Análise de Produto 386 / 423 vídeos

GoPro HERO6: uma GoPro Hero 5s? [Análise / Review]

08:34 | Por Adriano Ponte | 23 de Fevereiro de 2018
TUDO SOBRE

GoPro

Lançada no final de 2017, a GoPro Hero 6 foi introduzida como upgrade direto da Hero 5, porém, apresentando o mesmo exterior da antecessora. A semelhança é tanta que até os acessórios e encaixes são os mesmos, com compatibilidade total entre elas. Isso é, por fora: por dentro temos diferenças, e isso você confere aqui.

ANÁLISE

Pense na GoPro Hero 6 como uma melhoria incremental da Hero 5. Não existem tecnologias alienígenas impossíveis dentro da Hero 6 que passem longe do que era possível na Hero 5. Tecnicamente, temos dentro desse corpo (idêntico) ao da Hero 5 um chip novo, o processador de imagem GP1 customizado pela GoPro e seus parceiros de SoC. segundo a empresa, o GP1 foi desenhado do zero para atender as necessidades específicas de GoPro(s), e inicia uma provável onda de novas câmeras com chip atualizado.

Seu controle segue pelo painel touch integrado na traseira (assim como a Hero 5). Da mesma forma, permite-se que a Hero 6 seja controlada e configurada pelo smartphone, utilizando Bluetooth + WiFi na detecção e controle. O que aparece na tela ainda é o controle simplificado introduzido na Hero 5, onde você toca nos menus para trocar as configurações que representam, deixando a navegação pelos menus quase que opcional.

Indo aos números, a Hero 6 passa a gravar em 4K@60fps / 1080p@240fps, e ela traz estabilização de imagem para todas as resoluções (incluindo 4K), porém, cortando pela metade o máximo de fps que pode entregar (se a estabilização estiver ativa). Na prática, ela tem o dobro de poder de processamento que a Hero 5 Black traz, além de "transferir mídias mais rápido para smartphones", segundo a empresa.

Apesar de os números soarem sutis, notamos em nossos testes que a estabilização de imagem amadureceu bastante. Além da natural introdução ao 4K com estabilização direto da câmera, desejado por muitos, temos em FHD um resultado consideravelmente próximo ao uso de um Gimbal, mesmo apenas colocando a câmera num suporte de mão comum.

Indiscutivelmente a GoPro Hero 6 mostra que a empresa fez a lição de casa e melhorou um dos melhores pontos de suas câmeras, mantendo todo o resto que já havia dado certo (como o "controle por voz", 12MP de resolução, GPS integrado e resistência à água para imersões de até 10m de profundidade sem a necessidade de case de proteção, tudo como a Hero 5).

A qualidade da imagem é perceptivelmente melhor na Hero 6, mais realista em sua paleta de cores. O processamento de nuances e detalhes finos da imagem torna visível no arquivo final que sombras e tons parecidos agora tem muito mais cara de "fotografia em movimento" que antes, praticamente eliminando as "cores únicas" que aconteciam em alguns pontos das gravações da Hero 5.

Vale notar que os detalhistas notarão essas sutilezas com muito mais facilidade e boa parte do público talvez não note quase nada entre os dois modelos nesse quesito "cor/HDR", afinal ambas são excelentes câmeras; repetimos que (nesse quesito) a Hero 6 traz melhorias incrementais, não arrasadoras e inéditas.

Segundo a empresa, a Hero 6 melhora com seu chip "GP1" a detecção de pontos importantes das gravações, cruzando acelerômetro/GPS/reconhecimento facial para informar o Quik Stories (aplicativo de edição simplificado da GoPro) que este ou aquele vídeo é mais importante em tal e tal ponto, criando montagens automaticamente com o "melhor" do dia do usuário.

Infelizmente, em nossos vários testes, não notamos melhorias nos problemas do Quik Stories ao lidar com arquivos maiores. Além disso, boa parte das "edições mágicas" criadas pelo algoritmo da câmera + Quik aparenta aleatoriedade, sendo resultados bonitos, porém nada especiais. GoPro ainda é sinônimo de hardware, não software.

Se o usuário não tiver interesse no Quik e quiser apenas sincronizar sua GoPro com um smartphone para obter as imagens da memória da câmera sempre notará cards de "História do Quik pronta", mesmo que não tenha o APP instalado. Tocar no card lhe dará a mensagem que é necessário possuir o segundo app da empresa (o Quik) para visualizar a montagem. Você pode ignorar tudo isso e ir para a tela lateral de mídia para visualizar o conteúdo sincronizado pela GoPro normalmente.

