TIM será fornecedora de banda larga para espaço de startups do Itaú

Por Redação | 19 de Julho de 2016 às 19h37
photo_camera Divulgação

Nesta terça-feira (19), a TIM anunciou uma parceria com o espaço de inovação e startups Cubo Coworking Itaú, em São Paulo, para o qual fornecerá seu serviço de internet banda larga. Além da conectividade, a operadora será uma espécie de tutora em “determinados projetos”, e aproveitará a oportunidade para oferecer suas soluções para clientes do espaço.

A parceria já começou nesta tarde, quando a TIM se reuniu com dez empresas selecionadas entre as 55 que participam do projeto do Cubo para ouvir e realizar propostas. Essa ação faz parte de um projeto de transformação digital da operadora que começou no início de 2016 após um reposicionamento estratégico e de marca.

Segundo Luis Minoru, CSO da TIM, a ideia seria não focar tanto nas diferenças entre as companhias digitais (como as over-the-tops e outras startups de tecnologia), mas sim passar a enxergar oportunidades para trabalhar em conjunto. “Temos a possibilidade de trazer toda a infraestrutura, que é o que essas empresas precisam. Somos uma empresa grande, então encontrar empresas que nos torne mais ágeis, como as residentes do Cubo, para gente é um super ganho”, explicou o CSO.

Minoru revelou também que a ideia da TIM não é entrar no modelo de corporate venture como a própria controladora (a Telecom Italia), que possui o TIMVentures e o TIM/WCap Accelerator. “Eu acho que não é necessário neste momento [usar o mesmo modelo], pois hoje, a principal moeda de troca que a gente tem não é de falta de dinheiro disponível para essas empresas novas, o que temos vale mais do que dinheiro”, disse o executivo, citando a base móvel e o big data da operadora. Por outro lado, a TIM busca a inovação e a possibilidade de novos retornos nesse investimento. "Vamos olhar o que fortalece a TIM, o que tiver mais a ver com nossos ativos, que for promover mais dados em mobilidade; se minha rede de 4G for diferencial, provavelmente vou olhar com mais intensidade”, detalhou.

Flávio Pripas, diretor do Cubo, disse que o espaço também conta com outros patrocinadores, como a Cisco e a Microsoft, por exemplo, além de “mais uma que vai ser anunciada em algumas semanas”. Ele explicou que os patrocinadores ganham bastante com esse investimento, não sendo somente o Cubo o grande beneficiado. Para ele, os patrocinadores “ganham radar de mercado, eles já vêm o que está acontecendo”, explicou.

Fonte: Teletime

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.