Análise de Produto 356 / 443 vídeos

Nebula Mars: conheça o projetor portátil da Anker com áudio da JBL

06:14 | Por Redação | 30 de Novembro de 2017
Tudo sobre

JBL

Talvez eu esteja errado, mas muitos de vocês já devem ter imaginado a vida com um projetor, com aquela ideia maravilhosa de ter uma sala de cinema em casa. Hoje nós vamos falar um pouquinho sobre o Nebula Mars, um projetor portátil da Anker que promete imersão e interatividade sem precisar ficar o tempo todo na tomada.

Ah, e claro, ele também traz áudio da JBL, o que torna o conceito portátil ainda melhor.

IS THERE LIFE ON MARS?

O mercado de entretenimento tem investido forte em novos dispositivos para atrair os consumidores. Sejam smartphones com telas maiores e mais imersivas, ou até caixinhas de som potentes que se acoplam aos aparelhos. Mas, indo além, ainda temos os projetores, que seguem firme na busca por um espacinho na sua sala de estar.

Só que este não é especificamente o caso do Nebula Mars. O projetor portátil da Anker é uma peça pequena com formato robusto e traz uma porta USB 3.0, uma entrada auxiliar de 3.5 mm e, por fim (além da entrada para energia), uma porta HDMI 2.0.

Isso permite que você possa conectar o seu videogame, seu smartphone, computador ou outro dispositivo que seja compatível com a entrada. Ou, se preferir, é só colocar um pendrive com os arquivos e assistir direto dele aquela série que você não consegue terminar nunca.

Mas não é só isso, claro. Ele também traz conectividade Wi-Fi 802.11b/g/n/ac e Bluetooth 4.0, para que você possa conectar e espelhar a tela do seu smartphone ou tablet direto para o projetor.

No topo dele, além da alça para segurá-lo, temos os botões de navegação e seleção, e LEDs que indicam quanto de bateria ainda resta. Nas duas laterais você encontra duas saídas de som de 10W da JBL, que conseguem atingir um bom nível de volume e não distorcem o que está saindo dali, mas ainda sem graves muito fortes.

Ah, e claro, para ligar o Mars você só tem que deslizar a tampa que esconde a lente do projetor. Para desligar, faça o mesmo. Isso só mostra que o desenho do projetor foi muito bem feito, visto que todo o hardware passa sensação de firmeza e durabilidade.

A resolução máxima dele é de 1280 x 800, que realmente não é uma das melhores, mas tem resultado interessante neste aparelho. Isso se você ficar numa faixa aceitável de umas 55 - 65 polegadas, e ele ainda permite escolher o modo de exibição e controle de foco.

Ele também tem um nível de brilho alto, com 3.000 lúmens, o que é relativamente superior a outros projetores do mercado. O uso da tecnologia DLP favorece em alguns pontos, enquanto que a relação de contraste dele chega a níveis bem aceitáveis.

IMERSÃO OU DIVERSÃO?

Usar o projetor da Anker para assistir um filminho é muito legal, assim como plugar o seu videogame e jogar por horas e mais horas. É preciso ter em mente, porém, que essa peça com 1,82 KG não oferece uma qualidade de imagem incrível, como na sua TV propriamente dita.

A interface dele é limpa e exibe os menus de modo descomplicado, assim como as listas de aplicativo e arquivos. O único ponto que você provavelmente não vai curtir é o Android KitKat que vem instalado de fábrica, mas que pode entrar em conflito com aplicativos que exigem versões mais atuais do sistema.

Mas, ainda assim, ele é atualizável, e a fabricante pode trazer uma versão mais recente do Android nos próximos meses.

O negócio real é que o Mars não vai mudar tudo o que você pensa sobre projetores, mas é uma unidade interessante para quem procura uma alternativa portátil. Ele talvez não substitua, também, a TV que está aí na sua sala, tendo em vista que a bateria de 19.500 mAh tem duração média de 2h30 - mas ainda tem a opção de usá-lo plugado à tomada. 

O Mars compensa o software desatualizado com a portabilidade e o design. E o fato de rodar uma versão do Android, ainda que não seja atual, também faz dele uma peça interessante para o consumidor.

Espelhando a tela do smartphone, seja ele Android ou iPhone, você nota um pouco de lag na navegação, e transmissões da internet também tendem a perder qualidade se a taxa de conexão for baixa. Então, sempre que puder, faça uso do HDMI ou da entrada USB para melhorar a qualidade do que está sendo reproduzido.

Ainda assim, o conceito de imersão desse projetor da Anker não chega perto de uma sala de cinema, tendo em vista que este é um produto voltado exatamente para que você crie uma exibição projetada maior, só que não fixa.

Existe também essa outra peça complementar, o controle remoto do Mars. Ele traz, basicamente, todos os botões que estão no corpo do projetor, só que com a comodidade de você não ter que se levantar para navegar ou selecionar alguma coisa.

O QUE ACHAMOS?

O Mars não tem a melhor resolução para um projetor, mas consegue exibir imagens bem nítidas e com um tamanho bastante satisfatório. O principal foco dele, está na praticidade em ser carregado para viagens e afins, mas que ainda pode ser uma solução mais caseira.

Felizmente, é muito fácil configurar ele e começar a usar, principalmente por streaming. Isso, é claro, requer que todos os aparelhos estejam conectados na mesma rede.

Aqui no Brasil o Mars não é vendido, mas no exterior ele tem preço estipulado em US$ 600 (~R$ 1.950).

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.