Governo exige que operadoras compartilhem as redes 4G

Por Redação | 02 de Agosto de 2012 às 14h30
photo_camera Kero Dicas

O governo federal determinou no começo da semana que as operadoras de telefonia móvel deverão compartilhar as redes de conexão da quarta geração (4G) que serão construídas no país a partir do próximo ano. O governo acredita que, com essa medida, evitará problemas de qualidade da rede e implantação do sistema.

A medida ainda visa evitar problemas como os atuais com as redes de transmissão 3G que levaram a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) a proibir a venda de novos chips das operadoras Claro, Oi e TIM em alguns estados brasileiros.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, os investimentos na construção das redes 4G, que deverão estar prontas antes do início da Copa das Confederações em 2013, devem começar partilhados, ou seja, cada operadora fará sua própria infraestrutura. Porém, o governo quer que as empresas compartilhem bases, torres e antenas para garantir também redução nos custos do serviço.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, está cuidando das negociações pessoalmente e acredita que até o fim de agosto deverá encaminhar para a presidenta Dilma Rousseff uma minuta do decreto que exigirá que as teles compartilhem as redes 4G.

"A empresa que tem a maior rede em um área é obrigada a ceder o acesso às outras. O princípio é simples: não podemos ficar construindo estruturas paralelas", afirmou o ministro.

As licenças de exploração da frequência 2,5GHz foram leiloadas em junho deste ano e o governo acredita que a assinatura dos contratos pela Vivo, Oi, Claro e TIM deve ser efetuada em 40 dias.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.