Novamente, GoPro ainda é sinônimo de hardware, não software, pois não há priorização do que o usuário busca no APP da câmera, e sim do que a empresa pretende servir como solução própria.

E para você que buscava uma grande melhoria na autonomia de bateria da GoPro Hero 6 chip novo, infelizmente temos notícias parecidas com a Hero 5. Dependendo do seu perfil de uso você terá de 01 ~ 01:30 de bateria normalmente com a sua câmera.

Você também notará considerável aquecimento na câmera ao utilizá-la, como é característico do uso de GoPro(s). Infelizmente, essa parte da Hero 5 não foi mudada. Você lidará com uma câmera de ação, porém com uma bateria limitada que necessitará de outra na bolsa para que você continue sua filmagem dependendo do que for fazer.

Sincronizar arquivos também causa bastante dispersão de calor (e lógico, consumo de bateria elevado). Essa parte, tão característica de GoPro(s) há tantos anos não foi resolvida na GoPro Hero 6. Taí outro motivo pra gente dizer: "GoPro Hero 5s", não GoPro Hero 6, mas isso é nossa opinião. E a bateria? Bom a bateria tem uma vida meio curta mesmo, mas até então toda GoPro costuma ser assim.

Resolvemos testar o GoPro Plus, função que não é novidade porém faz parte das características compartilhadas entre a GoPro Hero 5 e a Hero 6. De forma resumida, o usuário paga $4.99 por mês para que sua conta de torne Plus, obtendo descontos na loja GoPro e permitindo o uso da nuvem própria da GoPro.

Após bastante tentativa e erro conseguimos "mostrar" para a GoPro que nossa conta era Plus, e isso habilita o menu de redes WiFi na câmera para que a mesma suba fotos e vídeos de forma independente do celular ou computador. Basta colocá-la para carregar deixá-la na tomada com bateria quase cheia que a GoPro se ativará e buscará uma WiFi previamente cadastrada, enviando as novas mídias para a nuvem automaticamente. Aparentemente o tamanho dos arquivos não é problema, mas há conversão para FHD no processo.

O recurso nos deixou empolgados e decepcionados ao mesmo tempo. A câmera provou que uma das maiores falhas da GoPro foi solucionada desde a Hero 5 com o lançamento do Backup via GoPro Plus, conectando a câmera diretamente ao seu roteador (e à internet) sem intercessão do celular, tornando ela capaz de enviar vídeos para outro local sem remoção de cartão de memória ou encher seu celular de arquivos. O problema é que a função é totalmente desativada se você não assinar o serviço.

Ao mesmo tempo em que a GoPro lhe dá uma câmera capaz de enviar para a nuvem suas fotos e vídeos, também lhe obriga a usar apenas a solução própria da empresa de nuvem, anos-luz atrás de serviços como o Google Photos, com rica inteligência artificial para organizar tudo que você possui de mídia online. A empresa prova ser capaz de fazer isso diretamente da sua câmera, com indícios de que poderia fazer uma integração com Google Photos caso assim desejasse (afinal há exportação direta para o YouTube pela sua plataforma cloud), mas infelizmente te acorrenta à um serviço proprietário, pago e de baixa qualidade.

VALE A PENA?

Se você possui uma GoPRO 5, fique sossegado: ainda não é hora de você desejar um upgrade para a Hero 6, valendo esperar uma Hero 7 ou superior.

Apesar da melhoria na estabilização e o suporte ao 4K para o recurso, ainda temos na Hero 5 uma das melhores GoPro(s) disponíveis, com HDR competente e ótima qualidade de imagem. Optar pela Hero 6 neste momento é incremental.

Agora, se você vem de outro modelo de GoPRO (que não tem, por exemplo, o corpo à prova d'água como a Hero 5 e Hero 6), vale pensar no assunto e pular diretamente para a Hero 6 pela sua qualidade de imagem ainda melhor e estabilização também expandida, que vale a pena, apesar dos truques de software descartáveis para muitos (afinal o Quik ainda é uma solução imatura, assim como o GoPro Plus).

Pelo preço médio de R$ 2.000,00 da GoPro Hero 6, vale considerar ainda que você pode necessitar de alguns acessórios fundamentais para a câmera (depende totalmente do seu perfil de usuário, ponha isso na ponta do lápis). Caso seja seu caso, vale mais a pena economizar levando uma Hero 5 para casa (que custa aproximadamente R$ 500 a menos que a Hero 6), e com a diferença de valor pegar os acessórios que você precisa.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.