TIM revela que receita do consumo de dados deve ultrapassar a de voz em 2016

Por Redação | 16 de Setembro de 2015 às 11h30

Aconteceu nesta terça-feira (15) a terceira edição do TIM Day, evento realizado pela TIM Brasil para detalhar as estratégias da empresa e esclarecer dúvidas de analistas de mercado e de investidores.

Na conferência, que aconteceu em Nova York, o CEO da TIM, Ricardo Abreu, mostrou a visão da empresa para as oportunidades que o mercado oferece em um cenário de transformação. O principal destaque da apresentação foi uma demonstração que mostrou que a receita de dados da operadora vai superar a de serviços de voz até 2016. As expectativas anteriores mostravam que isso ocorreria apenas em 2017.

"O comportamento do consumidor está mudando muito rápido. No Brasil, a migração drástica do consumo de voz para dados foi percebida já no fim de 2014 e no começo deste ano. Manter os investimentos em infraestrutura, principalmente em rede 4G, será fundamental para competir nesse novo cenário focado no uso da internet móvel. É por este caminho que segue a estratégia da TIM para se manter competitiva e protagonista neste mercado", comenta Abreu.

O executivo ainda destacou outras mudanças importantes no comportamento dos consumidores, como a inédita estabilização do mercado de assinantes no Brasil. Nos últimos dois anos, a base pré-paga vinha crescendo, mas agora apresentou uma pequena queda de 0,3% no segundo semestre deste ano, comparando com o ano passado.

A companhia espera agora o crescimento de sua base de valor entre usuários pré-pagos e pós-pagos que cada vez mais investem os seus gastos e experiências em apenas um SIM card. Abreu acredita que os investimentos em infraestrutura são capazes de possibilitar a ampliação da oferta de serviços.

Atualmente, a TIM é a operadora que mais investe no Brasil na expansão das redes 4G e 3G, na aquisição de novas faixas de frequência, em um melhor aproveitamento da base 2G atual para a ampliação da cobertura 4G e em tecnologias heterogêneas com biosites e smallcells. No primeiro semestre de 2015, a operadora investiu quase US$ 1 bilhão nesses serviços.

A meta da companhia é alcançar 79% da população urbana com as redes 4G, alcançando uma meta de 15 mil antenas instaladas até o fim de 2017. Em relação à rede 3G, no mesmo período, a meta é de 14 mil antenas.

Abreu também falou sobre o primeiro plano de eficiência operacional da TIM e outros aspectos que devem continuar favorecendo o crescimento da companhia. "Estamos cientes dos atuais desafios macroeconômicos no Brasil. Apesar disso, mantemos nosso investimento agressivo em infraestrutura no país nos próximos três anos e não vamos nos desviar dos nossos pilares e governança. A companhia se mantém extremamente confiante em sua estratégia de negócio", finaliza o CEO.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.