Banda larga compensa desconexões de linhas fixas em 2016, indica OTI

Por Redação | 26.01.2017 às 10:23 - atualizado em 26.01.2017 às 10:33
photo_camera Master Soft BC

O Brasil respondeu pela maior receita de telecomunicações na América Latina no segundo trimestre de 2016, com US$ 9,93 bilhões, de acordo com o mais recente relatório da Organização das Telecomunicações Ibero-Americanas (OTI).

O levantamento mostra que as receitas geradas pelas operadoras de telefonia móvel atingiram US$ 4,64 bilhões no período, o que representa uma queda 7,2% na comparação trimestral anual e uma proporção de 46,7% em relação ao total gerado pelo setor.

As principais razões para esse recuo, segundo o relatório, são a queda gradual das tarifas de interligação móveis em conjunto com a desconexão de linhas móveis, devido à instabilidade econômica e política do país, que levou a perdas repetidas do poder de compra da população nos dois últimos anos.

Já a receita com serviços de telefonia fixa somou US$ 3,66 bilhões, o equivalente a 36,8% da receita total do setor, e um aumento de 4,5% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Neste caso, apesar da crise econômica e da desconexão continuada de linhas fixas, as receitas mantiveram a curva de crescimento devido a crescente adoção dos serviços de banda larga fixa.

Por fim, o segmento de TV a cabo seguiu a mesma tendência, com crescimento de 1,2% e receita de US$ 1,63 bilhão (16,4% do total. Esse aumento contrasta com a queda das assinaturas do serviço. Isto é explicado pela acentuada depreciação do real frente ao dólar. O custo do conteúdo da TV paga aumentou, elevando os preços para o consumidor final, o que acabou compensando o declínio nas assinaturas.

Fonte: (Via) Computerworld