Análise de Produto 349 / 430 vídeos

Notebook Xiaomi Air 13, o Macbook chinês?

08:57 | Por Redação | 16 de Novembro de 2017
Tudo sobre

Xiaomi

O visual marcante do MacBook Air fez muita gente tomar o aparelho como referência, e isso inclui diversas fabricantes de Ultrabooks; porém a Xiaomi (aquela mesma que saiu do Brasil, deu no pé do nosso país), resolveu ir de ENCONTRO ao iPad Air com o Xiaomi Air (no caso, o modelo Air 13").

Começa agora mais uma análise aqui no Canaltech, mas antes disso um aviso; para que eu possa assinar essa análise aqui no Canal, é preciso deixar bem claro que este aparelho é importado, e não está a venda oficialmente no Brasil.

Se você pretende importá-lo, esteja ciente de que não existe garantia em território nacional para o modelo, e na entrada dele no país você será taxado, sendo o valor do imposto variável de acordo com frete, local de saída e critérios do fiscal da Alfândega, ficando a cargo dele taxar em até 60% do valor total pago pelo produto — NÃO É INVENÇÃO MINHA, é a legislação do país, e minha obrigação é avisá-los.

Este Ultrabook foi cedido para análise ao Canaltech pela GearBest, e há link parceiro do produto na descrição do vídeo para os interessados.

MACBOOK AIR DO ORIENTE

Primeira coisa que você notou: o Windows 10 instalado nessa máquina está todo em Chinês (cantonês, enfim); isso é uma característica do modelo que encontra-se a venda por aí: existe uma variante global e uma variante single-language, sem chance de mudança sem perder a licença original do Windows. No caso desse modelo que recebemos para testes, precisaríamos comprar uma nova chave do Windows para mudar o sistema para português numa instalação limpa.

Graças a isso, levamos o triplo do tempo necessário para fazer esse review; mas conseguimos com os tradutores do Google e da Microsoft instalados em nossos smartphones, auxiliando com o conteúdo tela-a-tela do sistema.

Vale a pena pagar mais caro na variante global do Ultrabook e garantir usabilidade sem um tradutor instalado no celular. E também garante tranquilidade para você na hora de digitar nele.

Se é um Ultrabook, traz alto rendimento para um Notebook. No caso da versão que recebemos para testes, temos um computador de 13.3" com as seguintes especificações:

- CPU Intel Core i5-6200U @2,30GHz

- GPU NVIDIA GeForce 940MX

- 8GB RAM DDR4 @2133 MHz

- SSD 256 GB

- WiFi AC Dual Band

- Bluetooth 4.1

Mas antes de saber como esse conjunto de especificações se comporta, olhemos com mais atenção ao corpo que abriga esses componentes.

O acabamento é praticamente plano, todo em alumínio, com notória robustez ao toque e à torções. As aberturas de ventilação e som ficam na parte de baixo do aparelho; mais aberturas de ventilação encontram-se entre a dobradiça do display e o corpo do notebook.

E falando nela, temos uma limitação física de abertura aproximada de 145º na mesma dobradiça; pode não ser um detalhe relevante para muitos, porém está aí.

Observando o resto do corpo do aparelho, temos ainda 2 entradas USB 3.0 padrão e 1 entrada USB-C, acompanhadas de uma saída HDMI e um conector de áudio de 3,5 mm. O peso total do conjunto é de quase 1,3 kg.

Tela, parte vital de um portátil. No caso de nossa unidade, temos uma tela IPS de 13.3" (1920x1080 pixel, 166 PPI), com acabamento brilhante, ligeiramente reflexivo do vidro que protege o display propriamente dito. Isso seria um ímã para digitais, porém podem ficar tranquilos - essa tela não é Touch. Como o modelo não é dobrável, provavelmente não fará falta o recurso.

Quanto às imagens exibidas, temos tons convincentes de preto, ligeiramente acima da média para telas do tipo LCD; as cores também são vívidas. O conjunto é capaz de exibir imagens com riqueza de detalhes muito compatível com notebooks/ultrabooks, ficando abaixo apenas de painéis com resolução 2K e/ou matriz AMOLED/OLED.

Os ângulos de visão são muito bons também, permitindo inclinações agradáveis para o usuário. O problema fica por conta do que citamos no início dessa seção - reflexividade. Na maioria dos ambientes internos é pouco perceptível, porém basta iluminar um pouco mais o local ou ter uma janela por perto para notar os problemas. Dessa forma concluímos a seção de "tela" do Xiaomi Air 13", deixando o modelo como um Ultrabook "OK" nesse quesito. Nem mais, nem menos.

