Análise de Produto 322 / 353 vídeos

Motorola Moto G5S (2017) [Análise / Review]

13:18 | 29 de Agosto de 2017

A Motorola lançou recentemente o Moto G5S, que em suma é uma evolução do Moto G5. Ele chega cerca de 5-6 meses após o lançamento da última geração, e isso acabou preocupando muita gente que investiu a grana no G5.

O smartphone tem, sim, algumas melhorias bacanas. Mas, de fato, o G5S não representa um salto gigantesco em relação ao G5. Então não precisa sofrer se você já tiver comprado um.

A linha Moto G mais refinada

Se você já viu o Moto G5 de perto, então vai perceber a forte influência do seu design no Moto G5S. A diferença crucial, agora, é que o modelo mais novo não tem tampa traseira removível e utiliza o alumínio em praticamente toda a estrutura. Com exceção das listras para as antenas, o material está presente em todo o acabamento, e seus cantos arredondados passam uma sensação de firmeza ao segurá-lo na mão.

O que não passa tanta firmeza, assim, é a lente da câmera que fica saltada, e isso dá um medo forte de arranhar ou danificar essa parte. Além disso, o aparelho segue resistente à respingos d’água, e isso pode ser até aceitável na faixa de preço deste modelo aqui. Mas, se for pra trazer uma especificação do tipo, por que não uma IP67/68 da vida? Fica aí o questionamento.

Os cantos mais arredondados e o diamond cut, de fato, deixam o G5S com uma cara mais elegante. Mas isso tem um preço: agora não é mais possível remover a bateria, visto que ele é unibody; nem mesmo usar dois chips e expandir a memória ao mesmo tempo, pois a gaveta é híbrida. Outra coisa, o conector para fones permanece no topo. Há quem goste, há quem não goste. Tudo bem, nós entendemos os dois lados.

Você vai encontrar o rápido leitor biométrico na parte frontal em baixo relevo, e ele também é capaz de substituir os botões de navegação do Android. Tudo funciona do mesmo jeito como no G5, ou seja: toque uma vez para a função “home/início”; deslize da direita para a direita para “voltar” e ao contrário para abrir a multitarefa. Se você encostar o dedo por alguns instantes nele, inclusive, o smartphone é bloqueado.

Outra coisa: ele pode ser ligeiramente mais alto e largo, porém tem 8,2 mm de espessura, logo é menos espesso que o G5. Só o peso que agora é de ~157 g, mas isso é somente 12 g a mais do que o seu irmão mais velho.

Aqui nesse ponto você já deve ter percebido que o Moto G5S é extremamente parecido com o Moto Z2 Play, não é? De qualquer forma, é possível perceber que se trata de um integrante da família Moto G, só que com uma cara mais fina.

Display e multimídia 

A tecnologia IPS LCD continua empregada aqui, só que num painel de 5,2”. A generosa resolução Full HD garante cerca de 424 ppi de densidade, então, sim, você vai ter aquela mesma cena detalhada de antes por aqui. E, diga-se de passagem, esse display se comporta bem com luz solar forte.

O acabamento 2.5D novamente nos remete a um aparelho mais esteticamente elaborado, trazendo ainda a proteção Gorilla Glass 3.

Não existem diferenças gritantes do Moto G5S para o Moto G5 Plus. Sim, a tela dele é do tamanho do Plus da geração passada. Você terá bons ângulos de visão e uma tela que apresenta cores muito bem para a faixa de preço em que atua, e certamente vai entregar uma experiência bacana.

O software ainda permite o uso de recursos como o Moto Display, que exibe notificações e a hora quando você levanta ele da mesa. O recurso não fica ligado o tempo todo porque trata-se de um painel IPS LCD que poderia gastar bem mais bateria. Existe também um “modo noturno”, que automaticamente reduz os tons frios e se ajusta aos mais quentes, para não prejudicar sua visão durante a noite.

O alto-falante é na parte inferior; e, não, ele não é estéreo. A notícia boa é que os níveis de volume estão mais elevados em relação ao Moto G5. Enquanto você não tapar a saída por causa dessa posição nada confortável, as músicas serão reproduzidas com volume suficiente para você e seus amiguinhos escutarem num local aberto, mas não espere graves fortes ou tanta fidelidade com o volume máximo.

Especificações

Em relação ao Moto G5, o hardware do Moto G5S mudou zero itens das especificações básicas. 

  • Snapdragon 430 de 1.4 GHz;
  • GPU Adreno 505;
  • 2 GB de RAM;
  • 32 GB armaz. (24 GB);
  • Bluetooth v4.2;
  • GPS, AGPS, GLONASS, BEIDU.

Se você esperava por grandes mudanças da outra versão para esta, saiba que elas não são muitas. A principal diferença fica no software, visto que o G5S roda a versão 7.1.1 do Android e tem aquele launcher atualizado e cheio de otimizações. Mas os resultados de benchmark do aparelho, é claro, vocês podem conferir a seguir.

Usabilidade e desempenho

Por fora, um Moto G5 mais bonito. Por dentro, o mesmo Moto G5. Não, você não precisa se martirizar se tiver comprado um G5 há dois dias. Se a sua maior preocupação era em relação ao hardware, saiba que não há nenhuma melhoria significativa entre esses dois modelos.

