Telefonia fixa volta a ter queda no Brasil

Por Redação | 05 de Fevereiro de 2018 às 13h20
Depositphotos

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostram que 2017 foi mais um ano de queda para o mercado de telefonia fixa no Brasil. De acordo com as informações liberadas pelo órgão, o país fechou o ano com um total de 40,8 milhões de linhas em operação, uma redução de 2,96% e 1,2 milhão de clientes em relação ao registrado no final de 2016.

O estado de São Paulo foi o líder em desconexões, com uma redução de 412 mil clientes e baixa de 2,61%. Na sequência está o Rio de Janeiro, que tem números absolutos menores, com 330,9 mil linhas a menos, mas percentual maior, com 6,46% de queda. Em terceiro lugar está Minas Gerais, com baixa de 2,74% e 109,3 mil usuários desligados.

Apenas três estados apresentaram aumento ao longo de 2017. Santa Catarina ganhou 20,4 mil linhas fixas novas e um incremento de 1,22%, sendo seguido pelo Paraná (7,8 mil e crescimento de 0,27%) e Acre (0,2 mil e aumento de 0,24% no total).

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

As informações da Anatel mostram também que as concessionárias foram as maiores perdedoras do ano, com 1,1 milhão de clientes desconectados e baixa de 4,48%, contra redução de 134,7 mil e 0,11% nas autorizadas. O movimento faz sentido quando se leva em conta que as companhias da primeira categoria também operam o maior número de linhas, 23,6 milhões, contra 17,1 milhões na segunda.

Entre as empresas, a Algar Telecom foi a que mais cresceu, com 85,8 mil novas linhas e 34,4% de aumento na base de clientes. Na sequência está a Vivo, que ampliou sua base em 11,6 mil assinaturas (crescimento de 0,24%) e a Oi, com 3,3 mil novos usuários (aumento de 2,06%).

Na outra ponta do espectro estão a Claro, com 249,2 mil clientes a menos e redução de 2,24%; a TIM, com queda de 9,6 mil pessoas na base e 1,4% de retração; e, por fim, a Cabo, com 0,4 mil desconexões, representando uma redução de 1,04%. A expectativa para 2018 é de mais quedas no setor, na medida em que os brasileiros demonstram preferência cada vez maior por planos móveis, que reúnem voz e dados em um mesmo pacote.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.