Internet das Coisas: Brasil tem cerca de 20 milhões de conexões entre máquinas

Por Redação | 16 de Fevereiro de 2017 às 18h17

O Brasil tem se destacado no quesito Internet das Coisas (IoT). O país já é o quarto maior mercado consumidor de equipamentos conectados do mundo, e tem potencial para ampliar ainda mais sua participação global.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estima que o Brasil já possui cerca de 20 milhões de conexões máquina-máquina. A previsão é que o número salte para 42 milhões em 2020. No mundo todo, até 2025, o total de objetos conectados deve ficar entre 100 milhões e 200 milhões, de acordo com a consultoria Teleco.

"Até 2025, cada cidadão brasileiro terá, em torno de si, sete equipamentos máquina-máquina – seja um relógio que está conectado, seja a televisão, seja o carro. O mercado brasileiro vai crescer muito, e desse crescimento vai surgir uma série de serviços e aplicações, que são uma oportunidade de desenvolvimento socioeconômico para o país. Se nos prepararmos, as empresas brasileiras poderão atender o nosso mercado e o mercado internacional", disse o secretário de Políticas de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão.

No entanto, apesar dos avanços e da quantidade de dispositivos conectados existentes no país, ainda enfrentamos um dilema relacionado à regulamentação da tecnologia. Recentemente, empresas de telecomunicações e a indústria disseram preferir que o mercado se autorregule em vez de o governo impor algum tipo de regulamentação.

Porém, para a Anatel a grande questão é se há necessidade de criar novas regras ou bastaria adequar as normas já existentes para a IoT. "O pensamento no momento não é criar um marco regulatório para IoT. Ao contrário, a ideia é fazer o mapeamento dos obstáculos existentes na regulação para o desenvolvimento da IoT no Brasil e removê-los", afirmou o gerente de regulação da Anatel, Nilo Pasquali.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.