Caso Oi: credores buscam auxílio com bilionário egípcio

Por Redação | 12.10.2016 às 00:13

O caso envolvendo as dívidas da Oi ainda está longe de acabar. Um grupo de credores internacionais da empresa acaba de se unir a um bilionário egípcio chamado Naguib Sawiris para tentar decidir o futuro da empresa, conforme comunicado emitido pela companhia, que amarga uma dívida acumulada em R$ 64,5 bilhões.

Após o pedido de recuperação judicial e algumas reviravoltas internas, agora são os investidores estrangeiros que tentam convencer o governo e os principais bancos envolvidos no processo de que salvar a operadora é o melhor caminho. Afinal, somente no exterior, a Oi emitiu cerca de R$ 14 bilhões em títulos.

Segundo a lei no Brasil, é a empresa quem define a proposta de recuperação judicial que será apreciada pelos credores. Dessa forma, o grupo investe seus esforços para tentar conseguir uma adesão à sua proposta a fim de sensibilizar o juiz responsável pelo caso e abrir uma votação para a empresa em assembleia, já que o impasse entre a Oi e o governo atual segue atrapalhando as negociações.

São dois fatores que contribuem para que a ideia dos credores dê certo lá fora: primeiro, com a entrada do bilionário, que tem experiência comprovada no setor de telecom (já que é dono da Orascom Telecom, do Egito), eles acreditam que novos rumos podem ser tomados em direção a um alívio financeiro. Fora isso, há ainda a resistência de integrantes do governo ao plano de recuperação apresentado, que prevê perdão de 70% da dívida. Dentre os maiores credores nacionais da empresa estão o Banco do Brasil, a Caixa e a Anatel, que possuem aproximadamente R$ 20 bilhões em haver.

De acordo com apurações da Folha de S.Paulo, o grupo tem como meta finalizar a proposta em três semanas, que pretende incluir uma injeção de US$ 800 milhões a US$ 1 bilhão em recursos e converter a dívida em ações, retirando do controle da companhia os acionistas controladores, — Pharol, de Portugal, e Nelson Tanure.

Com informações da Folha de S.Paulo