Rede 3G não suportou excesso de acessos durante manifestações em São Paulo

Por Redação | 18.06.2013 às 14:30
photo_camera Mídia NINJA

Durante a concentração dos manifestantes no Largo da Batata, em São Paulo, no início da noite da última segunda-feira (17), a rede 3G da região de Pinheiros ficou sobrecarregada e gerou algumas polêmicas. Alguns acreditavam em um boicote, que o sinal havia sido derrubado propositalmente, mas depois descobriu-se que realmente foi resultado de uma sobrecarga devido ao excesso de acessos simultâneos na região.

Segundo relatos de manifestantes nas redes sociais, o sinal de celular em volta do Largo da Batata começou a apresentar falhas por volta das 17h30 e continuou oscilando até às 22h, em média. Clientes das quatro principais operadoras do país — Claro, Oi, TIM e Vivo — reclamaram da situação.

Rede 3G protestos SP
Rede 3G protestos SP

A queda dificultou a comunicação entre os manifestantes, que tentavam entrar em contato com amigos para se encontrar na região. Uma mobilização nas redes sociais pedia que os moradores da região liberassem o acesso às suas redes Wi-Fi para permitir o envio de fotos, vídeos e mensagens em tempo real.

Um mapa colaborativo do #protestosbr também ajudou os manifestantes a encontrar redes Wi-Fi abertas, bem como outras informações importantes referentes a cada uma das regiões onde havia foco de protestos. O serviço permite que pessoas que estão em casa auxiliem, com informações em tempo real, aqueles que estão nas ruas.

Mapa colaborativo #protestosbr

Mapa colaborativo do #protestosbr (Imagem: Reprodução)

Rede 3G protestos SP