Operadoras fecham 2016 com cobertura 3G e 4G acima da meta no Brasil

Por Redação | 13.12.2016 às 23:19

De acordo com o balanço apresentado nesta terça-feira pelo SindiTeleBrasil, as operadoras de telecomunicações ultrapassaram suas obrigações de cobertura móvel com redes 3G e 4G que deveriam ter alcançado em 2016, se tivessem seguido apenas as obrigações regulatórias ponderadas pela Anatel.

O total de municípios que contam com 3G no Brasil chegou a 4.935, enquanto as obrigações contratuais colocadas pelo edital de venda das faixas de 3G pediam "apenas" 3,66 mil cidades até o fim do ano. Considerando a quarta geração, o número é ainda maior. São 1.137 cidades cobertas pelo 4G LTE, sendo que a obrigação regulatória exigia 288 municípios para o final de 2016.

Segundo Eduardo Levy, presidente executivo da SindiTeleBrasil, estes são excelentes indicativos de que a banda larga móvel brasileira vem amadurecendo e se tornando indispensável para os brasileiros. Os resultados, aliás, mostram que a regulação imaginada pela Anatel pode ser muitas vezes surpreendida pela demanda de mercado. "Por isso é que dizemos que o Estado tem que se focar nas áreas em que realmente não têm atratividade econômica", explica.

O 4G também merece destaque quando o assunto é modernização da rede. O 2G e o 3G estão, aos poucos, cedendo espaço ao LTE, e a receita média por usuário das operadoras com serviços de dados tende a ser maior do que a de voz em muito pouco tempo, conforme você leu aqui no Canaltech. A relação, para se ter uma ideia, estava em 51 a 49 para os serviços de voz.

Via Convergecom