GVT: 4 grupos estariam interessados na compra da operadora brasileira

Por Redação | 30 de Novembro de 2012 às 14h57

A operadora de telecomunicação GVT está à venda, e a controladora da empresa, a francesa Vivendi, não aceita nenhuma proposta inferior a R$ 19 bilhões. Segundo a Folha de S. Paulo, já existem quatro grupos interessados na transação. Das propostas recebidas até agora, três provêm de fundos de participações de empresas. Um desses grupos seria o BTG Pactual.

Apesar do interesse dos fundos de equity, nenhuma operadora de telefonia entrou nas negociações. A TIM até se interessou pelo negócio, mas está endividada demais para investir um valor tão alto. A DirecTV também se manifestou, mas a proposta ficou abaixo dos R$ 19 bilhões e logo foi rejeitada pela controladora da GVT.

Ainda segundo o jornal, o prazo máximo para a venda da operadora é março de 2013 e, caso isso não aconteça, a Vivendi deve optar pela abertura de capital da empresa.

Em 2009, a Vivendi arrematou a GVT por R$ 7,7 bilhões durante uma disputa com a espanhola Telefonica. O grupo é dono dos estúdios Universal e é um dos maiores conglomerados de mídia do planeta. A venda da GVT, e de outras empresas do grupo que não são relacionados ao setor de mídia, faz parte da estratégia da Vivendi para retomar o foco nesse tipo de negócio.

A GVT está planejando operar na região metropolitana de São Paulo, e, até 2016, a operadora deve oferecer seu serviço de banda larga para 200 cidades brasileiras. A ideia é triplicar o faturamento anual e atingir a meta de R$ 10 bilhões.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.