A Webcam integrada é de qualidade suficiente para videochamadas, nada diferente do que espera-se para notebooks em geral. Ela possui 1 MP de resolução.

Adicionalmente, temos no aparelho alto-falantes AKG, e assim como o nome pode indicar temos uma qualidade sonora elevada para um dispositivo de colo como esse. O Air chega a ensaiar graves, e traz uma potência sonora considerável ao segurar a onda com as distorções que normalmente ocorrem ao subir o volume das reproduções. Acima da média, sem dúvidas - não substitui um bom headset ou sistema de som mais elaborado, porém deixa o usuário com um pacote de respeito para o som integrado de um computador portátil.

Alimentando o modelo temos uma bateria de 40 Wh, capaz de entregar um tempo de utilização entre 6 e 7 horas para uso moderado misto de navegação na internet. Assistir a filmes em alta resolução com brilho elevado ou jogar aquele Overwatch maroto consegue cortar esse tempo de uso pela metade.

Uma performance OK de bateria, mas esperávamos bem mais. Sabemos perfeitamente que a CPU e GPU instaladas nessa máquina cobram seu preço quando usadas com mais intensidade - é o ciclo da vida.

Para recarregar o aparelho, temos um "trambolhesco" carregador USB-C incluso, capaz de quase carregar completamente o portátil em 1h com sua injeção de carga rápida.

Finalmente, falemos da parte que muitos esperam numa máquina dessas: performance.

A começar pela CPU, temos nesse Intel Core i5 uma CPU de 15W (dual-core), com Hyper-Threading e Turbo boost de 2.7 GHz (27 W). A construção do modelo permite que ele esquente de forma controlada, evitando quedas de performance para arrefecimento forçado, trazendo essa potência toda de fato para o usuário. Porém vale lembrar que sob alta carga de trabalho a temperatura perceptível ao tato de quem digita/joga sobe consideravelmente, principalmente no centro do Ultrabook. As coisas não ficam acima dos 45º, porém vale notar esse detalhe como sempre.

Com os 8 GB RAM de presentes + SSD nativo, a performance do sistema mantém-se sem esperas e em alta velocidade, todo o tempo.

Nessa somatória, temos a GPU GeForce 940MX, um pouco abaixo do que contamos de disponível no mercado do final de 2017 (e falamos da GeForce MX150, com praticamente o mesmo desempenho, porém com melhor banda de memória e menor TDP se comparada a 940MX equipada em nossa unidade).

Para você que é fã de placas de vídeo e não achou um ponto de referência, temos uma performance parecida com a popular GeForce GTX 1050.

Isso diz que aquele Overwatch maroto roda no máximo? Não. Mesmo falando deste game extremamente otimizado e polido, temos quedas fortes para abaixo de 30/25FPS ao deixar os gráficos no topo (, sendo necessário o ajuste de texturas/reflexos/anti-alias para que que você consiga jogar. Games gordos e sedentos de recursos como Battlegrounds (capaz de sangrar até o mais gamer dos PCs) são considerados não jogáveis pela maioria. Esqueça "The Witcher 3" também.

A fórmula para boa parte dos games recentes que pode ser executada aqui é esperar gráficos no "médio-baixo" em praticamente todos eles, com resolução acertada para 1080p.

VALE A PENA?

Um Ultrabook com bateria razoável (mas que poderia ser melhor), uma performance de CPU sólida e média de GPU (sendo melhor que a maioria esmagadora dos Notebooks do mercado, porém claramente abaixo de inúmeros PCS), temos no Xiaomi Air 13" um aparelho com acabamento premium que não traz muitos floreios (como tela dobrável e biometria, sendo esta última parte do modelo mais recente do Air); porém o kit que temos nessa unidade que testamos aqui serve acima da média para um portátil, e assim classificamos ele num "limbo" onde ele é "acima da média" e "ok" ao mesmo tempo.

Preço? Aproximadamente US$860 para a versão com sistema chinês, preço esse condicionado às inúmeras promoções que chutam o preço de um lado para o outro na GearBest. 

Com esse preço temos na data deste vídeo um preço convertido em reais para aproximadamente R$ 2500 reais, sem tributação inclusa; essa você paga A MAIS, na chegada do produto ao Brasil, indo de R$ 200 a NO MÁXIMO R$ 1.500, dependendo do frete escolhido e do fiscal da alfândega responsável pela inspeção.

Ficou interessado? Você pode comprar o Air 13" agora mesmo.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.