Partida entre Brasil e Camarões bate recorde de comunicação

Por Redação | 25.06.2014 às 12:12

A Copa do Mundo no Brasil já bateu pelo menos um recorde: o de total de comunicações realizadas por dispositivos móveis. De acordo com dados do SindiTelebrasil, que representa as operadoras de telefonia, mais de 181 mil ligações e 1,57 milhão de trocas de dados foram realizadas durante o jogo entre Brasil e Camarões, na última segunda-feira (23).

O total, mais especificamente no que tocam os dados, ou seja, e-mails, envios de fotos, mensagens por aplicativos como o WhatsApp e acessos a redes sociais, por exemplo, foi 10% maior que o recorde anterior, do dia 15 de junho, durante a partida entre Argentina e Bósnia. Na ocasião, foi 1,42 milhão de comunicações do tipo durante o jogo.

De acordo com a Exame, que publicou as informações, o SindiTelebrasil levou em conta a antecipação e os momentos após a partida para compor os dados. Um período de sete horas foi considerado, sendo três horas antes do apito inicial e mais duas horas depois do encerramento do confronto, que terminou com vitória da seleção brasileira por 4 a 1 e a classificação do time no primeiro lugar de seu grupo.

Mais do que uma amostra da popularização dos smartphones e da conexão 3G no Brasil, o sindicato vê os altos números como uma prova de que a infraestrutura montada para a competição está funcionando. Um apagão de telecomunicações devido ao uso exacerbado durante os períodos de jogos era um dos grandes temores não apenas dos usuários, mas também das empresas do ramo. Mas tudo, pelo jeito, parece estar operando normalmente.

Para o SindiTelebrasil, ainda, esse grande movimento é um comportamento típico dos espectadores de todo grande evento, que usam os aparelhos celulares para compartilhar momentos, registrar memórias das partidas e encontrar amigos. Esse último caso, mais especificamente, leva a um uso mais elevado de ligações nos momentos de chegada ao local do acontecimento, enquanto a utilização dos dados cresce a partir do apito inicial.

Ao todo, são mais de quatro mil antenas espalhadas por todas as arenas que estão sediando a Copa do Mundo no Brasil, com um investimento de R$ 226 milhões para garantir que serviços de telefonia e banda larga funcionem sem problemas. Apenas no Mané Garrincha, estádio brasiliense que sediou o embate entre Brasil e Camarões, são 614 antenas e 17 quilômetros de fibra óptica.