Ataques DDoS derrubam servidores e sistemas da Anatel

Por Sérgio Oliveira | 22 de Abril de 2016 às 11h08

A indignação popular com a Anatel e suas recentes declarações de que os usuários têm de passar menos tempo na internet atingiu um novo nível. Há mais de 24 horas os sistemas da Agência Nacional de Telecomunicações enfrentam instabilidade, algo que, ao que tudo indica, pode ser resultado de uma série de ataques DDoS à entidade.

Relatos de um participante da lista [caiu] apontam que os serviços da agência estão sendo bombardeados com ataques de negação de serviço, que sobrecarregam os sistemas com até 40 gigabits de dados por segundo. Ainda segundo o relato, os ataques estão sendo disparados de IPs internacionais, o que indica que uma botnet de computadores zumbis pode estar sendo utilizada para derrubar os servidores da entidade. E é justamente esse o objetivo de ataques desse tipo: entupir servidores com milhares de requisições inúteis, de maneira a causar uma sobrecarga muito acima do normal e fazê-los sair do ar.

Site da entidade regulamentadora das telecomunicações no Brasil vem apresentando instabilidade desde a noite da quarta-feira. Porém, na manhã desta sexta-feira (22) os períodos offline tornaram-se mais frequentes

Site da entidade regulamentadora das telecomunicações no Brasil vem apresentando instabilidade desde a noite da quarta-feira. Porém, na manhã desta sexta-feira (22) os períodos offline tornaram-se mais frequentes (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

O motim digital foi deflagrado após a Anatel se posicionar ao lado das companhias de telecom sobre a implantação de franquias na banda larga fixa. No começo desta semana, João Rezende, que é presidente da agência, alegou que o cenário atual é culpa de quem passa o dia todo jogando online, porque "isso gasta um volume de banda muito grande".

Infeliz, a declaração levou à criação de uma petição online que exige a cabeça de Rezende e que já conta com mais de 54 mil assinaturas. Embora seja impossível dizer se isso de fato terá algum efeito em toda essa história, o abaixo-assinado evidencia que os usuários de internet têm consciência de que a medida não é benéfica como as operadoras e a agência alegam.

De concreto mesmo só há a informação de que o novo formato tem previsão de entrar em vigor a partir de 1º de janeiro de 2017. Até lá, a Anatel alega que exigiu das operadoras o cumprimento de algumas regras, que incluem o fornecimento de ferramentas para que o usuário possa acompanhar seu consumo, informações claras sobre os limites de franquia em peças publicitárias e treinamento de funcionários para orientar os consumidores acerca da nova medida, novos contratos e novos planos.

Fonte: [caiu] via Technoblog

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.