TV analógica aberta ainda está presente em 13 milhões de domicílios no Brasil

Por Redação | 22.12.2016 às 12:29
photo_camera Divulgação

Nesta quinta-feira (22), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados que indicam que 13 milhões de domicílios brasileiros tem acesso apenas ao sinal analógico aberto de TV.

Isso significa que 19,7% do total de residências que possuem aparelhos de televisão no país correm o risco de ficar sem programação alguma após a migração para o sinal digital. De acordo com o cronograma de desligamento da TV analógica, até o final de 2018 todas as cidades brasileiras terão switch-off.

“Apesar de ser um número alto, tem mostrado redução ano a ano. Há ainda esses 13 milhões de domicílios que, se hoje fosse desligado o sinal analógico, ficariam sem o acesso à programação de TV. É um número alto ainda, representa quase um quinto dos domicílios que têm televisão”, disse a analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Araújo Beringuy.

Regionalmente, o norte (25,4%) do país é a área que apresenta o maior percentual de domicílios sem acesso a antena parabólica, nem TV por assinatura, nem digital aberta. Em segundo lugar vem o Nordeste (22%).

Já em relação à TV digital, o levantamento mostrou que 45,1% dos domicílios têm televisão digital aberta. Em 2014, 39,8% dos domicílios tinham acesso à TV digital e, em 2013, o índice era 31,2%.

A televisão digital aberta se expandiu tanto na área rural quanto na urbana, mas, em termos percentuais, a diferença persiste: a modalidade está presente em 17,6% dos domicílios da área rural e 49,4% da área urbana.

Recentemente, as teles pediram mais tempo no switch off da TV analógica na região metropolitana de São Paulo, que estava marcado para 29 de março de 2017. A ideia é que o governo conceda o adiamento para agosto. As regiões de Salvador, Recife e Fortaleza também estariam entre as que necessitam de adiamento, porém maior, de um ano.

Via Agência Brasil