TIM garante que não implementará limite de franquia na banda larga fixa

Por Leandro Souza | 15.04.2016 às 16:27 - atualizado em 15.04.2016 às 19:12

Em meio à polêmica criada pela decisão das operadoras Vivo (que agora detém a GVT), NET e Oi para a criação de limites em seus pacotes de banda larga fixa, a TIM quer apostar em um caminho oposto para fortalecer seu serviço de fibra, o TIM Live, sem implementar limites e pregando transparência com o consumidor.

Quem afirmou isso foi o presidente da operadora no Brasil, Rodrigo Abreu, durante o evento em que a companhia apresentou sua nova identidade visual e, conforme apontou o executivo, uma "nova história" junto aos consumidores.

"Não vamos implementar limite de franquia na banda larga fixa", disse o executivo, afirmando que o momento pode representar um influxo de novos clientes para as áreas onde a companhia tem cobertura.

No momento, o TIM Live ainda é uma operação pequena, atendendo as capitais do Rio de Janeiro e São Paulo, com cerca de 300 mil clientes. Ao falar com a imprensa, Abreu reconheceu que o serviço tem um potencial de expansão, mas no momento não há nada previsto.

"Nosso foco atual é garantir uma qualidade de serviço. Não queremos anunciar uma expansão deste tipo de serviço, se não pudermos entregar o melhor produto possível. Não vivemos um momento de buscar agressivamente uma conquista de novos clientes e sim de garantir a satisfação deles. Hoje, os consumidores amam a 4G, mas odeiam suas operadoras", afirmou.

Primeira colocada nacional em cobertura 4G e segunda em número de clientes móveis, a empresa tem um plano de investimentos de R$ 14 bilhões no triênio 2015-2017, com foco na expansão das redes 4G e 3G. A banda larga fixa, por envolver altos investimentos em fibra, não deve entrar neste bolo.

De acordo com a Anatel, atualmente a empresa tem 26,09% do share de telefonia celular, com 67,3 milhões de aparelhos, na frente da Claro, que tem 65,4 milhões de telefones móveis (25,36%). A Vivo é a líder, com 73,2 milhões de telefones e 28,39% do mercado.

Entretanto, a operadora quer focar no crescimento de sua rede 4G. Nos últimos dois anos, a cobertura da empresa subiu de 46% do território nacional para 63%. No geral (3G e 4G), a TIM ultrapassou a Vivo em área, chegando a 91,6% do território, contra 91,3% da concorrente. "Em dois anos, esperamos que mais de 50% de nossa base de usuários já seja 4G", afirmou Abreu.