Oi, Nextel e Vivo demitem 3 mil trabalhadores

Por Redação | 01.04.2015 às 15:59
photo_camera Divulgação

Três das principais operadoras de telecomunicações do Brasil anunciaram cortes em postos de trabalho. Segundo a Agência Reuters, as demissões fazem parte de um plano de reorganização estabelecido pela Oi, Nextel e Vivo. A Oi anunciou que irá demitir 1.070 postos de trabalho no mês de abril, isso corresponde a 6% do quadro de funcionários diretos da companhia.

As demissões atingem todos os níveis da empresa e se somam ao corte de cerca de 150 diretores e gerentes em outubro do ano passado. O plano de reorganização da Oi teve início no quarto trimestre de 2014 com o objetivo de simplificar sua estrutura. A estratégia do presidente do grupo de telecomunicações, Bayard Gontijo, é fortalecer a saúde financeira da instituição, que apresenta um alto índice de endividamento e ainda ressente o fracasso na fusão com a Portugal Telecom.

Com as demissões e a retirada das vagas que estavam em aberto, a companhia conseguirá reduzir em torno de 20% suas despesas relacionadas à estrutura de pessoal. Segundo informa a própria empresa, ainda há 177 mil empregos diretos e indiretos gerados em todo o território nacional. Os encargos referentes às demissões serão contabilizados no segundo trimestre deste ano.

Em comunicado à Reuters, a Oi afirmou que "o ano de 2015 é desafiador em todo o contexto macroeconômico do país e também no setor de telecomunicações. Considerando este cenário e os próprios desafios da companhia, a Oi desenvolveu um plano orçamentário para 2015 para assegurar ganhos de produtividade e de rentabilidade".

Sindicatos de trabalhadores de telecomunicações buscaram agendar reuniões com representantes da Oi, em meio a rumores de demissões na empresa. Almir Munhoz, presidente da Fenattel (Federação Nacional dos Trabalhadores de Empresas de Telecomunicações), disse que foi informado pela Oi que o Estado mais afetado pelos cortes será o Rio de Janeiro.

Com o objetivo de minimizar o impacto das demissões, a Fenattel demandou benefícios aos demitidos, como convênio médico e um salário por ano trabalhado aos funcionários demitidos.

Após a Oi ter registrado prejuízo de 4,4 bilhões de reais em 2014, na sexta-feira passada, o presidente da empresa informou aos analistas que concentrará esforços na redução de custos e na geração de caixa neste ano. "Temos reuniões semanais para analisar todas as linhas dos custos para melhorar em todos os aspectos, e (o quadro de) pessoal é uma das linhas", disse Gontijo na ocasião.

A Telefônica Brasil, que opera com a marca Vivo, demitiu cerca de mil funcionários em fevereiro, segundo informa a Fenattel. Além disso, a Nextel também cortou postos de trabalhos em São Paulo, em torno de mil funcionários.

Tanto a Vivo como a Nextel confirmaram a realização de reajustes em seus quadros de funcionários, mas não revelaram qual o número de empregados atingidos. A Vivo afirmou que promoveu "uma reorganização em suas áreas com o objetivo de obter maior sinergia de processos e atividades" em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Já a Nextel disse que reestruturou sua área de atendimento ao cliente, otimizando recursos e consolidando um modelo sustentável para suas atividades.

Via Reuters

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=39298&sid=46#.VRwoXOHq5pkhttp://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0MS48T20150401?pageNumber=2&virtualBrandChannel=0