Análise de Produto 436 / 511 vídeos

iPhone Xs: um update pequeno, menos para o A12 Bionic

18:37 | Por Wellington Arruda | 08 de Outubro de 2018
Tudo sobre

Saiba tudo sobre iPhone XS

Ficha técnica

Eu estava aqui somente pensando numa coisa: iPhone 3G, iPhone 3GS; iPhone 4, iPhone 4S; iPhone 5, iPhone 5S; iPhone 6, iPhone 6S, iPhone 7... iPhone 8; iPhone X, e agora XS. O iPhone 9 nunca vai ver a luz no olhar de um novo consumidor em uma Apple Store. So sad.

Design, display e multimídia

O novo iPhone dessa vez chegou de bando: iPhone XS, XS Max e XR. O XS é esse aí mesmo que vocês estão vendo, o XS Max vocês podem conhecer no vídeo apresentado pelo Adriano Ponte, e o XR ainda não foi lançado.

Para você que está acompanhando esta análise, sugiro clicar no link da descrição para acessar a página de especificações e detalhes do smartphone para checar as informações.

Como parte um upgrade “S”, ele é basicamente igual ao X. As únicas diferenças estéticas estão no posicionamento para as listras de antenas; no aro da câmera, ainda saltada, que está ligeiramente maior; e ele pesa 3 gramas a mais. Ah! Claro, tem a nova cor dourado-não-tão-dourado-assim, e as capinhas do X não funcionam no XS.

Ele se resume, então, em uma peça única com, mais uma vez, “o vidro mais resistente já usado em um smartphone”. Aqui com a gente, não percebemos nenhum dano significativo físico e nem por líquido. Aliás, agora ele tem certificação IP68, garantindo resistência contra água e poeira.

As suas laterais são em aço inoxidável e o corpo, arredondado, tem encaixe muito bom nas mãos. Todo esse redesign rendeu mudanças grandes, como:

  1. Para encaixar um display OLED de 5,8” com bordas finas no corpo, foi preciso adotar o notch;
  2. O notch, por sua vez, abriga os sensores TrueDepth do Face ID, que jogou o Touch ID para longe nesta geração;
  3. Os gestos para navegação se consolidaram, o que é ótimo, pois a experiência é bem confortável.

Dá pra esconder o notch no iPhone? Não, não dá. A proporção de 19.5:9 também não permite esticar ou adaptar os apps, embora essa seja uma decisão compreensível, já que eles precisarão ser atualizados de qualquer forma.

Aliás, nada contra o recorte muito possivelmente temporário na tela para o Face ID, mas #sddstouchid. A leitura biométrica ainda é prática e discreta, embora a facial seja cômoda e, pelo visto, tão segura quanto.

A tela do XS tem boa visualização angulada, precisão de cores e brilho alto, embora equilibrado. Os níveis de reflexo são baixos e ele tem suporte a reprodução de conteúdo em HDR 10 e Dolby Vision --que pode melhorar a experiência com filmes e vídeos--, ainda que sua resolução seja de 2688 x 1242 pixels.

Exigir resolução 4K também causaria efeitos no processamento, então, para o momento, a Apple tem oferecido uma experiência rica com os seus displays. Ele tem bons níveis de nitidez, além do suporte a tecnologias como o 3D Touch e o True Tone.

Resumidamente, o 3D Touch não avançou muito, mas segue funcional para usar o teclado como “trackpad” em textos para atalhos em apps e ícones; já o True Tone, que adapta a temperatura das cores de acordo com a luz ambiente, segue de modo… peculiar, já que pode alterar a coloração de um filme automaticamente, o que nem sempre pode ser positivo.

O XS pode ler toques em 120 Hz, mas isso não tem nada a ver com reproduzir imagens com a mesma taxa, beleza!? A propósito, a tela ainda pode reconhecer seus toques com os dedos molhados, ainda que sem tanta precisão.

O som do novo iPhone continua estéreo, mas com volume mais equilibrado e distribuído. O alto-falante inferior sempre fará o trabalho mais difícil, mas se por acaso ele for abafado, o superior, que fica no notch, continua reproduzindo o áudio de modo limpo, só que com volume mais baixo.

A partir do iPhone XS a Apple não vai mais mandar gratuitamente o adaptador Lightning para fones de 3,5 mm, e cada um deles custará R$ 79, além do preço do celular. Tudo bem que ainda há o EarPod na caixa, e fones sem fio, como os AirPods de R$ 1.499, estão aparecendo o tempo todo.

Só que, sem parecer chato demais, essa onda de retirar a entrada P2 não parece ter agradado tanto… e não mandar o adaptador na caixa é a mancada suprema, não é?

Usabilidade, desempenho e software

Atualmente no iOS 12, o iPhone XS traz algumas melhorias importantes realizadas pela Apple… e que também estão disponíveis, em grande maioria, no iPhone X.

