Análise de Produto 310 / 318 vídeos

LG K8 2017 [Análise / Review]

Duração: 10min • 28 de Julho de 2017

Um ano após a chegada da série K no Brasil, a LG aproveitou para trazer uma atualização nesta linha com produtos mais refinados. Nós estamos aqui com o K8 Novo (2017), sendo ele um aparelho acima do K4 Novo e abaixo do K10 tradicional, com preço sugerido de R$ 899.

Será que a LG apostou bem nas mudanças para esta nova versão? Confira agora a nossa análise do LG K8 Novo.

O aparelho

O K8 tem que suprir o que um usuário mediano quer sem entregar a experiência mais básica do K4. Ele é visualmente idêntico a todos os outros celulares da linha K, trazendo um corpo feito de plástico com tampa traseira removível. O lado bom disso é que a sua bateria também é removível, e ele tem slots dedicados para dois chips de operadora e um para microSD.

Pesando ~147 gramas, o K8 é um compacto bastante confortável, e a sua tela com cantos arredondados dá uma aparência bonita ao olhar o aparelho. Vale lembrar que ele tem ~8 mm de espessura e que os botões de volume estão na esquerda, enquanto que o de ‘início’ fica na traseira.

E ele também adota aquele aro metálico ao redor do botão traseiro. Isso remete de longe a um leitor biométrico, mas o K8 não tem a tecnologia.

Não vamos negar que ele é bem bonito, mas ao acender a tela você percebe logo de cara as bordas exageradas.

Aos que buscam um aparelho por menos de R$ 1.000 com uma aparência legal, o K8 pode ser uma bela opção. Em 2017 a LG resolveu que era hora de deixar a linha K mais parecida esteticamente, e a aposta parece ter dado certo.

Display e multimídia

Como já citamos por aqui, o painel IPS LCD de 5” do LG K8 tem cantos arredondados (2.5D), dando a ele um visual bacana. Ele segue com semelhanças referentes à versão anterior por aqui, com resolução HD (1280 x 720 pixels@293ppi) e ocupando ~66% da área frontal.

A resolução está “ok” para a sua faixa de preço, embora concorrentes como o Vibe K6 da Lenovo estejam à frente neste quesito. O brilho médio do smartphone é bem baixo, prejudicando a visualização do conteúdo se você estiver na rua num dia ensolarado.

Isso é ruim, bem ruim, mas atente-se ao “detalhe” de que o contraste dessa tela também é bem baixo, com tons escuros novamente se confundindo com o cinza.

Por outro lado, o tempo de resposta da tela não apresentou problemas tão sérios. Vale citarmos, inclusive, que você pode dar dois toques nela para acender ou apagar o display.

A qualidade do que será visto na tela não é das melhores, mas também não decepciona. Ele está voltado para usuários menos exigentes, mas se esse display fosse melhor, aí, meus amigos, ele seria um concorrente muito mais bem preparado.

E quanto ao seu alto-falante, a qualidade não está muito diferente do K8 2016. Você vai ter um volume bacana, mas nada impressionante.

Especificações

O K8 Novo é um intermediário bacana, de fato. A versão brasileira dele vem com chipset MediaTek e Android 6.0 Marshmallow, enquanto que o vendido nos EUA traz um Snapdragon 425 e Android 7.0 Nougat.

Esta é uma limitação chata para o software, mas devemos lembrar que ambos os chips foram lançados em 2016.

Specs:

  • Chipset MediaTek MT6737 (quad-core 1,25 GHz);
  • GPU Mali-T720;
  • 1,5 GB de RAM;
  • 16 GB de armazenamento interno (~10 GB livres), com slot para microSD de até 32 GB.

Notaram alguma semelhança? Pois é, o K8 é extremamente parecido com o K4, seu irmão “menor”. Isso acaba não dando a ele nenhuma vantagem real, embora seu desempenho seja levemente superior. Inclusive, você pode conferir agora os resultados de benchmark obtidos pelo K8 Novo.


Usabilidade e desempenho

Estamos cada vez mais próximos do Android O, mas o K8 Novo vendido aqui no Brasil ainda roda o Marshmallow. E ele foi lançado no começo de 2017, e como mencionamos anteriormente, a versão estrangeira do aparelho já sai das lojas com Android 7.0 Nougat.

