TIM é notificada por cobrança indevida em serviço de backup na nuvem

Por Redação | 11 de Dezembro de 2015 às 15h50

O Instituto de Defesa do Consumidor anunciou ter notificado a TIM pela cobrança indevida de R$ 7,90 mensais de seus clientes pré-pagos, em troca de um serviço de backup de arquivos na nuvem. De acordo com o Idec, a exigência de pagamento é irregular, pois é realizada sem que os clientes sejam notificados ou tenham contratado seu uso, o que, em muitos casos, nem mesmo foi oferecido a eles.

A mensalidade diz respeito ao Tim Protect, um sistema de upload automático de documentos, fotos e vídeos em servidores de cloud computing da empresa. A ideia é não apenas garantir que os dados estejam seguros em caso de roubo ou perda de aparelhos, mas também permitir a integração entre smartphones, tablets e celulares, além de facilitar o compartilhamento de informações com os amigos. O valor de R$ 7,90 se refere a uma assinatura do serviço e 10 GB de espaço na nuvem.

O Idec pede que a TIM esclareça por que motivo a cobrança está sendo feita e apresente a autorização dada pelos clientes para retirada deos créditos. Para a organização, a exigência indevida de pagamento vai contra o Código de Defesa do Consumidor em pelo menos três pontos, já que além de ter começado a cobrar seus usuários sem autorização, ela também não realizou o estorno em dobro quando alguém solicitava o cancelamento do serviço e a devolução dos valores.

Assista Agora: Saiba quais são os 5 maiores problemas das empresas brasileiras e comece 2019 em uma realidade completamente diferente.

Uma pesquisa online pelo TIM Protect mostra, além da própria página do serviço no site da operadora, apenas reclamações sobre cobranças indevidas, com valores que vão de R$ 5,90 a R$ 14,90 ao mês. De acordo com o Idec, caso o pagamento irregular esteja sendo feito por apenas 10% da base de usuários da empresa, ela estaria lucrando cerca de R$ 41 milhões por mês com a prática.

Em resposta, a operadora disse ter recebido a notificação do órgão e que irá analisar a solicitação, voltando a falar sobre o assunto nos próximos dias. Aos usuários que se sentirem lesados, a recomendação é que entrem em contato com a central de atendimento para solicitar o cancelamento e devolução dos valores cobrados indevidamente.

Fonte: Mobile Time

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.