Lucro líquido da Telefônica Brasil recua cerca de 16% no segundo trimestre

Por Redação | 25 de Julho de 2013 às 12h57

O lucro líquido da Telefônica Brasil recuou 15,8% no segundo trimestre deste ano, devido aos gastos maiores com a rede fixa e com o relançamento de serviços de TV por assinatura, como revela reportagem da agência de notícias Reuters. A companhia também se encontra em meio a um cenário de maior concorrência no setor e desaceleração do mercado móvel.

No segundo trimestre, o lucro líquido da empresa ficou em R$ 914 milhões, mantendo-se alinhado com a previsão dos analistas, mas apresentando redução em comparação aos US$ 1,085 bilhão registrados no primeiro trimestre deste ano. Já a receita operacional da Telefônica subiu 3% no período totalizando R$ 8,491 bilhões, enquanto os custos aumentaram 14,9% ano a ano, fechando em R$ 5,916 bilhões.

Os rendimentos de caixa gerados a partir do lucro antes da computação de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da empresa diminuíram 16,7% no comparativo anual, fechando o segundo trimestre em R$ 2,575 bilhões. No segundo trimestre, a margem Ebitda apresentou queda de 37,5% para 30,3%.

Fatores como a alta da inflação e a redução da confiança dos consumidores nas empresas de telecomunicações têm interferido nos negócios do setor no país, que teve o segundo trimestre mais fraco nas telecomunicações nos últimos sete anos. Os custos comerciais da Telefônica Brasil apresentaram aumento de 13,9% em relação ao segundo trimestre de 2012, enquanto os custos com as mercadorias comercializadas subiram 33,8% e com os serviços 13%.

"Não é possível fazer uma recuperação dos negócios sem custos comerciais adicionais", afirmou Christiane Barretto, diretora de controladoria da Telefônica Brasil. "Como vocês sabem, o retorno não deve ocorrer nos próximos meses, então é natural esperar uma melhora no desempenho no futuro próximo".

A Telefônica Brasil também anunciou o investimento de R$ 1,252 bilhão no segundo trimestre com foco nas estruturas de fibra ótica e redes 3G e 4G, apresentando aumento de 9,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A empresa estima que deverá investir cerca de R$ 5,7 bilhões ao longo do ano de 2013, mais R$ 500 milhões com a aquisição de novas frequências.

A empresa fechou o semestre com total de 91,14 milhões de acessos (telefonia móvel e fixa, banda larga e televisão), mantendo-se praticamente estável em comparação ao ano passado. Do montante, 76,2 milhões correspondem aos acessos móveis, com aumento anual de 0,06%, e 14,94 milhões aos acessos fixos, com queda de 1,3%.

No último trimestre, a base de clientes de linhas pós-pagas aumentou 20,4% e a base de clientes pré-pagos diminuiu cerca de 5,2%. Baseada neste cenário, a receita média por usuário de dados (Arpu) aumentou 23,4% no trimestre para R$ 7,40, já a receita Arpu de voz recuou 3% ficando em R$ 15,50 ao mês. E a Telefônica Brasil fechou o semestre com dívida líquida de R$ 523,6 milhões, apresentando queda no comparativo anual de 83,5%.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.