Presidente da Claro teme prazo curto para inicio da comercialização da rede 4G

Por Redação | 24.11.2012 às 14:51

O presidente da operadora de telefonia Claro, Carlos Zenteno, mostrou ontem (23) que está realmente preocupado com o prazo que as empresas têm para comercializar a rede 4G. As operadoras têm cinco meses para fornecer esse tipo de uso da rede nas seis cidades onde haverá jogos da Copa das Confederações em 2013.

Segundo informações da Reuters, Zenteno disse que o ideal seria que as faixas de 2,5 gigahertz (MMDS) fossem liberadas ainda em novembro.

"Uma preocupação que temos para cumprir a data de abril é a liberação de espectro do MMDS", disse o presidente da Claro.

Carlos Zenteno presidente da claro

Carlos Zenteno, presidente da Claro (Imagem: Reprodução)

MMDS é uma modalidade de serviço especial, que se utiliza de faixa de microondas para transmitir sinais a serem recebidos em pontos determinados dentro de uma área de prestação. Atualmente quem utiliza essa faixa são as empresas de TV paga, que precisam migrar seus clientes e liberá-la para as operadoras de telefonia comercializarem o 4G.

A Anatel estabeleceu que as cidades sedes da Copa das Confederações devem estar cobertas por 4G até 30 de abril de 2013.

Zenteno também comentou a respeito do Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), aprovado pela Anatel e que obriga as maiores companhias do setor de telefonia a compartilhar sua infraestrutura de rede com empresas menores. Ele disse que isso levará a uma revisão da estratégia de negócios das operadoras de telecomunicações.

"Estamos analisando o conteúdo (do PGMC), mas a redução da VU-M [valores da tarifa de conexão] sempre gera preocupação, porque significa redução de receita das companhias. Isso sempre gera preocupação porque as companhias vão ter que reformular estratégias de negócios para ter mais receitas", finaliza o presidente da Claro.