Siga o @canaltech no instagram

Relatório aponta que acesso ao 4G melhora com inclusão de faixa de 700MHz

Por Felipe Ribeiro | 16 de Abril de 2019 às 10h00

A inclusão das ondas de transmissão de 700 MHz nas redes 4G das operadoras brasileiras produziu melhorias visíveis no acesso à banda larga móvel. Segundo relatório produzido pela consultoria Opensignal, embora a velocidade do download tenha diminuído com essa frequência, a acessibilidade dos usuários às conexões melhorou significativamente, principalmente em prédios, que são locais onde costumeiramente o sinal é deficitário.

A praça utilizada para o monitoramento da conexão foi o Rio de Janeiro e os dados indicaram que os usuários que acessaram redes 4G na faixa de 700 MHz em áreas similares às existentes nas bandas de 2100 MHz e 2600 MHz conseguiram "encontrar" conexões mais estáveis. Mas devido à capacidade limitada da banda sub-1 GHz, a velocidade de download 4G foi inferior em 20 Mbps se comparada à faixa de 2600 MHz.

Mais disponibilidade

O relatório observou que a disponibilidade de 4G no Rio de Janeiro aumentou de 69,9% no início de 2018 para 77,7% no final de março de 2019. No entanto, enquanto os ganhos do trimestre foram de cerca de 1% no início de 2018, eles mais que dobraram desde que a Claro, a TIM e a Vivo começaram a usar a frequência de 700 MHz em suas redes 4G no Rio de Janeiro em junho do ano passado.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A faixa dos 700 MHz pareceu mais adequada para serviços de banda larga móvel devido a duas características principais: boa propagação de sinal - o que torna atraente aumentar o alcance de redes 4G - e penetração interna - porque experimenta menos perda de sinal nos edifícios. Nos mapas comparativos abaixo, podemos ver que, com o desafogo das duas outras bandas disponíveis, houve um efeito de melhora natural nas conexões.

O primeiro mapa mostra os locais no Rio de Janeiro onde os usuários se conectaram às redes 4G na banda recém-implantada de 700 MHz. Essa faixa oferece boa propagação de sinal e boa cobertura, mas tem capacidade mais limitada e normalmente suporta velocidades mais baixas.

Mapa de utilização comum da banda de 700MHz

Já o segundo mapa mostra os locais onde os smartphones e dispositivos móveis se conectaram nas bandas preexistentes de 2100 MHz e 2600 MHz. Essas faixas acabam por oferecer maior capacidade, mas possuem menor propagação de sinal, além de, claramente, estarem sobrecarregadas.

Utilização de 2100MHz e 2600MHz

Apesar de maior oferta, velocidade cai drasticamente

A análise da Opensignal revelou que, apesar da maior disponibilidade de sinal na faixa de 700MHz, a velocidade teve queda de mais de 20 Mbps quando comparada à faixa de 2600 MHz. Os dados sugerem que os usuários de smartphones na área urbana do Rio de Janeiro se beneficiaram da implantação da banda de 700 MHz em termos de alcance 4G estendido e tempo adicional para acessar redes 4G, graças à melhor penetração interna.

Mas quando os usuários estão conectados à banda de 700 MHz, a velodidade média de download 4G é de 13,2 Mbps, destacando a capacidade limitada da banda de espectro e o trade-off necessário entre maior alcance e velocidades mais rápidas.

Fonte: Opensignal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.