Análise de Produto 342 / 370 vídeos

BLU Vivo 8 [Análise / Review]

11:09 | Por Redação | 26 de Outubro de 2017

A Blu é uma empresa americana que vende smartphones com um custo x benefício interessante e boas especificações para a sua faixa de preço, tentando seguir o exemplo de empresas chinesas como a Xiaomi, por exemplo. O Blu Vivo 8 é a sua aposta de 2017 para competir contra as gigantes que dominam as vendas entre os intermediários, como a Samsung, Motorola e Asus. Será que o smartphone da Blu tem gás pra bater de frente nessa briga, ou é só mais um smartphone genérico e sem graça?

JÁ TE VIMOS EM ALGUM LUGAR….

O Blu Vivo 8 é um smartphone com design já bem conhecido por aqueles que curtem um smartphone chinês, ou já tiveram algum aparelho da linha Vibe da Lenovo, por exemplo. Seu corpo é todo feito em alumínio em uma peça unibody bem robusta, com uma leve e muito agradável curvatura em sua traseira, parte superior e inferior em plástico fosco para a propagação de sinais e redes 4g, e linhas retas, chanfradas e em metal fosco, dando um ar estiloso ao aparelho e separando o metal do plástico.Tudo isso em aproximadamente 180 gramas, o que o torna meio pesadinho nas mãos, mas nada que chegue a incomodar.

Na parte frontal temos a sua tela de 5.5 polegadas coberta por uma camada de Gorilla Glass 3 para evitar riscos e entalhes no display, completando o visual com um led de notificações que serve de flash frontal improvisado, botões físicos retroiluminados e o botão home com um sensor de impressões digitais integrado. Na parte traseira de metal liso temos a câmera principal, flash dual tone e logo da Blu.

As laterais do dispositivo são curvadas e ajudam na pegada que já é bem confortável, e que abrigam os botões de volume, botão power e gaveta híbrida para SIM cards e um cartão SD. Na parte de baixo temos o clássico speaker mono que parece stereo e a entrada para USB comum com suporte a carregamento rápido.

Na parte superior temos a entrada P2 para fones de ouvido, mostrando que a modinha de tirar a entrada para fones de ouvido ainda não chegou nos intermediários.

E sem exagerar, Canaltechers: Esse dispositivo é irmão gêmeo de dois smartphones:
Quantum Sky, smartphone da Quantum, e do Gionee A1, sendo os três idênticos em todos os aspectos, menos nas logomarcas das determinadas empresas. Achou estranho? Nós também, mas preferimos que vocês aí de casa tirem as suas próprias conclusões.

DISPLAY ACIMA DA MÉDIA

O Blu Vivo 8 vem equipado com um display IPS LCD de 5,5 polegadas, em resolução Full HD, e 401 ppi de densidade, com cores fortes e contrastadas para um display LCD, mostrando um balanço de branco bem equilibrado sem puxar para o amarelado ou azulado com em muitas telas por aí. Não é um display absurdo em reprodução de tonalidades e não possui pretos profundos e cores tão vivas, mas está acima da média para a sua faixa de preço. Nossa crítica vai para o brilho da tela que não é dos mais altos e pode deixar o usuário às cegas se estiver em um ambiente aberto, e um pouquinho de Sol já torna a experiência bem complicada, então nada de usar o Blu Vivo 8 usando óculos escuros, como eu sempre acabo fazendo, por exemplo.

Falando em áudio, o Blu Vivo 8 possui um único speaker na parte inferior, e que é suficientemente alto para reprodução de vídeos e músicas, sem distorções em volumes máximos, mas sem aqueles graves envolventes que outros smartphones com falantes stereos tem. A Blu usa a tecnologia Waves, que vem da Maxxaudio, empresa parceira da Dell em speakers para Notebooks. O resultado disso é um botão flutuante em forma de letra W, que aparece por aí durante a reprodução de vídeos na sua galeria por exemplo, e dá aquela tunada no seu áudio, mesmo nos fones de ouvido. O recurso é interessante se você usar fones de ouvido mais simples e com pouco volume ou reprodução de graves, mas se você já possui um bom par de headphones, o recurso só vai aumentar o ganho e exagerar no volume do que vocë estiver ouvindo, sacrificando a fidelidade de áudio dos seus fones. Só desliga isso ai.

O Blu Vivo 8 tem uma tela grande e bonita, com boa taxa de pixels por polegadas e cores bem reproduzidas em filmes e games. O áudio também é bem bacana, e a Blu ainda se preocupou em adicionar a tecnologia Wave da Maxxaudio para te ajudar na hora de transformar o seu smartphone em um pequeno home theater, sem gastar mais bateria.

Boa idéia da Blu aqui, que incrementa o Vivo 8 para o tornar mais competitivo na luta pelo seu bolso.

ESPECIFICAÇÕES

O Blu Vivo 8 possui boas configurações de hardware para a sua faixa de preço, contando com:

* Chipset Mediatek Helio P10
* Octacore feito em 28 nanômetros
* 8 núcleos Cortex A53 rodando até 2.0ghz
* GPU gráfica Mali T860
* 4 GB de RAM
* 64 GB de memória interna
* Android 7.0 com a interface proprietária da Blu.

E pra vocês que assistem testes de desempenho que nem jogo de futebol, aqui vão alguns resultados dos benchmarks que realizamos com o Blu Vivo 8 aqui no Canaltech.

PROCESSADOR DEFASADO, MAS POTENTE

O Blu Vivo 8 é um intermediário avançado, com boas câmeras, display Full HD, bastante memória RAM, bateria, armazenamento interno e processador aparentemente potente no papel. A Blu usa o já bastante defasado Helio P10 como processador aqui, e a Mediatek não é exatamente famosa por otimizar os chipsets delas em dispositivos mais baratos. Será que o Blu Vivo 8 dá conta do recado, ou é só mais um cavalo paraguaio?

