. Nós só achamos que ele não se diferencia muito dos outros smartphones da marca, e ficou faltando, talvez, alguma proteção contra água. Este não é um ponto crítico da análise, mas que seria interessante, ah, seria.


DISPLAY E MULTIMÍDIA

Assim como em outros celulares da marca, temos uma tela LTPS da Sharp de 5,5” Full HD (1920 x 1080p@403ppi). Ele traz proteção T2X-1 Glass contra riscos, solução esta não muito conhecida ao redor do mundo, mas que promete ser tão boa quanto outras.

Antes de falarmos sobre a qualidade em si, nas configurações do sistema você pode calibrar o contraste, saturação, brilho, nitidez e temperatura da cor. Isso graças à tecnologia MiraVision, presente no chip da MediaTek.

Ainda temos aquele velho problema dos painéis IPS LCD não atingirem tons escuros com mais precisão. A não ser por este fato, a qualidade e contraste das cores não são nada questionáveis, sendo este um ótimo atrativo.

Premeditadamente, talvez, a tela do UMi Plus E segue um outro padrão: o brilho é ótimo e ajuda na visualização sob luz solar, mas incomoda em ambientes pouco iluminados por ser forte demais.

Por outro lado, o nível de reflexo dessa tela também é ligeiramente alto. Nada preocupante, tampouco alarmante, visto que o brilho acaba auxiliando a exibição do conteúdo nesses momentos.

O alto-falante dele fica na parte inferior, numa posição já conhecida por vocês. A qualidade sonora não melhorou muito em relação ao UMi Plus tradicional, embora seja razoável. O ponto de destaque vai para o uso com fones de ouvido, já que ele é compatível com a tecnologia Hi-Fi.

ESPECIFICAÇÕES

A UMi conseguiu dar vida a mais um monstro. O UMi Plus E chega com “somente” 6 GB de RAM, dando início a uma era onde os smartphones Android estão cada vez mais robustos. Bem como outros celulares da marca, ele fica muito bem alinhado na questão custo-benefício em relação ao hardware e preço.

  • Chipset MediaTek Helio P20 octa-core (2,3 GHz);
  • Mali-T880 MP2 900MHz;
  • 6 GB de RAM;
  • 64 GB de armazenamento interno (~53 GB livres).

O UMi Plus E, infelizmente, traz uma gaveta híbrida. Ele permite a expansão da memória com microSD de até 256 GB, mas utilizar dois chips e fazer isto é impossível.

Nós também realizamos os tradicionais testes de benchmark para mensurar o poder de processamento do smartphone, e agora você confere os resultados.

USABILIDADE E DESEMPENHO

Realmente fica difícil bater de frente com o UMi Plus E. O smartphone carrega uma identidade bastante firme e ótimas especificações, fazendo com que o seu desempenho seja acima do satisfatório até para um usuário mais hardcore.

Ele roda o Android 6.0.1 Marshmallow de fábrica, mas a versão normal do modelo já está recebendo o Nougat. A interface utilizada pela UMi é simples, mas traz alterações positivas e negativas ao mesmo tempo.

Temos uma gaveta para aplicativos, onde você pode organizar todos os seus ícones. Os apps pré-instalados estão em pouca quantidade, mas não podem ser desinstalados. Eu sei, isso é um saco!

O aparelho tem memória suficiente para você se virar sem um microSD, e em termos de desempenho não existem reclamações: é tudo muito fluido. Existem uma série de ajustes no menu ‘Configurações’, que é exatamente onde estão as principais mudanças do software.

Rodar games pesados também não é nenhum problema. Títulos como Asphalt 8, GTA: San Andreas, Unkilled e outros rodam tranquilamente com os gráficos no máximo, e o gerenciamento de RAM também merece uma menção por aqui pelo bom desempenho.

CÂMERAS

Mais uma vez, chegamos num ponto crucial para a UMi. A empresa precisa melhorar em termos de qualidade nas câmeras, sendo este, de fato, o lado mais negativo do Plus E.

O dispositivo traz um sensor de 13 MP (f/2.0) que realmente não adiciona uma experiência rica de so. As fotos perdem nitidez, fazendo também com que o nível de contraste seja baixo, com cores longe da realidade. É o tipo de câmera que salva a sua vida na hora de postar as fotos no Instagram ou Facebook, mas não vai fazer milagre como nos topo de linha.

Na parte frontal você terá um sensor de 5 MP, que assim como na câmera principal, acaba não ajudando tanto assim o UMi Plus E.

Principalmente em lugares pouco iluminados, os dois sensores apresentam um alto nível de ruído, deixando boa parte dos detalhes imperceptíveis numa composição. No mais, o balanço de branco e foco tendem a se confundir quando você se movimenta rápido, o que é um tanto quanto desconfortável.

Mas, de qualquer maneira, o dispositivo ainda pode gravar em 4K, traz foco PDAF, flash true-tone e um modo manual que ajuda bastante quem curte mexer nesse tipo de coisa.


BATERIA E ACESSÓRIOS

No UMi Plus E nós temos uma bateria de 4.000 mAh, ilustrando uma outra semelhança entre os modelos da fabricante. Mas nota-se que esta é uma semelhança boa, tendo em vista sua autonomia estendida graças ao hardware potente, mas ao mesmo tempo econômico.

É nessas horas que a tecnologia CorePilot, da MediaTek, faz diferença. A tela do aparelho por ter resolução Full HD e não 2K, por exemplo, também é um motivo que auxilia bastante o celular da UMi.

Em nossos testes, utilizando o aparelho em streaming de vídeo conectado apenas ao Wi-Fi (e com brilho máximo), obtivemos uma descarga média de ~15%.

Vale citar, inclusive, que o carregamento rápido vai até os 75% de carga, e para completar a energia novamente você leva, normalmente, 100 - 110 minutos.

Nós retiramos o smartphone da tomada às 9h de uma terça-feira e fomos utilizando ele normalmente. O resultado disso foi que a sua bateria descarregou apenas ao meio-dia da quarta-feira, ou seja, ele ficou longe das tomadas por 27 horas.

Tratando-se de bateria, fica difícil se decepcionar com esta versão.

VALE A PENA?

Falta identidade visual própria para o UMi Plus E? Sim, falta. Ele lembra muito os outros celulares da fabricante chinesa, mas este visual é muito agradável. E, claro, o ele consegue entregar uma performance acima da média para smartphones nesta faixa de preço, considerando ainda os 6 GB de RAM que estão embarcados neste brinquedo.

O aparelho precisa ser importado, visto que não existe nenhuma distribuição oficial da UMi por aqui. Esse aspecto pode ser um certo incômodo para os usuários mais leigos, embora a qualidade do produto impressione, de fato.

No mais, o UMi Plus E se encaixa perfeitamente naquela categoria de “intermediários high-end”, se aproximando cada vez mais de modelos que custam o dobro do seu preço.