Pesquisa: tráfego de dados duplica no último ano, e a tendência é aumentar

Por Redação | 21.11.2012 às 16:56

A Ericson divulgou seu último Relatório de Mobilidade, que visa mostrar como está o mercado relacionado aos dispositivos móveis e também ao tráfego de dados gerado por eles. O documento mostra que o tráfego de dados duplicou entre o terceiro trimestre de 2011 e o mesmo período deste ano.

Mas os números não param de crescer, a previsão de crescimento anual entre 2012 e 2018 é de cerca de 50%. E a grande estrela para esse aumento gigantesco no tráfego são os vídeos online que assistimos. Eles constituem 25%do total do tráfego de smartphones e 40% do total de tráfego em tablets.

Filme no iPad

Mas é claro que números como esses demandam novas exigências sobre as redes móveis, afinal, os consumidores exigem cada vez mais qualidade e acesso sem limite geográfico, algo que ainda não acontece no Brasil, por exemplo.

"As expectativas de qualidade sobre as redes móveis estão elevadas devido a um maior uso de smartphones e tablets, que estão mudando a maneira como usamos a internet. A mobilidade está se tornando uma parte significativa das nossas vidas. Hoje, temos sempre dispositivos ao nosso lado, o que permite acesso instantâneo à informação, ao entretenimento e à interação social", diz Andre Gildin, responsável pela área de Inteligência de Negócios da Ericsson na América Latina.

Os números relacionados à venda de aparelhos também surpreende. De todos os celulares vendidos no mundo, 40% são smartphones. Isso implica diretamente no aumento de assinaturas móveis, que devem atingir a marca de 6,6 bilhões ainda este ano, e 9,3 bilhões em 2018.

Apenas no terceiro trimestre de 2012, a China foi responsável por 35% desse número. Isso representa cerca de 40 milhões de novas assinaturas, enquanto o Brasil também tem um número representativo, 9 milhões no mesmo período. Atualmente a América Latina possui 676 milhões de assinaturas móveis, sendo que a maioria delas (80%) é de redes 2G.

Assinaturas móveis

Quantidade de assinaturas móveis em milhões (Imagem: Ericson)

Espera-se que até 2018 as assinaturas móveis de redes 3G cheguem a cerca de 60% do mercado na região. É bom lembrar que o 4G está em fase de implantação na América Latina, por isso, a Ericsson prevê que até 2018 a tecnologia responda por 10% (aproximadamente 90 milhões) de todas as assinaturas móveis.

Uma curiosidade que o relatório ressalta sobre a nova tecnologia 4G/LTE é que ela já se tornou o sistema de evolução mais rápida da história da comunicação móvel, em termos de implementação e adoção.