Análise de Produto 381 / 423 vídeos

TV Sony XBR65A1E: o som que "sai da tela" [Análise / Review]

07:53 | Por André Fogaça | 13 de Fevereiro de 2018
TUDO SOBRE

Sony

Você tem muito dinheiro, quer deixar a sala com ar de minimalismo e quer ainda surpreender seus amigos com o som que sai….da tela? Este cenário é pouco atendido no atual mercado de aparelhos de TV, mas este modelo da Sony, o XBR65A1E consegue cumprir com tudo. O som sai de dentro da tela, é minimalista, elimina bordas e custa bem caro. Mas será que vale a pena?

Minimalismo em um monolito

Monolito é a melhor forma de descrever esta TV da Sony. Não é a primeira vez que a marca japonesa brinca com o que pode eliminar da frente do usuário. Aqui, neste modelo você tem: tela. Quase que ponto final. Um painel de vidro escuro com bordas minúsculas e que são pretas. Minimalismo bateu até no nome da marca, que está no canto, muito no canto e em um local que certamente você não vai notar, se não estiver muito perto da tela.

Isso é a frente, com todo o restante morando atrás da tela. Lá você tem uma espécie de pedestal que serve para deixar o modelo apoiado em algum local. Há também a possibilidade de furar a parte e deixar por lá. Só pense muito bem como vai ficar a tela. Afinal de contas, ela tem quase 30 quilos de peso.

O apoio também serve como local onde serão presos todos os cabos e os falantes. Tudo atrás, deixando a frente apenas para o que você quer lá: conteúdo. Ah, claro, colocar em uma espécie de cavalete deixa a TV em um ângulo estranho, incomum para um televisor. Funciona e você pouco nota quando estiver em um sofá. Mas está lá.

Falando em cabos, este aparelho vem com quatro portas HDMI, três USB, saída P2 para áudio em outro local, há porta de rede RJ45, Wi-Fi, saída de áudio para cabo ótico, entrada de antena coaxial e também uma porta RS-232.

Minimalismo abandonado no controle

Se por um lado a TV abusa de minimalismo, deixando claro que a Sony passou muito tempo com seus engenheiros criando um visual mais limpo, por outro, está claro que este tempo gasto foi jogado fora no controle remoto.

Quando comparado com modelos que custam muito menos da metade do que a Sony cobra aqui, o controle morre. Há soluções muito mais inteligentes e minimalistas na Samsung e LG, que aprenderam que em um aparelho de TV de altíssimo custo, com ótimo design, o controle deve acompanhar este mundo. Um mundo que custa R$ 22 mil.

Qualidade de imagem acima da média

Estamos com um modelo super caro da Sony, com recursos bem interessantes. O primeiro é que, por mais caro que este aparelho seja, ele é um dos melhores em qualidade de imagem que já testamos aqui no Canaltech. Tudo que você espera de cores fortes de uma tela OLED, em belíssimo 4K e com capacidade de lidar bem com conteúdo em HDR10 (com possibilidade de Dolby Vision) que brilha forte por aqui. Menos do que vimos nas QLED da Samsung, mas está presente.

O som segue este padrão, com um truque pouco visto no mercado de aparelhos de TV: o som sai pela tela. Não há falantes apontados para você. Toda a magia acontece com esta barra na parte traseira, que vibra o display e, assim, cria o som que sai mais do meio da tela, não das bordas. Nem da parte inferior. E, fique tranquilo que a vibração da tela não é perceptível em momento algum.

A vantagem deste recurso, além da parte estética, é que como o som vem direto da tela, dá a impressão de que a voz realmente sai da boca do ator no filme. Algo que nenhum falante do mercado consegue criar.

Você deve pensar que a qualidade de som sofre por não ter graves. Você está certo, e é por isso que a Sony deixou um woofer no apoio da própria TV. Ele supre a falta de graves da tela. A solução foca em beleza, em design, não em qualidade de fato.

Encontramos qualidade superior de áudio em soundbars que estão cada vez mais comuns. Mas, se você quer um visual sem falantes em lugar algum, este é o melhor que você pode ter.

A magia do Google dentro da TV

Os fabricantes de TV ainda não conseguiram encontrar uma forma interessante e completa de criar um sistema operacional. A Sony resolveu deixar para o Google fazer isso e, neste modelo, colocou o Android TV em sua forma mais pura, linda e crocante.

Ele tem exatamente tudo que você espera de um Android TV: há apps que podem ser baixados, interface que funciona muito bem com o controle remoto e uma infinidade de opções de aplicativos que podem aparecer no futuro. Hoje, durante a gravação deste vídeo, já existem apps para Spotify, Netflix, Amazon Prime Video, YouTube, Deezer, GloboPlay, Play Música, Crackle, Play Filmes, HBO GO e se você quiser rodar seus próprios vídeos, há VLC, Plex e MX Player. É só baixar.

E, como estamos em uma plataforma padrão de mercado, por mais que a adoção ainda esteja tão lenta, é só esperar um desenvolvedor mostrar interesse e, pronto, um novo app estará lá para você. Algo raro, mas muito mais comum do que esperar que um canal de TV gaste dinheiro desenvolvendo para uma marca específica. Com Android TV ele desenvolve uma só vez para todo mundo que usa. De todas as marcas, incluindo até set top boxes com Android TV.

Eu sei que esta é uma plataforma de vídeos, mas há alguns games também e você pode se divertir com um controle bluetooth. É a melhor experiência? Não, mas está lá. É só usar, se você quiser.

Ah, como estamos com um Android TV instalado dentro desta TV, você tem um chromecast embutido e que funciona como qualquer outro Chromecast. É só encontrar o botão do cast e enviar para a TV.

Vale a pena?

Este é um aparelho de TV fantástico. Ele tem beleza que nem mesmo a The Frame da Samsung consegue chegar. Vem com Android TV, que é superior em tudo a qualquer outro sistema operacional para TVs do mercado. A forma de reprodução de áudio é bastante criativa, por mais que a qualidade sonora fique melhor em soundbars.

O problema é o preço. Todo este luxo e competência tem um preço e ele é alto. São R$ 22 mil por este modelo. Que faz sentido apenas para quem quer design e o melhor da qualidade. Tudo no topo do topo.

Se você está neste nicho, vale cada centavo. É o melhor aparelho de TV que você pode comprar. Se quer apenas qualidade de imagem e bom som, sugerimos então que você pense em uma OLED da LG ou QLED da Samsung, ambas muito mais baratas, com imagens incríveis e com soundbar que, mesmo comprado junto, sai mais barato do que a da Sony.

E ai, você concorda? Pensa diferente? Coloque aqui nos comentários. 

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.