Temos aqui um paradoxo interessante para os smartphones atuais, paradoxo esse que prende as empresas em um labirinto onde as únicas saídas são muita potência e pouca bateria, ou um largo tanque de bateria e um desempenho patético na maioria dos usos cotidianos. O Blu Vivo 8 tenta contornar esse dilema com muita bateria e um processador potente, mas bem gastão. O Helio P10 pode ser bem capaz na hora de executar games pesados e aplicativos mais complexos, fazendo bonito em jogos cheios de gráficos avançados e partículas no ar, e em títulos como Asphalt Xtreme, Breakneck e Real Racing 3, tivemos um ótimo desempenho, com jogabilidade fluida e constante, mas com alguns estranhos engasgos em determinados momentos, o que pode ser culpa da amizade nada calorosa entre a Mediatek e os desenvolvedoras.

Nós vemos aqui um processador que é até potente, mas por já ser defasado, peca em não entregar ao usuário algumas api’s mais modernas, que poderiam garantir mais longevidade de bateria, melhor pós processamento de fotos e muitas melhorias que ficam invisíveis abaixo do capô, mas que podem mudar drasticamente a experiência final de uso. O P10 foi lançado em 2015,e dois anos de diferença são uma eternidade quando falamos de Chipsets.

Com 4GB de RAM, a multitarefa aqui é bem suave e não apresenta problemas nas transições entre apps, e a interface proprietária da Blu não é das melhores, com a ausência de widgets funcionais, sem gaveta de apps e com várias inspirações vindas do IOS e da MIUI, tornando tudo meio confuso e mal distribuído no menu de configurações. O lado bom é que não há bloawtwares invasivos e bugs bizarros no sistema, tornando a experiência razoável se você se acostumar com a interface da Blu.

CÂMERAS

O sensor principal do Blu Vivo 8 possui 13 megapixels, com abertura de f/2.0, e que grava vídeos em até 1080p a 30 quadros por segundo. O sensor se beneficia da boa abertura de f/2.0, deixando a luz entrar com mais facilidade, ajudando a câmera a gerar boas imagens em cenários bem iluminados, com bons níveis de detalhe e acuidade de cores acertada para os padrões dos intermediários dessa faixa de preço, mas não é uma câmera incrível, e mostra as suas limitações em áreas com luzes mistas, com alguns pontos de contraste mais elevado e HDR bastante artificial. Em baixa luz a câmera até mantém os detalhes da imagem, mas sofre bastante com o foco confuso e com o alto ruído de ISO em cenas com pouca luz, fazendo as fotos terem mais granulado que brigadeiro de festa de aniversário.

A câmera frontal tem 16 megapixels e a mesma abertura de f/2.0, e é a estrela neste dispositivo, tirando selfies muito bem detalhadas e com ótima entrada de luz, equilibrando as nuances de contraste e luzes mistas de forma natural, só exagerando um pouco na saturação, avermelhando alguns rostos em situações de baixa luz. As selfies em si são muito boas e bem acima da média se compararmos com dispositivos da mesma faixa de preço, e ela se sai muito bem em redes sociais e stories do Instagram.

A câmera frontal do Blu Vivo 8 é a estrela nesse smartphone, contando com boa abertura, sensor de boa qualidade e alta resolução, fazendo com que as suas selfies fiquem sempre com aquele nível alto de nitidez, e a Blu ainda inclui modos bem bizarros e divertidos de embelezamento, emagrecimento de rostos, e até permite aumentar o tamanho dos olhos, fazendo você parecer uma Sailor Moon.

BATERIA GRANDE, DESEMPENHO PEQUENO

O Blu conta com uma massiva bateria de 4.010mah, e com tecnologia de carregamento rápido proprietária do dispositivo, que não é tão eficiente quanto o quick charge da Qualcomm e afins, mas que pode levar a bateria de 0% a 100% em aproximadamente uma hora e 10 minutos, marca interessante para uma bateria desse tamanho. Em meu uso diário, com 4g sempre ligado, brilho variando entre o médio e o máximo e uso pesado de Deezer, Spotify, redes sociais, muitas fotos tiradas com o aparelho e jogos pesados por uma hora, eu consegui chegar em casa com aproximadamente 30% de bateria, numero decepcionante se pensarmos na enorme capacidade de miliampere/hora presentes aqui.

No nosso teste de stress, com reprodução via streaming de vídeo com brilho e volumes máximos por uma hora sem interrupções, nós obtivemos uma taxa de descarga de 19%, numero altíssimo para um dispositivo intermediário desse nível, e infelizmente notamos temperaturas elevadas vindas do dispositivo após o período de streaming, o que pode indicar uma péssima otimização da Mediatek no Helio P10 presente aqui, e que pode ser corrigido com atualizações de software, tornando o gasto de energia mais aceitável a longo prazo.

VALE A PENA?

O Blu Vivo 8 apresenta excelente design, tela bem equilibrada e câmeras acima da média para a sua já econômica faixa de preço, mas pode dar bastante dor de cabeça para aqueles que querem comprar o dispositivo pensando em longevidade de bateria. Da mesma forma que o Moto E4 Plus, a bateria deveria durar bem mais aqui, mas a Mediatek ainda precisa otimizar estes chipsets para extrair o máximo da excelente bateria presente aqui. O Blu Vivo 8 é uma joia a ser lapidada, e esperamos que a Blu não abandone este dispositivo às moscas sem os devidos updates de correção de desempenho da bateria.




**CARDS**

Link para comprar o BLU Vivo 8 pelo menor preço: https://canalte.ch/comprar-blu-vivo-8