Setor de telecom pede incentivos do governo para enfrentar crise econômica

Por Redação | 17 de Setembro de 2015 às 10h21

Nesta quarta-feira (16), o SindiTelebrasil - sindicato que reúne as empresas do setor de telecomunicações - apresentou ao ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, uma agenda pró-desenvolvimento com medidas administrativas, regulatórias e tributárias para ajudar o setor a enfrentar a atual crise econômica.

"Regras preveem o conserto de um orelhão em oito horas. Se fosse em 12, não seria tão problemático, mas traria uma redução enorme de custos. Um telefone, em vez de sete dias, poderia ser instalado em 10", diz o presidente executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy. Ele também afirma que o governo "poderia reduzir obrigações temporariamente por dois anos. Não vai haver tanta diferença assim, não gera despesas para o governo e pode reduzir custos do setor que podem ser transformados em investimentos".

O executivo também afirma que "de todas as desonerações, o Ministério das Comunicações representou apenas 2%", e pede mais incentivos ao setor que é responsável pela melhoria na produtividade dos demais setores. “Em um orçamento de R$ 1,2 trilhão, há um furo de R$ 30 bilhões. Não é 0,5%. Realisticamente, há espaço para desonerações. Temos consciência que não podemos ser tratados como a indústria automobilística, porque criamos produtividade para todos os setores da economia e vantagens para o cidadão”, explica.

Fonte: Convergência Digital

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.