Algumas delas envolvem a plataforma de realidade aumentada, com o aplicativo Medida, e o Face ID, embora não seja perceptível uma melhoria na velocidade da leitura do seu rosto. Os desenvolvedores, agora, têm acesso à NPU, podendo extrair mais da unidade de processamento neural de 8 núcleos do aparelho.

Talvez a parte mais legal do iPhone XS seja o chip A12 Bionic. Ele é o primeiro da companhia de 7nm e o primeiro a chegar no mercado. Ele traz dois núcleos para atividades que demandam mais processamento, e outros quatro para tarefas mais simples.

  • A12 Bionic six-core
  • GPU quad-core (contra 3 do A11 Bionic)
  • 4 GB de RAM (contra 3 GB do iPhone X)
  • 64/256/512 GB
  • Bluetooth 5.0
  • NFC

Para conferir todas as specs do XS é só clicar aqui para ver a ficha completa do smartphone, e aí vocês podem conferir na íntegra o que há de novo. E é claro que tem benchmark para vocês: confiram agora alguns dos principais resultados do XS.

Agora que sabemos isto, vamos falar uma verdade: o iPhone XS é rápido, mas dificilmente você que possui um iPhone X vai precisar de algo ainda mais rápido. No novo modelo, coisas como filtros do Live Photo e renderizar vídeos são mais velozes, de fato, mas as melhorias partem mais para a usabilidade e para o iOS 12.

Um exemplo disto são os Atalhos da Siri. Você pode determinar e automatizar uma série de ações dentro de aplicativos e do sistema para que a Siri faça tudo sem exigir o seu esforço. Lembram quando a Apple comprou o app Workflow? Pois é, ele está aqui no iOS 12!

Você pode determinar uma palavra “mágica” para a Siri ativar ou desativar conexões; ativar automaticamente modos de economia de energia; tocar uma playlist do seu app de música e estimar o tempo que você vai levar até o trabalho; calcular o valor de uma conta para dividir com os amigos no bar e por aí vai.

Estes são alguns exemplos muito básicos do que os Atalhos da Siri podem fazer, mas claro que existem limites de compatibilidade. Nem tudo a Siri tem capacidade de realizar, mas desta vez os caras conseguiram deixá-la mais funcional.

A parte boa é que você pode compartilhar com os amigos todos esses atalhos, ou mesmo baixar outros nos fóruns da vida.

O iOS 12 também permite que você use aplicativos de mapas de terceiros no CarPlay, e agora nós temos os Memojis, que são avatares evoluídos dos Animojis para serem usados dentro do iMessage. A propósito, a Apple remodelou praticamente todos os seus aplicativos, mas ainda tá faltando um modo noturno para a interface, hein...

Bom, o iPhone XS é, sim, o iPhone mais potente da atualidade, mas ele não “pisa” no iPhone X. Mas a Apple cita, do seu jeito, sem muitos detalhes, que o seu novo chip cumpre 5 trilhões de operações por segundo de aprendizado de máquina, contra 600 bilhões do anterior.

Toda essa potência, por exemplo, rendeu algo interessante: fizemos rodadas de 15 minutos jogando e 15 minutos navegando na internet, o que foi suficiente para elevar a temperatura dele para a casa dos 35-40 graus. Não é nada tão incômodo quanto abraçar uma panela de pressão enquanto o feijão tá no fogo, mas você talvez perceba isso, também.

Câmeras inteligentes

O hardware básico de câmera do XS continua o mesmo, com dois sensores de 12 MP (f/1.8 e f/2.4), sendo um deles telefoto com zoom de 2X. Ele mantém a OIS nas duas câmeras, embora a lente principal seja um pouco mais larga e equivalente a uma distância focal de 26 mm, contra 28 mm do iPhone X.

Com o A12 Bionic, o processamento de sinal imagem foi melhorado, trazendo agora o HDR Inteligente. O equilíbrio de exposição nas camadas é bem notável, mantendo visíveis sombras, detalhes, texturas e resolvendo pontos de cor quando necessário -- mas também suavizando algumas partes desnecessárias, dependendo do cenário.

Tenha em mente que esta é uma atualização “S”, mas nas câmeras, muito graças ao novo chip, as mudanças são positivas. O HDR Inteligente faz as fotos antes mesmo se você tocar no botão de obturador, o que eventualmente pode oferecer cliques sem delay no disparador e com qualidade.

Uma coisa boa nesse update é que agora você pode configurar o desfoque de fundo no Modo Retrato. Ele vai de f/1.4, que é extremamente bizarro e foca no seu rosto, até f/16, que deixa um desfoque muito mais suavizado.

