SMS no Brasil ganha sobrevida por causa do mercado corporativo

Por Redação | 17.10.2014 às 08:28 - atualizado em 02.08.2017 às 08:38

A empresa de comunicação móvel Acision, que trabalha com serviços via SMS, divulgou nesta terça-feira (15) os resultados do 12º relatório MAVAM Brasil 2014 - Monitor Of Mobile Value Added Services (o SVA, na sigla em português), que analisa as tendências de evolução e uso do SVA no Brasil.

Visto que os aplicativos de mensagens (A2P) estão crescendo em um ritmo acelerado e as empresas estão interagindo com novas formas com seus clientes - principalmente por causa do avanço da adoção dos devices inteligentes -, o relatório deste ano foi focado no SMS Corporativo (SVA) para aumentar o relacionamento com o cliente.

A pesquisa divulgada destacou áreas de oportunidades, mesmo apresentando tendências que impactam a receita das operadoras. Elas viram um crescimento positivo nas receitas provenientes do SVA, gerando mais de R$ 4,36 bilhões em vendas líquidas e representando quase um terço (30%) da receita total das operadoras brasileiras de serviços móveis. Isso representa um crescimento de 22% sobre o mesmo período analisado no ano passado.

A internet móvel representou o maior crescimento na receita de SVA, com 63% de todas as vendas líquidas de SVA no segundo trimestre deste ano, totalizando R$ 2,7 bilhões. O montante representa 31% a mais que o mesmo período de 2013. O avanço significativo e acelerado do uso da internet móvel se deve à adoção dos smartphones pelos brasileiros.

De acordo com a ConvergenciaResearch, responsável pelo estudo, a penetração deste tipo de dispositivo na América Latina é de 30%, onde, estima-se, as taxas de crescimento anual sejam de mais de 60%, dependendo do país. Em 2014, 81% dos brasileiros entrevistados tinham um smartphone, um aumento considerável de 17% comparando ao ano de 2013.

Dos entrevistados, 81% afirmaram que usaram o serviço de SMS nos últimos 3 meses, embora os serviços de OTT e mensagem instantânea sejam opções mais populares de comunicação em smartphones. Este mesmo percentual afirmou que o SMS era um serviço utilizado com mais frequência, tendo em vista que era o único serviço disponível com alcance global.

Os números também mostram um declínio de 6% nas vendas líquidas de SMS no segundo trimestre de 2014, comparando com o mesmo período do ano passado, gerando R$ 1,09 bilhão de receita. Isso se deve à adoção dos serviços de OTT e de mensagem instantânea via mídia social. Atualmente, um grande número de usuários de smartphones, cerca de 90%, utiliza pelo menos um aplicativo de mensagem instantânea ou OTT. Os entrevistados tinham, em média, três aplicativos de mensagens, incluindo SMS.

Não foi somente o SVA que se destacou no MAVAM Brasil. A mudança na dinâmica do consumidor e em como ele usa o seu aparelho celular para se conectar com as empresas também chamou atenção. Segundo a pesquisa, 71% usaram seus smartphones para procurar informações sobre produtos e serviços, com 69% afirmando que recebem e leem os SMS enviados para seus smartphones por empresas, marcas ou lojas.

Embora os aplicativos usados para receber atualizações de marcas ou empresas tenham baixa penetração (44%), esse número ainda é significativo dado o estágio inicial do mercado de aplicativos nessa área. Mantendo a mesma linha, cerca de 30% dos entrevistados pelo estudo afirmaram que utilizaram seus smartphones para fazerem compras. Entretanto, os aplicativos que facilitam as transações monetárias estão entre os de maior penetração (46%).

Em relação ao conteúdo enviado por empresas via SMS, os alertas e descontos são os que têm mais alta de penetração, com 64%, seguidos de perto por outras categorias como propaganda (62%) e atualizações, tais como lançamentos de produtos exclusivos (39%). O que surpreendeu foi o alto índice de pessoas que disseram que forneceriam seu número de telefone para uma empresa para receber lembretes e notificações relevantes. Esse número representa 8 entre 10 pessoas entrevistadas.

Já as notificações SMS mais comuns são as relacionadas a serviços médicos como lembretes de exames e consultas, com 33%. Outras categorias seguem com valores e penetração em torno de 25% como lembretes do odontólogo (26%), lembretes de instituições educacionais (26%), lembretes de empresas de serviços pessoais (25%) e atualizações de saúde (24%).

Cerca de um quarto dos entrevistados afirmaram que acham normal enviarem informações pessoais via SMS ou OTT para uma empresa na qual confiam. No entanto, 31% dos participantes disseram que se sentem mais seguros e confiantes quando tinham a opção de enviar tais informações usando um aplicativo criado pela própria empresa. Isto apresenta um panorama positivo por parte dos consumidores de que as aplicações oferecem segurança para que eles interajam com as empresas em um novo mercado.

Fonte: Acision