Análise de Produto 380 / 425 vídeos

Samsung Gear IconX 2018 [Análise / Review]

05:46 | Por André Fogaça | 12 de Fevereiro de 2018
TUDO SOBRE

Samsung

O que começou como apenas uma resposta aos AirPods da Apple, é agora uma das melhores soluções para fones de ouvido pequenos, sem fios e que tem o nome, mais uma vez, de Gear IconX. Ele recebeu mais bateria e ficou mais confortável nesta segunda geração, mas até que ponto? 

Discreto e elegante

Os fones de ouvido literalmente sem fios chegaram recentemente, ganhando algumas melhorias agora em 2017 e 2018. O IconX lançado em 2017 é um dos melhores exemplos de como que uma fabricante entendeu os erros da geração anterior e melhorou quase que tudo nesta. Ele continua pequeno, confortável e firme no ouvido. Por mais que esta firmeza mude de usuário para usuário.

Comigo, dá pra balançar a cabeça e os fones ficam presos. Só em alguns momentos do dia o fone parece que vai soltar, dá um aviso sonoro dizendo que está mais frouxo, mas logo volta ao local e continua firme.

Quando não no seu ouvido, eles ficam numa caixa especial. A caixa, além de guardar pequenos fones que vão se perder pela vida, serve como bateria para recarregar a bateria dos fones, enquanto também permite o acesso ao espaço interno para músicas. Todo o acabamento dela é feito em um material mais aderente, quase que emborrachado.

Há dois pequenos LEDs que indicam se a bateria dos fones está carregando, ou se já está completa. Eles piscam quando há alguma sujeira entre os conectores dos fones e os carregadores, o que impede o carregamento correto dos fones.

Este problema era mais comum na geração anterior. Agora, como os fones encaixam com mais firmeza e ficam mais pressionados, são raros os momentos de problema na recarga.

Olhando para os fones, você tem duas pequenas peças que são das menos chamativas do que a geração anterior que você pode encontrar em fones de ouvido sem fio. Até seu maior concorrente, os AirPods da Apple, ficam muito mais chamativos. Se você estiver de capuz, ou cabelo longo, não é difícil esconder os fones enquanto estiver na rua.

Pro lado de qualidade sonora, a Samsung não tem os melhores fones de ouvido do mercado, e o IconX continua neste cenário. O som é bem balanceado sem deixar agudos exagerados, nem mesmo os graves menos presentes. Por ser intra-auricular, o fone fica mais pra dentro e isso deixa o som ainda mais alto e reforça alguns graves.

É distante do que o Bose SoundSport Free entrega, mas, sinceramente, eu senti a qualidade superior aos AirPods, da Apple.

Inteligente, mas limitado

O IconX é compatível com Android ou iOS, mas a experiência de uso fica extremamente diferente nas duas plataformas. Se você tem um Android, ele é bem mais completo e com mais funções. Uma das mais interessantes é a possibilidade de passar o som externo para dentro do seu ouvido, o que não te separa tanto assim do mundo e garante mais segurança ao andar pelas ruas.

Já no iOS, ele é apenas um fone de ouvido Bluetooth qualquer. Ele pareia, controla reprodução de mídia por toques no fone e chama a Siri. Só isso. Ponto final. Exatamente como os AirPods funcionam quando conectados ao Android, com a exceção de não permitir chamar o Google Assistente pelos AirPods.

A bateria deles é suficiente para algo perto de cinco horas de reprodução de música via streaming, ou chamada de voz. Você consegue quase uma hora extra de autonomia, se utilizar o espaço interno de 4 GB para colocar suas próprias músicas e reproduzir todo o conteúdo localmente. Ou seja, sem streaming do celular.

Uma vez na caixa, ela recarrega até uma hora de reprodução de som, em 10 minutos de espera. A bateria do case é o suficiente para carregar mais de uma vez os fones por completo.

Como você utiliza o fone de ouvido por alguns minutos por dia, meu teste foi neste cenário e eu não recarreguei o case (com os fones dentro) durante uma semana inteira

Esportes também por aqui, só que com menos recursos

Um dos recursos da primeira geração do IconX era a de ler batimentos cardíacos direto do fone, quando no seu ouvido. Agora este recurso está ausente, o que é bom para a autonomia da bateria, mas pode ser ruim para quem queria sair para correr apenas com o fone, sem celular ou relógio.

Por outro lado, ele continua registrando seus exercícios em caminhadas e corridas, enquanto alerta sobre a duração do exercício e a distância percorrida. Também te dá alguns incentivos ao te motivar a correr ainda mais.

É menos do que na geração passada, mas está aí. Ainda sincronizando com o Samsung Health, mas sem dizer se você teve um ataque cardíaco ou não.

Vale a pena?

O IconX chega em sua segunda geração com correção para o maior problema da primeira: bateria. Ela entrega mais do que o dobro de autonomia do que o primeiro modelo, com quase seis horas de música. Continua com espaço interno para colocar suas MP3 e reproduzir sem a necessidade de um celular pareado.

Removeu o leitor de batimentos cardíacos, mas ficou mais confortável e a caixa que carrega está mais compacta – por mais que o formato ainda esteja meio gordinho.

O único problema é o preço. No Brasil, ele custa R$ 1.499, um pouco salgado e mais caro até do que o preço oficial dos AirPods por aqui. Pode parecer errado, mas o IconX é o fone de ouvido sem fios mais completo do mercado. Faz sentido ele ser mais caro do que seu concorrente mais próximo. Até nos Estados Unidos é assim, com US$ 50 de diferença entre ambos.

Enfim, vale a pena para quem quer um fone com cara de futurista, que dura bem fora da tomada...mas pode ser caro demais para um fone de ouvido. Fica com você a escolha!

O que você acha? Vale? Coloca aqui nos comentários.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.