Para que 4G funcione, operadoras precisam instalar quase 10 mil novas antenas

Por Redação | 27.02.2013 às 11:24

A Anatel já havia dito que existem poucas antenas para suprir a quantidade de linhas telefônicas existentes no país, mas agora o SindiTeleBrasil anunciou que serão necessárias exatas 9.566 licenças para instalação de novas antenas para cobrir as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 com o sinal 4G.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTeleBrasil), é a entidade responsável por representar as empresas do setor. Segundo a organização, as operadoras devem instalar cerca de 30 Estações Radio Base (ERBs) por dia para cumprir as metas estipuladas pela Anatel para o evento.

Essas licenças seriam para suprir a necessidade da instalação da rede 4G nos 12 municípios brasileiros que vão sediar jogos da Copa do Mundo no próximo ano. Confira a lista com a quantidade de antenas necessárias em cada cidade:

  • São Paulo (SP): 2.784
  • Rio de Janeiro (RJ): 1.723
  • Brasília (DF): 954
  • Porto Alegre (RS): 665
  • Curitiba (PR): 652
  • Belo Horizonte (MG): 642
  • Salvador (BA): 564
  • Recife (PE): 490
  • Fortaleza (CE): 441
  • Manaus (AM): 271
  • Cuiabá (MT): 215
  • Natal (RN): 165

As operadoras de telefonia têm enfrentado muitos problemas burocráticos para conseguir realizar a instalação da infraestrutura necessária para atender às exigências da Anatel em relação ao 4G no país. Nesta terça-feira (26), durante o Mobile World Congress (MWC), o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que vai conversar pessoalmente com os prefeitos de algumas cidades para tentar convencê-los de que as regras precisam ser mais flexíveis.

Leia mais: Faixa de 1,8 GHz também pode ser liberada para rede 4G, segundo Paulo Bernardo