O que fica inegável, por outro lado, é que o aparelho se esforça para entregar um desempenho bacana, mesmo trabalhando com hardware limitado. No dia-a-dia você consegue usar suas redes sociais e trocar mensagens no seu mensageiro predileto numa boa. Afinal, ele foi mesmo projetado para um uso menos sofisticado.

Assim como no K4 Novo, sua interface é simplificada e lembra muito o Google Now Launcher. Você tem a página inicial e o menu de aplicativos, com alguns deles da própria fabricante. Não gostou? Você pode desinstalar todos esses apps.

Essa interface mais limpa e sem exageros é ótima para o aparelho. Ele tem somente 1,5 GB de RAM e não suporta muitos apps rodando em segundo plano, e limitar efeitos visuais traz melhorias neste setor.

Ah, quanto aos games, contente-se nos menos potentes graficamente ou você apenas passará raiva. A GPU do K8 Novo não suporta a maioria das APIs gráficas de hoje em dia, porém games como Homem-Aranha: Sem Limites e outros rodam tranquilamente.

Câmeras

O conjunto de câmeras do K8 é composto pelo sensor traseiro de 13 MP (f/2.0) e um de 5 MP (f/2.4). Ele tem flash para a câmera principal, e na frontal existe uma tentativa de iluminar a tela para dar esse efeito de luminosidade. Falamos “tentativa” pois, como explicado em outro tópico, o brilho da tela não é tão intenso, logo o resultado deste modo não é um dos melhores.

O software da câmera também é simples, amigável e com opções claras. Ele ainda filma em 720p@30fps com os dois sensores, e em relação ao K8 do ano passado a qualidade melhorou significativamente.

Com boas condições de luz, as fotos clicadas com o K8 2017 realmente têm efeito bonito. A quantidade de detalhes mantidos é boa, mas fique atento, pois se você tremer na hora da foto tudo será facilmente borrado.

Já quando você está num local pouco iluminado... bem, aí as coisas realmente não são nada agradáveis. Nessa hora ele também lembra (e muito) o K4 Novo, o que não é um elogio em si. O sensor frontal também fica na mesma média do modelo de entrada, refletindo um resultado negativo para o K8 Novo.

Bateria e acessórios

O K8 Novo ganhou um singelo aumento de bateria e traz agora um componente de 2.500 mAh. Como já citamos previamente, você pode fazer a remoção e substituir o mesmo por um outro totalmente carregado.

O que se espera de um smartphone com especificações leves e componentes que consomem menos é uma autonomia boa, e o K8 chega bem perto disso. Claro, tudo aqui é na média para um aparelho de entrada.

O aumento de bateria, no entanto, acabou não sendo tão significativo. O K8 Novo foi capaz de sobreviver das 10h30 até às 21h em uso normal, permanecendo ativo por mais de 11 horas. É uma média interessante, mas o que preocupa é a descarga média durante a reprodução de conteúdo por streaming.

Durante uma hora, deixamos o aparelho reproduzindo um vídeo conectado apenas ao Wi-Fi e com brilho no máximo. O resultado disto foi uma escandalosa descarga de 22%.

Já o standby dele faz um ótimo trabalho, não consumindo praticamente nada de energia. Mas, só por garantia, não tire o carregador da mochila. Ou ande com uma bateria externa.

Por outro lado, infelizmente, o carregador dele leva mais de 2 horas para realizar uma carga completa. Um chá de cadeira que lembra muito o K8 2016.

Vale a pena?

Temos acertos e erros no K8 Novo. O dispositivo chegou R$ 100 mais barato este ano, com preço estipulado em R$ 899. A aposta da LG se mantém firme nos intermediários, mas sem investir muito em recursos adicionais ou melhorias significativas, de fato.

Ele segue com desempenho superior ao do K4 Novo, por exemplo, embora não seja algo muito melhor. As câmeras podem não ser o melhor atrativo, porém o desempenho mais fluido para atividades do dia-a-dia é um ponto bem positivo.

A autonomia de bateria também merece certo destaque, mas o K8 Novo definitivamente terá um trabalho árduo pela frente na hora de combater os outros modelos da concorrência.