É preciso proteger a Smart TV contra ataque de hackers?

Por Anderson Nascimento
photo_camera Pocket-lint

As Smart TVs estão cada vez mais se popularizando no Brasil. Por conta da queda nos preços e de diversas opções que surgem no mercado para atrair os consumidores, muitos estão preferindo adquiri-las para uma melhor experiência em sua sala de estar. No entanto, por possuírem a capacidade de se conectarem à Internet, é necessário ficar atento ao que pode acontecer com sua Smart TV.

Apesar de ainda não ter sido encontrado nenhum malware que possa danificar ou acessar dados indevidos em uma Smart TV, assim como acontece com computadores ou outros dispositivos eletrônicos, no futuro, hackers podem criar vírus que trafeguem pelos sistemas operacionais das TVs, garantindo um novo terreno para cometer crimes virtuais.

Hoje, as Smart TVs estão seguras em especial por causa da fragmentação dos sistemas operacionais, o que restringiria a atuação de um determinado malware, além da pequena adesão a esse tipo de aparelho dentro da casa dos brasileiros, ainda que este número esteja crescendo mês a mês.

Os diversos softwares que equipam esses modelos de televisão dificultam os hackers a criarem um vírus que possam atingir uma grande parcela dos aparelhos. As fabricantes costumam utilizar seus próprios sistemas na hora de projetarem suas Smart TVs. Talvez se a maioria delas utilizasse um mesmo sistema, hackers maliciosos se sentiriam mais inclinados a construir malwares devido ao grande número de TVs inteligentes que poderiam atacar.

Contudo, é quase dado como certo que as coisas mudarão em um futuro próximo. O Google, por exemplo, já anunciou que pretende colocar o Android em várias Smart TVs, realizando uma adaptação no sistema operacional, como já foi revelado pela empresa, meses atrás. Dessa forma, as fabricantes seriam tentadas a utilizar o popular e atraente SO da gigante de tecnologia, o que massificaria a utilização de um mesmo software para vários aparelhos. Isso faria com que a disseminação de malwares fosse muito mais fácil e atingisse uma abrangência muito maior do que poderia acontecer hoje. Isso motivaria pessoas mal intencionadas a criarem arquivos que infectassem as Smart TVs.

Outro fator que indica que no futuro certamente teremos vírus atacando as TVs inteligentes é o pouco investimento em segurança das empresas especializadas na área. O trabalho de desenvolver programas a fim de proteger os softwares das Smart TVs é praticamente nula nos dias atuais. Isso é justificável, visto que, como já mencionado, não existem malwares dedicados às Smart TVs e essas empresas não sabem exatamente contra o que se defender. Porém, por conta disso, será muito mais fácil que hackers disponibilizem, assim que entenderem ser vantajoso, um malware para infectar os aparelhos.

Apesar de os usuários de Smart TVs ficarem despreocupados, pelo menos por enquanto, quanto a ameaça de vírus, os aparelhos de TVs já demonstraram através de testes e pesquisas que apresentam vulnerabilidades que podem ser exploradas por hackers. Muitas delas possuem brechas que permitem que outra pessoa possa controlar o aparelho por completo remotamente, executando funções como trocar de canal e acessar arquivos que estão em um pendrive ou HD externo que esteja conectado à Smart TV. Pesquisadores da ReVuIN viram na prática esse acontecimento utilizando um modelo da Samsung, marca muito bem vista pelos consumidores no segmento de aparelhos eletrônicos. A LG, em 2012, também já sofreu com problemas de vulnerabilidade.

De acordo com a Network Security Lab da Universidade de Columbia, em Nova York, EUA, um estudo revelou que com poucos dólares é possível desenvolver um drone capaz de roubar as informações das TVs inteligentes. Esse drone, batizado de Red Button Attack, sobrevoou uma área de 1,4 km e ainda assim conseguiu ter acesso ao login do Facebook e informações bancárias de usuários de 20 mil TVs por meio de uma brecha no HbbTV, tecnologia amplamente utilizada na Europa para a transmissão de sinal. Você pode conferir abaixo o vídeo que explica como foi realizado este teste.

As vulnerabilidades têm se mostrado um problema que as fabricantes preferem não olhar por enquanto. Segundo Figurello, "as fabricantes das TVs inteligentes estão preocupadas apenas com o conforto e a qualidade da imagem de seus aparelhos". Isso é evidente, pois poucas, ou quase nenhuma medida para a melhoria na segurança e invulnerabilidade das Smart TVs foi desenvolvida pelas principais fabricantes que atuam no mercado internacional.

Para se proteger contra essas vulnerabilidades, é importante certificar-se de que a sua Smart TV esteja sempre atualizada. Alguns aparelhos possuem a opção que realiza a atualização automaticamente. Caso o seu modelo possua esse recurso, é recomendável deixá-lo ativado. Outra dica é utilizar roteadores mais modernos e com protocolo de segurança WPA2, que é mais seguro do que o antigo WEP, que está nos roteadores mais antigos.

Evite realizar compras através das Smart TVs. Elas ainda não são confiáveis ao ponto de serem intermediárias de suas informações de cartões de crédito, dados bancários e outras informações pessoais relevantes. Por não possuírem o sistema de verificação SSL, as TVs inteligentes não conseguem ao menos informar se o site que você está navegando é confiável ou não.

Assim como na hora de visualizar emails e outras propagandas, evite acessar qualquer link suspeito. Clicar em links desconhecidos pode abrir a porta para que alguém mal intencionado explore as vulnerabilidades de seu aparelho. Também, não deixe disponível em pendrives e HDs externos que estejam conectados à Smart TV informações e arquivos importantes. Já foi provado que é possível roubar informações contidas nestes dispositivos. Vale ressaltar também que se deve utilizar com cautela esses equipamentos, sendo ideal verificá-los antes em um anti-malware.

Fonte: http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2014/06/devo-proteger-minha-smart-tv-contra-virus-e-ataques-hackers-veja-como.html

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.