Samsung faz avanço significativo na transmissão 5G

Por Redação | 30.06.2016 às 16:17

Enquanto as conexões 4G apenas agora começam a ganhar corpo no Brasil, o mundo já se prepara para a chegada do 5G. E a Samsung diz ter conseguido solucionar um dos principais problemas da tecnologia: o baixo alcance da rede, com velocidades que iam sendo reduzidas na medida em que o usuário se afasta de uma antena. Em testes, ela manteve uma velocidade média de 1,67 Gbps na internet dentro de um veículo em movimento, reproduzindo uma das situações mais corriqueiras no uso desse tipo de tecnologia.

Atualmente, o problema principal na implementação do 5G é o baixo alcance do sinal. Quanto mais próximo da antena, mais veloz é a internet, e vice-versa. A Samsung diz ter resolvido isso modificando a forma como a estrutura trabalha com a emissão – em vez de fazer isso em ondas, como se transmite naturalmente qualquer coisa, a tecnologia é capaz de emitir feixes concentrados e milimétricos diretamente para os aparelhos, aumentando significativamente seu alcance e eficácia.

Nos testes, realizados em Seul, capital da Coreia do Sul, a fabricante obteve a taxa constante de downloads enquanto trafegava a 25 km/h em uma via. Ao se afastar de uma antena, o dispositivo rapidamente era “capturado” por outra, que mantinha a conexão com qualidade mesmo na troca entre as infraestruturas, minimizando a perda de sinal.

Essa é a segunda vez que a Samsung obtém resultados desse tipo em experimentos. Em 2014, ainda nos primórdios de sua experimentação com redes 5G, a empresa havia obtido uma velocidade de impressionantes 7,5 Gbps em pontos fixos, além de uma taxa de 1,2 Gbps no interior de um carro andando a 100 km/h. A ideia, agora, é continuar trabalhando para que a perda de sinal seja minimizada mesmo em alta velocidade.

A previsão é que os primeiros testes da tecnologia 5G no Brasil aconteçam ainda neste ano, tendo a Claro e a Ericsson como as primeiras expoentes da novidade por aqui. Sua viabilização comercial, entretanto, deve vir apenas em 2020.

Fontes: Samsung (YouTube), Gizmodo