Cadastro virtual de celulares bloqueados já é usado em quase todos os estados

Por Redação | 05 de Dezembro de 2017 às 13h55

Somente cinco estados brasileiros ainda não aderiram ao Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi), sendo eles: Acre, Alagoas, Amapá, Maranhão e Pará. Todo o restante do território nacional já utiliza a ferramenta virtual que permite às polícias estaduais fazerem o registro de aparelhos roubados diretamente na base de dados, cuja consulta é nacional.

Com o sistema, os usuários que tiveram aparelhos roubados, furtados ou extraviados podem pedir o registro de bloqueio diretamente nas polícias estaduais, sem precisar recorrer às operadoras para tal. O Cemi também é útil para comerciantes, distribuidoras e fabricantes de dispositivos móveis que tiveram cargas roubadas, para que bloqueiem o lote rapidamente, impedindo que os ladrões consigam revender os aparelhos.

Segundo a ABRTelecom, responsável pela operação da plataforma, em agosto, o Cemi registrou cerca de 46,5 milhões de aparelhos bloqueados, com um crescimento de 4,85%, enquanto o mês de novembro fechou com cerca de 48,9 milhões de registros. Também segundo a entidade, 147,6 mil aparelhos já foram bloqueados pelo Cemi a partir de solicitação de órgãos de segurança, enquanto outros 8,9 milhões de celulares foram bloqueados pelos usuários por meio das operadoras. O Cemi é integrado à base de dados da GSM Association, o cadastro geral que reúne dados de aparelhos bloqueados tanto no Brasil, quanto no exterior.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Esse bloqueio é feito a partir do IMEI, uma sequência de números que identifica o celular internacionalmente. É o equivalente ao chassi de carros e, quando o consumidor desejar comprar um aparelho usado, especialmente pela internet, é importante consultar seu IMEI previamente para descobrir se aquele celular em questão não está bloqueado, sendo produto de furto, possivelmente.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.