Operadoras não irão bloquear celulares piratas que já estão em uso

Por Redação | 03.06.2013 às 11:34

O sindicato das operadoras de telefonia móvel, Sinditelebrasil, afirmou que as teles não irão bloquear o sinal dos celulares piratas que estão em uso no país, e devem restringir o uso apenas dos novos aparelhos não-homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que tentarem se conectar à rede.

Durante uma audiência sobre a qualidade dos serviços prestados pelas operadoras, o deputado Aureo Ribeiro (PRTB-RJ) pediu que as teles relaxem um pouco as regras do novo acordo que permite que elas interrompam a transmissão de sinal para os aparelhos comprados no exterior ou piratas. O parlamentar defende que a medida, que deve entrar em vigor no próximo ano, é prejudicial aos consumidores.

Ribeiro explicou sua posição afirmando que o cidadão não tem culpa de usar um aparelho que não foi homologado pela Anatel, mas sim o governo. O deputado defende que se o consumidor adquiriu um aparelho pirata, isso é de responsabilidade do governo que não fiscalizou as suas fronteiras para impedir a entrada de produtos piratas em território nacional. E com base nesse cenário, Aureo Ribeiro afirma que as operadoras não podem cortar o sinal dos consumidores à revelia.

O atual presidente da Sinditelebrasil, Eduardo Levy, garantiu que os aparelhos não-homologados que já estão em uso não devem ser bloqueados. No entanto, ele explicou que o sindicato, as operadoras e o governo estão desenvolvendo um sistema capaz de identificar os celulares piratas que estão em uso há algum tempo, sistema este que começará a funcionar no primeiro trimestre de 2014.