Isso, em partes, é tranquilizante. O G5S permite que você trabalhe sem engasgos e navegue entre alguns aplicativos que podem ficar na multitarefa sem que eles sejam reiniciados. Mesmo com somente 2 GB de RAM, e não 3 GB, ele também tem desempenho bastante satisfatório com jogos.

Unkiled, por exemplo, rodou tranquilamente nele, da mesma forma que Asphalt Xtreme conseguiu o mesmo desempenho sossegado. Agora, quando você tenta jogar um Injustice 2 da vida, aí você percebe quedas nítidas na taxa de FPS. No fim do dia, você brincar com desempenho um pouco acima do “médio”, mas jogos pesados farão o hardware suar.

Como a principal diferença está no software, de fato o desempenho geral não será um ponto crucial entre o G5S e o G5. E isso pode ser bom, pois esse desempenho é bem bacana para o valor cobrado no smartphone.

E nós já comentamos alguns recursos do app “Moto”, que gerencia as ações do celular. É aí que ficam as principais alterações da Motorola, com gestos para ligar o flash como lanterna ou para abrir a câmera por exemplo. No mais, além destes, você tem praticamente o visual básico e conjunto de aplicativos da Google.

Vale lembrar, também, que o G5S é compatível com Rádio FM, mas não tem suporte a TV Digital, coisa que só o seu irmão maior possui.

Câmeras

Diferente do Moto G5, temos um sensor de 16 MP (f/2.0) no G5S. Mas, assim como no G5, o G5S traz foco PDAF, gravação de vídeos em Full HD a 30 fps e um modo manual bastante generoso. Os vídeos em câmera lenta são registrados na baixa resolução de 960 x 540 pixels, e não existe nenhuma estabilização na hora das gravações.

A quantidade maior de megapixels não significa, porém, um ganho real na qualidade das fotos produzidas pelo G5S. Em suma, os cliques terão boa qualidade se você estiver em um local bem iluminado, que é onde ele consegue capturar um bom nível de detalhes e as cores não são distorcidas.

Agora, em condições não tão favoráveis, é possível notar que as cores estão mais opacas e muitos detalhes se perdem.

Durante a noite, espere por um disparador que pode demorar, então acostume-se com o aviso de “não se mova durante a captura”. Acostume-se também com o alto nível de granulado nas imagens, ou seja: fotos noturnas não estão na lista de pontos fortes do Moto G5S.

Os mesmos 5 MP (f/2.0) foram mantidos para as suas selfies, e com o apelo do ângulo aberto. Esse é um outro ponto onde você lembra do G5, dados os resultados que são exatamente os mesmos. Sendo assim, espere por cliques simples para alimentar o seu feed do Instagram, só que agora com um flash LED.

Baterias e acessórios

A bateria do Moto G5S ganhou um pequeno boost, e agora fecha em 3.000 mAh. Desta vez, a Motorola incluiu o carregador de 15W na caixa desta versão, então o tempo de carregamento será ligeiramente maior em relação ao modelo anterior.

Mesmo se você for um usuário mais ativo, tenha a certeza de que com o G5S você terá autonomia suficiente para um dia inteiro de uso. Mesmo retirando ele da tomada pela manhã, é possível chegar ao fim do dia com um pouco de energia, embora não seja o suficiente para aguentar o segundo dia em uso.

Essa autonomia é um pouco mais garantida do que no Moto G5, que chega a algo bem próximo em uso real. Reproduzindo conteúdo por streaming e com brilho máximo, mas conectado apenas ao Wi-Fi, o G5S teve a mesma média de descarga do seu irmão mais velho: 11% por hora.

Os fones de ouvido que vêm na caixa dele são de qualidade realmente acima da média, e o cabo quase nunca enrosca por ser flat. O áudio é fiel ao que está sendo reproduzido, mesmo com graves tímidos. Um outro ponto de destaque é para o isolamento de ruído, que também faz um trabalho bacana por aqui. No mais, são fones imersivos, e mesmo que não sejam os melhores que já testamos por aqui eles podem te agradar.

Vale a pena?

Lançado em um período de tempo que é perigoso para o Moto G5, o G5S não representa uma evolução gigantesca para justificar uma “nova geração”. O hardware é o mesmo, mas a estética muda. Ele perde algumas coisas legais, mas ganhas outras. Apenas mudanças básicas, sem nada de tão empolgante entre um modelo e outro.

No Moto G5S, o que temos é uma mistura de: cara do Z2 Play, tamanho e bateria do G5 Plus e hardware do G5.

A parte boa disso tudo é que você já encontra o Moto G5S por cerca de R$ 960 no varejo, enquanto que na Moto ele é vendido por R$ 1.099. Pra quem já comprou o G5, não há motivos para se arrepender, pois o desempenho é basicamente o mesmo - só que com a diferença do software mais atual.

Se você ainda estava na dúvida, fica entre gastar um pouco menos e levar o G5, visto que seu valor deu uma leve reduzida no varejo, ou levar o G5S por um pouco mais, só que com um visual mais premium.

E, sim, ele continua um bom concorrente para modelos da Samsung, Asus e Sony que trabalham na casa dos mil reais.

Citadas no Vídeo