TV analógica só será desligada quando todos os brasileiros tiverem sinal digital

Por Redação | 23 de Outubro de 2013 às 14h30
photo_camera Divulgação

O sinal da televisão analógica só será desligado quando toda a população brasileira tiver acesso ao receptor de sinal digital. É o que garante Patrícia Ávila, secretária de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações.

Patrícia participou de uma audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática sobre o cronograma de transição da TV analógica para a TV digital. Segundo o site JusBrasil, o governo quer ter certeza de que 100% dos brasileiros tenham recepção ao sinal digital antes de encerrar o analógico.

A secretária afirma que 69% dos usuários brasileiros já possuem televisores com sinal digital, e que a capacidade de produção da indústria é de mais de 10 milhões de novos aparelhos em um período de seis meses. "Se houver demanda, as empresas conseguem atendê-la", disse. No entanto, o engenheiro de Comunicações da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), André Felipe Trindade, destaca que 80% das casas no país ainda têm TV de tubo e 59% da população não sabe o que é TV digital.

Patrícia explica que o governo está estudando formas para levar a tecnologia a todas as residências do Brasil. Para isso, leva em conta os seguintes modelos de aquisição:

  • Subsídio em crédito;
  • Subsídio à produção de set-top box (conversor para sinal digital) de baixo custo;
  • Distribuição de conversores para a população, como já acontece no México e Japão;
  • Distribuição de cupom para uso na compra de televisores ou conversores, como é feito nos EUA.

Companhias e emissoras de TV brasileiras cobram que o governo defina o quanto antes uma política de subsídio para permitir a compra de TVs ou receptores digitais por toda a população. Além disso, defendem um plano de comunicação para explicar aos brasileiros sobre a transição e o que é, de fato, o sinal digital.

Os planos para o desligamento do sinal analógico no Brasil começaram em 2006, quando o ministério aprovou um decreto que previa o fim do serviço até junho de 2016. Contudo, o governo voltou atrás e formalizou que a desativação deverá ocorrer a partir de 1º de janeiro 2015 – primeiro nas regiões metropolitanas e depois nas cidades do interior e locais mais afastados. Todos os municípios devem ser adaptados até dezembro de 2018.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.