Polícia Federal iniciará investigação sobre os negócios da Telexfree

Por Redação | 10.07.2013 às 12:38

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou a abertura de um inquérito policial para a investigação das operações da Telexfree no Brasil que deve ser conduzida pela Polícia Federal. O Ministério afirma que vem investigando denúncias relativas à companhia desde janeiro deste ano através da Secretaria Nacional do Consumidor. As informações são da Agência Brasil.

As denúncias apresentadas contra a Telexfree informam que a companhia fez uso do sistema comercial conhecido como pirâmide financeira, proibido no Brasil. Por meio da pirâmide financeira, a empresa teria mantido um sistema de recrutamento progressivo de pessoal, atingindo níveis que comprometem seriamente o retorno financeiro das operações. Acredita-se que a companhia tenha recrutado pelo menos um milhão de pessoas no país.

Saiba mais: Telexfree: Entenda a polêmica da empresa acusada de esquema de pirâmide

O Ministério da Justiça também informa que já havia solicitado ajuda de outros órgãos para conduzir a investigação como a Comissão de Valores Mobiliários, Banco Central, Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Todos os órgãos identificaram indícios de crime contra a economia popular, esquema da pirâmide e evasão de divisas nas operações da Telexfree.

O Tribunal de Justiça do Acre manteve na última segunda-feira (8) a decisão que determinou a suspensão das atividades da companhia. A Telexfree não poderá fazer novos cadastros de divulgadores e pagar os apoiadores cadastrados até o final do processo judicial, sob pena de multa diária de R$ 500 mil. Os advogados da companhia tentaram reverter a decisão do relator do caso, desembargador Samoel Evangelista, mas os magistrados entenderam que a defesa não apresentou argumentos suficientes para tal.