Governo alemão considera banir Huawei de trabalhar com 5G

Por Felipe Demartini | 18 de Janeiro de 2019 às 17h32
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

A Huawei pode ser deixada de fora da implementação da tecnologia 5G na Alemanha. A participação da empresa nesse tópico foi assunto de reunião interna nesta semana, com o Ministério das Relações Exteriores do país confirmando que os representantes estão preocupados com a segurança da rede, após a série de acusações de espionagem contra a empresa asiática.

O governo alemão vê a instalação da rede 5G como primordial para os próximos anos, conforme já foi afirmado pela chanceler Angela Merkel. Sendo assim, a clareza do processo e a ausência de suspeitas é fundamental, com as preocupações em relação à Huawei sendo citadas como de “grande relevância”, levando a discussões que podem acabar deixando a fabricante de fora dessa implementação, em mais uma porta que se fecha a ela no Ocidente.

A conversa foi reportada, inicialmente, pela imprensa local, e marcaria a primeira vez que a Alemanha se posiciona com relação às acusações de espionagem que pesam contra a Huawei. Segundo comunicado oficial, entretanto, nenhuma decisão foi tomada ainda e a pauta deve continuar sendo discutida no futuro próximo, até que a implementação da tecnologia 5G efetivamente comece com os "parceiros corretos" para o governo alemão.

Como já fez inúmeras vezes ao longo dos últimos meses, a Huawei se defendeu negando toda e qualquer acusação de espionagem, afirmando que os temores desse tipo são infundados. A empresa também convidou o governo não apenas da Alemanha, mas qualquer outro órgão fiscalizatório, a realizar auditorias e checar os padrões usados pela empresa em seus produtos utilizados para comunicação e infraestrutura. No texto, a companhia afirma que sua possível exclusão da implementação do 5G não é racional.

A Austrália e a Nova Zelândia já anunciaram a exclusão da Huawei dos contratos relacionados à rede, com mais banimentos do tipo sendo esperados em outros países, principalmente os Estados Unidos e o Reino Unido. As acusações e suspeitas de espionagem recaem sobre a fabricante desde o ano passado, mas ganharam força em dezembro, depois que a diretora financeira da empresa, Meng Whanzou, foi presa no Canadá.

Filha do fundador da companhia, ela é acusada de negociar tecnologias com países como Irã e Coreia do Norte, ferindo sanções impostas pelos Estados Unidos. Além disso, a Huawei é constantemente questionada por suas supostas relações com o governo da China, sendo considerada, muitas vezes, como uma forte aliada dele. Todas são falas negadas veementemente pela companhia.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.