Esse é um recurso já aproveitado há tempos por outras fabricantes e é bem-vindo no iPhone XS, já que pode entregar ao usuário a escolha de regular como a sua foto deve ficar. Só que esse “controle” fica, por enquanto no desfoque de fundo.

A Apple ainda não permite usar um modo manual no iPhone, então você não pode compensar o ISO, a exposição ou mexer na velocidade do obturador; a menos que use um aplicativo extra.

Outra coisa muito legal é como a câmera se comporta na troca de ambiente. Tanto nas fotos quanto nos vídeos, como este que vocês estão vendo, a exposição e temperatura das cores são ajustadas rapidamente.

A propósito, o XS pode gravar em 4K a 60 fps ou 1080p (câmera lenta) a 240 fps. Como ajuste extra, o celular também pode gravar áudio estéreo.

A câmera frontal se manteve a mesma do iPhone X. São os mesmos 7 MP (f/2.2), só que com suporte ao HDR Inteligente e ao Modo Retrato com controle de desfoque. A propósito, a frontal do XS agora pode fazer vídeos em Full HD com 60 fps com “estabilização cinemática”.

Bateria

O XS vem com bateria de 2.659 mAh, o que seria um “downgrade” em relação ao X, que tem 2.716 mAh. Na prática, conseguimos uma autonomia de uso com tempo de tela entre 5h30 a 6h30 para um dia inteiro com ele em uso contínuo. Considerando um uso mais avançado, não houve upgrade em relação à bateria.

Ainda falando sobre testes que fizemos, o aparelho registrou descarga média de 15% por hora com vídeos online. A média do iPhone X foi de 19% por hora. Só que, assim como o iPhone X, o XS leva pelo menos 2 horas para ser carregado totalmente, já que não há nenhum carregador rápido incluso na caixa.

Ele também tem suporte ao carregamento por indução, mas… será que já não está na hora da bateria dos celulares da Apple ficarem mais expressivas?

Não está sendo fácil…

O iPhone XS chegou com alguns problemas. A câmera frontal, por exemplo, aplica filtros para corrigir “imperfeições”, e nem tem um botão para desabilitar isso. Há também um problema onde o celular não reconhece o cabo para carregamento quando ele está repousando. E eu presenciei em neste XS e neste iPhone 7 que os celulares se desconectam de redes Wi-Fi automaticamente.

Lembra no lançamento do iPhone X? O Face ID foi burlado por alguns usuários, e o iOS 12 agora vem experimentando problemas bem chatos.

Mas, não tentando justificar os problemas do iPhone XS, a Apple ainda pode corrigir a grande maioria desses com atualizações no software. A menos que eles atinjam o hardware de um lote específico, é claro.

O ideal é lançar os produtos já finalizados, sem tantos bugs ou situações desse tipo. Mas, por hora, só nos resta esperar pela Apple para “tapar os buracos”.

Vale a pena?

O iPhone XS, assim como o iOS 12, chegou como uma série de refinamentos para o iPhone X, que inclusive saiu do lineup disponível da Apple. A empresa ainda vai oferecer suporte ao modelo anterior, mas suas vendas oficiais foram encerradas.

O XS, por sua vez, seria mais indicado para quem optou por não comprar a edição comemorativa de 10 anos do iPhone em 2017. Se você tem um iPhone 6S ou anterior e pretende trocar por algo mais novo, talvez ele seja indicado, sim. Você terá em mãos o smartphone com iOS mais potente da atualidade, e um dos mais poderosos do mundo.

Mas tudo isso tem um custo, e o do iPhone XS varia entre US$ 999 com 64 GB, US$ 1.149 com 256 GB e US$ 1.349 com 512 GB. Para usuários do iPhone 7, 8 ou 8 Plus, as diferenças são grandes, sim, embora estes continuem sendo bons aparelhos, valendo a pena também pensar mais um pouco antes de trocar de smartphone.

Agora, se você nos perguntar se realmente vale a pena gastar mil dólares em um smartphone, a nossa resposta será, assim como foi no iPhone X, um ‘não’. Não há como recomendar a compra de um smartphone nessa faixa de preço, porque por mais que ele seja muito potente, o XS ainda é um smartphone.

Mas, digamos que você queira muito usar o iOS 12 em um iPhone legal; neste caso, recomendamos que você, com os seus pouco mais de mil dolinhos, leve para casa um iPhone 7 ou o 8 e um Apple Watch Series 4. Respectivamente eles custam US$ 449, US$ 599 e US$ 499.

E não é que o iPhone XS seja “ruim”. Ele é um ótimo smartphone, com câmeras boas, mais poder de processamento e aprendizado de máquina e muito mais. Só que ele é bem caro, e ainda existem alguns incômodos, como a falta do adaptador para fones de ouvido que a gente já comentou aqui.

Mas, e vocês, curtiram o iPhone XS?

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas iPhone XS