Apesar de pedido de recuperação judicial, Oi diz que não vê impacto em operações

Por Rafael Romer | 29 de Junho de 2016 às 17h31
photo_camera Divulgação

Em meio ao processo de pedido de recuperação judicial, a Oi garantiu nesta quarta-feira (29), durante o Congresso da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA), que sua operação de produtos continua "absolutamente normal" e que não tem visto impactos negativos nas vendas ou perdas de assinantes em decorrência da crise pela qual passa.

"A vida, operacionalmente, continua absolutamente normal. A gente tem foco total na operação. As vendas não diminuíram por conta disso, as recargas não diminuíram por causa disso", comentou o diretor de Varejo da companhia, Bernardo Winik, durante uma coletiva de imprensa na tarde de hoje. "O processo é de negociação entre bancos e credores. Para o cliente, não afeta em nada".

De acordo com Winik, empresa já recomentou aos colaboradores internos e externos que lidam com clientes que levem a mensagem de que, do ponto de vista de produtos, nada mudou dentro da operadora, com indicadores operacionais ainda positivos e previsões de investimento mantidas. O foco agora é continuar "trabalhando para conquistar o consumidor" com as ofertas da empresa.

TV pré-paga

Uma das ofertas que deve reforçar a linha de produtos da Oi será o novo serviço de TV pré-paga por assinatura, lançado oficialmente hoje pela empresa em todos os estados brasileiros — exceto São Paulo. O serviço foi apresentado pela primeira vez em agosto do ano passado, quando a companhia iniciou um projeto piloto com a solução.

A ideia agora é alavancar uma base de cerca de 1,2 milhão de setup boxes que clientes da empresa já possuem atualmente, utilizadas majoritariamente para assistir TV aberta. O serviço será oferecido por meio de pacotes de recarga de 15 dias (a partir de R$ 29,90) ou por 30 dias (a partir de 54,90), que poderá ser adquirido em mais de 300 mil pontos de venda no país.

Ainda durante a ABTA, a operadora apresentou seus novos serviços de download de vídeos on demand para reprodução posterior na Oi TV, e também a disponibilização de compra de conteúdo pay per view por meio de dispositivos móveis da Oi para reprodução na plataforma de TV da empresa.

Oi Total

Os serviços de televisão da Oi permanecem como um dos pilares de crescimento da operadora, que tem observado um aumento de 0,5% ao mês na base de assinantes e conseguiu cerca de 17,5 mil novos clientes só ano passado — mesmo com o ambiente de queda generalizada observado por outros players do mercado nos números de assinantes de TV.

A empresa atribui os bons resultados no setor à estratégia convergente de venda do Oi Total, produto que reúne as categorias de TV, telefonia móvel, fixa e banda larga em diferentes pacotes e modelos e que conquistou 320 mil clientes nos últimos três meses — metade deles incluindo o Oi TV. A expectativa é de atingir 1 milhão de clientes com o Oi Total até o final deste ano.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!