Leilão do 4G tornará rede do Brasil compatível com outros 20 países

Por Redação | 25 de Agosto de 2014 às 19h12

Agendado para o dia 30 de setembro, o leilão da faixa de 700 megahertz (MHz) de internet móvel de quarta geração vai facilitar o uso da rede brasileira em outros países. Segundo um levantamento do G1 no banco de dados da 4G Américas, associação de operadoras que monitora a adoção da tecnologia pelo mundo, o 4G brasileiro será compatível com a rede de outros 20 países.

A frequência de 700 MHz destinada ao 4G é bastante usada em países da Europa e América do Norte, e tem como principal vantagem a utilização de menos antenas para cobertura de sinal, que garantem maior alcance e melhor cobertura, mesmo em ambientes fechados. Já o 4G é o sucessor do 3G, e a maior diferença entre eles está na velocidade de conexão, que pode ser 10 vezes mais rápida na quarta geração – até 100 Mbps (megabits por segundo) do 4G contra apenas 21 Mbps do 3G.

Essa faixa não chegou ao Brasil anteriormente porque, além de faltar a infraestrutura necessária, atualmente é ocupada pelo sinal de canais de TV. Dessa forma, o primeiro leilão do 4G realizado no país (2012) vendeu lotes na frequência de 2,5 Gigahertz (GHz), que não interfere na transmissão das emissoras de televisão. Agora com novos lotes operando na faixa de 700 MMHz, as empresas que levarem cada lote do leilão terão que pagar cerca de R$ 3,6 milhões para a retirada desses serviços, segundo estimativa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O 4G disponível hoje no Brasil já é o mesmo de outros 45 países pelo mundo, como o Japão, Colômbia, Alemanha, França, Portugal e Espanha. Com a abertura da faixa dos 700 MHz, mais 20 países passarão a ter rede compatível com o 4G brasileiro, entre eles os Estados Unidos, Bolívia, Porto Rico, Nova Zelândia, Croácia e Líbano. Em alguns casos, a adoção da nova frequência po aqui fará com que sua compatibilidade seja reforçada em locais onde a faixa dos 2,5 GHz já é utilizada, como na Rússia, Alemanha e Portugal.

Além disso, smartphones e tablets com tecnologia 4G comprados no Brasil passarão a acessar a rede de banda larga móvel desses países, e vice-versa, a partir da liberação da nova frequência – desde que o mesmo aparelho tenha sido homologado pela Anatel.

O leilão do 4G será realizado em duas etapas. Na primeira serão ofertados três lotes nacionais e, caso algum deles não seja vendido, passará para uma segunda rodada. A previsão é de que até o final deste ano o serviço comece a operar na nova faixa, mas em cidades menores, uma vez que pacotes operando na nova frequência de banda larga móvel de quarta geração só poderão ser ofertados um ano após o desligamento da TV analógica (switch off, em inglês) em cada município. No Rio de Janeiro e em São Paulo, por exemplo, esse procedimento só será concluído em outubro e novembro de 2017, respectivamente, o que significa que, nesses dois estados, só será possível a oferta de serviços na faixa de 700 MHz em novembro de 2018.

O governo espera arrecadar, no mínimo, R$ 7,7 bilhões com o leilão do 4G. Você pode saber mais detalhes de como ele será realizado neste link.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.