Telefônica: "interesse na faixa de 700 MHz depende de condições comerciais"

Por Rafael Romer | 22.10.2013 às 15:40

Para o presidente do grupo Telefônica no Brasil, Antonio Carlos Valente, o interesse das empresas de telecomunicações no leilão da faixa de 700 MHz da rede 4G só poderá ser medido após os termos e condições comerciais do projeto terem sido estabelecidos.

"O espectro é fundamental para todos os operadores móveis, as aplicações estão crescendo, o número de usuários está crescendo, o tráfego médio por usuário não para de crescer, cada vez vamos precisar de mais espectro", afirmou Valente após a coletiva de imprensa que anunciou a chegada dos smartphones com o Firefox OS no país. "O que a gente precisa saber é qual espectro vai ser disponibilizado para as operadoras, em que condição ele será colocado em termos de uso efetivo. E obviamente as condições comerciais", completou.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deve votar até o final deste mês a destinação da faixa de 700 MHz da rede 4G (LTE), que deverá ser leiloada em maio do ano que vem. Para a agência, o leilão da faixa deve permitir que as operadoras aumentem suas ofertas de 4G por meio da frequência de 2,5Ghz, que foi leiloada em junho do ano 2012. Na avaliação de Valente, ainda não é possível dizer se o leilão programado para maio terá ou não um grande interesse por parte das telecoms sem o conhecimento das regras.

Valente também comentou o programa de demissão voluntária (PDV) aberto pela empresa na última sexta-feira (19), dizendo que a inciativa faz parte de um processo organização interna. Ainda não há informações sobre o número de pessoas que estariam interessadas. Este é o terceiro PDV que a empresa faz desde a incorporação da Vivo, em 2010. A expectativa é que 900 funcionários sejam demitidos.

Durante sua apresentação na manhã desta terça-feira (22), o presidente destacou a operação da empresa na área de cobertura 4G no país, que hoje chega a 65 municípios, que integram 44% do total de 398 mil usuários da rede LTE no país. Até o final deste mês, a empresa terá mais cinco cidades incluídas na rede: Jaboatão dos Guararapes (PE), Gravatá (PE), Cabedelo (PB), Aquiraz (CE) e Vila Velha (ES). Das doze cidades-sede da Copa do Mundo de 2013, apenas Natal ainda não conta com a rede 4G da operadora, o que deve acontecer nas próximas semanas, segundo Valente.

Entre outros produtos apresentados na Futurecom, a empresa deve lançar ainda em janeiro de 2014 no mercado brasileiro seu novo serviço de pagamento móvel Zuum, apresentado em maio pela MFS, joint venture formada pela Telefônica Internacional e pela operadora MasterCard. O sistema permitirá transferências, resgates, consultas de saldo e pagamento de contas por celulares simples, os chamados feature phones, além de saques na rede Cirrus. Segundo Valente, a solução é focada na população não-bancarizada do Brasil, que representa hoje cerca de 50% dos habitantes do país.

Valente anunciou também a expansão do projeto Escolas Rurais Conectadas da Telefônica, que beneficia cerca de 11 mil alunos atualmente, com notebooks e conexão 3G em cem escolas públicas de 43 municípios do país. Por meio de uma parceria com a prefeitura de Viamão (RS), a empresa entregou aos alunos da Escola Municipal Zeferino Lopes Castro tablets individuais e, aos professores, notebooks. Kits de robótica, filmadoras e projetores também foram disponibilizados à escola, que passou a contar com uma rede de 54 MB de fibra óptica.